Kleina fala sobre a vitória de domingo da Ponte, que no returno tem a terceira melhor campanha e é a terceira melhor mandante de toda a série B, com mais de 60% de aproveitamento

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Se por um lado demorou para engrenar no Brasileiro, por outro é inegável que a campanha da Macaca no returno da série B tem sido avassaladora. Considerados apenas os sete jogos desta fase de volta do campeonato, a Ponte estaria em terceiro lugar da competição, com 13 pontos – abaixo apenas dos líderes Coritiba (18) e Botafogo (16) – e com um aproveitamento de 61,9%. Estes números também ajudam a compor uma estatística que mostra a força do Majestoso em todo o torneio: nele a Macaca tem  64% de aproveitamento  e é a terceira melhor mandante em toda a competição – mais uma vez, atrás apenas Botafogo e Coritiba, agora em ordem invertida, respectivamente com 87.1% e 71.7%.

Para o técnico Gilson Kleina, os números demonstram não apenas a evolução e o encaixe da equipe, mas o empenho do elenco como um todo. “Todos estão comprometidos com a instituição Ponte Preta. Acho que o torcedor fica muito orgulhoso com esse time, uma equipe guerreira e de entrega, e ontem mais uma vez pudemos dar alegria a eles”, pontua o treinador, que comanda já na tarde de hoje o primeiro treinamento da semana (a Macaca ainda treina em Campinas amanhã e na sequência viaja para Maceió, onde enfrentará o CSA na noite de quarta).

Sobre a vitória de ontem em si, a sexta na sequência invicta de sete jogos no Majestoso, o treinador faz uma avaliação positiva. “Nós tivemos maturidade para não cair na estratégia que o adversário queria, de nos irritar. Eles queriam ganhar tempo. Isso poderia enervar nosso time. A gente procurou, criou situações para sair do ferrolho deles. Tivemos a tranquilidade. Claro que em alguns momentos não encaixamos as jogadas. O Ivan trabalhou pouco, mas houve momentos em que ficou um jogo perigoso, ainda mais com dois gols anulados nossos e as muitas bolas na trave, isso vai tirando você da execução. Mas a gente manteve a concentração e saímos com os três pontos”, comemora.

Além da maturidade, GK destaca o crescimento emocional da equipe. “Não resta a menor dúvida que aumentou a confiança de todos, e o lado emocional é muito importante. Tivemos o dérbi, um jogo especial, que é tratado totalmente diferente, o que representa, depois com o desafio de fazer a primeira vitória fora como foi, em um jogo de muita superação, com dois a menos. Agora enfrentar o Brasil-RS, que é o lanterna, mas pedimos a eles que a gente não olhasse a tabela, pois era jogo difícil, perigoso. Acho que o grande mérito foi que a equipe não desequilibrou, manteve o foco, manteve a plataforma de jogo. Foi uma vitória muito merecida”, reitera.

Ele conclui a avaliação da partida: “Foi um jogo que propusemos o jogo, conseguimos trabalhar no campo ofensivo, o adversário esperava apenas um contra-ataque.  Todos que entraram em campo estavam produzindo e fico feliz que o time manteve a organização. Foi dessa organização que a gente conseguiu fazer esses três pontos. Agora é focar no CSA e tentar conseguir mais uma vitória longe de casa: a gente sempre tem que acreditar, fazer ajustes e melhorar.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS