Ponte aciona STJD para que partida contra o Vila Nova seja impugnada em virtude do pênalti inexistente marcado aos 54 do segundo tempo e entra com representação contra a arbitragem na CBF

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

A Associação Atlética Ponte Preta ingressou na tarde desta segunda (4), no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)com pedido de impugnação da partida entre Ponte Preta e Vila Nova – na qual a Macaca vencia por 1 a 0 e aos 54 minutos do segundo tempo o juiz marcou, com auxílio do VAR, um pênalti total e claramente inexistente (a imagem mostra que a bola bateu na coxa do jogador Iago e não nas mãos, que inclusive estavam coladas ao corpo). A penalidade absurda deu o empate ao time visitante.

A Ponte também está entrando na CBF com uma representação contra a arbitragem, mais especificamente contra o juiz Adriano Barros Carneiro e o responsável pelo VAR, Wanderson Alves de Sousa. No pedido protocolado no STJD, a Macaca alegando erro de direito da arbitragem na marcação do pênalti, além de solicitar que sejam disponibilizados os vídeos e áudios das conversas entre a arbitragem e o assistente do árbitro de vídeo. 

“Há indubitável Erro de Direito, uma vez que a decisão do árbitro foi contrária às regras do jogo. Cabe ressaltar que houve erro grosseiro dos operadores do VAR, influenciando o árbitro a interpretar erroneamente da jogada, marcado um pênalti que nunca existiu. Dessa forma, ou seja, havendo interferência direta do erro de direito no resultado do jogo, como no presente caso, deve ser anulada a partida como medida de justiça à Ponte, que foi manifestamente prejudicada pelo erro apontado.”, defende a advogada  Paula Saraiva, associada do Cascone Advogados, que representou a Ponte Preta junto com o advogado Gustavo Martins.

O pedido foi encaminhado para análise do presidente do STJD do Futebol, Otávio Noronha.  Caso o Tribunal aceite o recebimento do o pedido, os pontos da partida são retirados até que saia uma decisão final – e, caso ocorra a impugnação, um novo confronto será marcado. 

Vale lembrar que, após a partida, houve manifestações de incredulidade e indignação toda a imprensa, de especialistas de arbitragem e da Ponte Preta, tanto da instituição – em fala do Executivo de Futebol Alarcon Pacheco – quanto dos atletas, que se manifestaram pelas redes sociais.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS