Com gol de João Veras (em jogo com outros dois da Macaca anulados pelo VAR), Ponte derrota o Brasil-RS, emenda a segunda vitória seguida e sobe para a 13ª posição na tabela

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Em uma partida em que a Ponte fez três gols, mas só um valeu (os outros foram anulados pelo VAR), a Macaca venceu o Brasil-RS na noite deste domingo por 1 a 0. Além dos gols anulados – o segundo deles, em um impedimento questionável – a equipe alvinegra teve muito mais volume de jogo e diversas bolas que explodiram na trave, no travessão ou foram defendidas pelo goleiro adversário.

“Foi Importante demais, nosso grupo trabalha bastante  e sempre queremos ganhar, em casa e fora.  Hoje fizemos três gols pra valer um, mas valeu. Estou muito feliz de fazer esse gol”, diz o atacante João Veras, que já tinha feito o primeiro gol anulado pelo VAR e, no segundo, de Fessin, foi apontado como o jogador impedido.

Com o resultado, a Ponte Preta chegou aos 32 pontos, ultrapassando o Cruzeiro e terminando a rodada na 13ª posição – a alvinegra agora abriu cinco pontos do Z4 e colocou três times entre ela e o Londrina, que abre a zona de rebaixamento (além da equipe mineira, Vila Nova e Brusque). O time do técnico Gilson Kleina volta a campo às 21h30 desta quarta-feira (29), fora de casa, contra o CSA.

O jogo

A Ponte Preta começou indo para cima e logo aos dois minutos quase balançou as redes. Marcos Júnior tirou a bola do adversário na entrada da área oponente e chutou forte. A bola desviou e saiu para escanteio.

Aos cinco, João Veras dominou na ponta direita e tocou para Marcos Júnior, que tentou uma cavada, mas a bola saiu em linha de fundo. Dois minutos depois, Rafael Santos emendou bola para Moisés, que achou Felipe Albuquerque e o lateral cruzou para a área, mas a zaga tirou.

Na sequência, novo lance de Felipe Albuquerque que terminou em escanteio. Na cobrança, de Rafael Santos, a bola voltou para ele, que dominou e jogou na cabeça de João Veras. O centroavante mandou pro fundo das redes e marcou o gol. Porém, na revisão do VAR, o juiz entendeu que houve um impedimento no lance e anulou o gol.

Aos 13, Moisés recebeu pelo lado esquerdo, fez a fila e recebeu falta na entrada da área. Moisés cobrou com capricho e ela explodiu na trave esquerda adversária. Veras pegou o rebote, mas ela acabou saindo por cima. Aos 17, Richard teve boa chance, mas a zaga tirou. Aos 26, Lucas Cândido teve boa chance e chutou ao gol, mas o goleiro defendeu.

No minuto seguinte, Lucas Cândido passou para Rafael Santos, que mandou para a área e ganhou escanteio. Aos 29, Felipe Albuquerque fez cruzamento buscando João Veras, mas a zaga afastou. Na sequ~encia, Richard puxou contra-ataque após lance do Brasil, mas foi parado com falta.

Aos 37, Richard recebeu na ponta direita, puxou para a perna esquerda e soltou uma bomba, mas ela acabou saindo por cima do gol adversário.  Aos 40, Albuquerque fez bom passe para Veras, que foi parado com falta. Rafael Santos deu belo chute, defendido pelo goleiro, que defendeu de soco. Lucas Cândido pegou de canhota e chutou forte, mas ela explodiu no travessão.

Aos 45, o primeiro chute do adversário que levou perigo ao gol alvinegro, mas Ivan defendeu. Aos 48, Moisés fez bom passe para Rafael Santos, que cruzou para a área e ganhou o quinto escanteio da Ponte no jogo.  Felipe Albuquerque ainda conseguiu dar um último chute antes do apito do final do primeiro tempo, aos 49, mas a bola não entrou.

No segundo tempo, aos dois Marcos Júnior recebeu na área, tentou o cruzamento e descolou o escanteio. Rafael Santos mandou na área e a bola sobra para Cleylton, que pegou de primeira e a bola desviou na marcação, em mais um escanteio para a Ponte.

Na nova cobrança, Rayan cabeceou para o chão e Richard tentou complementar, mas bateu com muita força e ela saiu por cima. Aos 10, Marcos Jr fez bom cruzamento para Veras, na tentativa de cortar, quase a zaga faz contra, mas manda para escanteio.

Na cobrança, Cleylton apareceu de surpresa e quase marcou de cabeça, mas o goleiro se esticou e defendeu, mandando para mais um escanteio e, na nova cobrança, o goleiro acabou defendendo a bola chutada por Rafael Santos.

Aos 13, Rayan saiu da defesa e passou para Rafael Santos. Ele  mandou para Richard, que mandou para Richard finalizar, mas a zaga cortou para escanteio. No minuto seguinte saiu mais um gol da Macaca e novamente o VAR anulou. Fessin pegou o rebote do chute de Lucas Cândido que havia explodido na defesa e não perdoou, mas o juiz viu impedimento de João Veras.

Aos 15, Cleylton saiu da zaga e passou para Marcos Jr, que cruzou na área e quase a zaga mandou contra, mas a bola saiu em escanteio. Aos 22, Moisés recebeu na entrada da área, tentou o drible e recebeu falta. O camisa 21 cobrou, mas o camisa 1 adversário defendeu. Aos 26, o técnico adversário colocou o terceiro zagueiro em campo, para tentar segurar o empate.

Aos 30, Niltinho – que acabara de entrar – foi parado com falta. Rafael Santos cobrou, mas o goleiro pegou. Aos 35, Moisés saiu em velocidade e tentou passar para Camilo, mas a zaga cortou.  No minuto seguinte, Niltinho cruzou na área para Macros Jr., mas a defesa adversária tirou. Na sequência, Camilo fez bom lançamento para Moisés, mas o goleiro travou na hora do chute e mandou para escanteio.

Na cobrança, Rafael Santos dominou na área e chutou, mas ela quicou e acabou saindo muito alta. Aos 39, Thalles foi parado com falta dura. Na sequência, Moisés chutou para o gol e ganhou escanteio. Camilo mandou para a área e Cleylton subiu, mas apenas resvalou na bola. No minuto seguinte, Niltinho foi derrubado perto da área, com falta.

Aos 43, Marcos Jr fez bom lançamento para Camilo, mas o meia foi travado.  Mas aos 44, finalmente, saiu um gol da Ponte que o VAR não anulou. Rafael Santos cruzou na área, João Veras chutou e a bola ainda bateu na trave, mas foi parar no fundo das redes. Aos 50, o juiz apitou o final da partida: Ponte 1 x 0 Brasil-RS.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ivan; Felipe Albuquerque, Cleylton, Rayan e Rafael Santos; Marcos Júnior, Lucas Cândido (Thalles) e Fessin (Camilo); Richard (Niltinho), Moisés (Marcelo Hermes) e João Veras (Léo Naldi). Técnico: Gilson Kleina.

Brasil-RS: Marcelo; Vidal, Arthur, Ícaro e Kevin; Alan Dias (Gabriel Povêda), Wesley (Rômulo) e Renatinho (Héverton); Rildo (Netto), Caio Rangel (Gabriel Terra) e Erison. Técnico: Cirilo.

Gol: João Veras aos 44 minutos do segundo tempo

Arbitragem: Paulo Roberto Alves Júnior apitou, com Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos como assistentes. Fabiano Monteiro dos Santos foi o quarto árbitro.

Cartões amarelos: Wesley, Erison, Gabriel Terra (Brasil-RS)

Jogo válido pela 26ª rodada do Brasileirão, realizado no Majestoso, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS