Ponte treina nesta tarde de quinta (19) e Kleina destaca: “Estamos trabalhando muito para vencer em casa neste domingo e fazer um segundo turno totalmente diferente”

Foto:PontePress/DiegoAlmeida

Após o jogo e a viagem de volta de Curitiba, a Ponte Preta retoma os treinamentos na tarde desta quinta-feira (19), de olho no confronto da noite de domingo contra o Brusque, primeiro do returno da série B. A Macaca terminou o turno inicial fora do Z4 e quer que este seja o ponto de início para construir uma história diferente nos próximos 19 jogos da competição, na qual possa lutar para ficar na parte de cima da tabela e não meramente se afastar da de baixo.

“Estamos trabalhando muito para voltar a jogar dentro de casa e vencer neste domingo ,e fazer um segundo turno totalmente diferente. Dentro de casa temos de ser uma equipe decisiva e temos condição de sermos fortes fora também. Nosso objetivo é fazer uma nova história neste returno e acredito que temos todas as condições para fazer isso”, pontua o técnico Gilson Kleina.

O confronto contra o Brusque será não só o primeiro do segundo turno como também o primeiro com VAR – no primeiro embate entre os times, a Ponte perdeu em virtude dos erros grosseiros da arbitragem, que deram um pênalti polêmico ao adversário e anularam um gol legítimo da Macaca. Gilson Kleina espera que, com o uso da tecnologia, este tipo de situação não ocorra mais.

“Fizemos um primeiro turno de pontuação baixa, que teve erros nossos, mas foram diversos erros de arbitragem  que nos prejudicaram, que nos tiraram resultados. Então esperamos que o VAR seja decisivo e a arbitragem possa ser justa, é só o que queremos. E vamos dar o sangue para fazer nossa parte: temos jogadores de qualidade que podem nos dar muito e esperamos contar força máxima e trabalhar muito jogo a jogo para vencer”, diz.

Neste sentido, o treinador vê um crescente do time nos últimos jogos – antes da derrota para o Coritiba na última rodada, foram dez pontos conquistados em cinco jogos – e destaca o que precisa ser mudado. “Fora de casa é sempre jogo difícil, mas  nossa postura contra o líder foi boa. Claro que só sai gol se existe falha e precisamos corrigir o mais rápido possível isso. Citamos na palestrapré-jogo o perigo do chute de longa distância do Val e permitimos esse chute. Depois do gol tivemos volume muito grande, chegamos no último terço e poderíamos ter condições de empatar ou virar. O segundo gol deles saiu porque não finalizamos, não chutamos, não paramos a jogada e tomamos. Precisamos entender de uma vez por todas que este tipo de erro não pode acontecer fora de casa, pois quando ocorre ele nos custa o resultado”, avalia.

Ele completa, comentando sobre a falha de Ivan no primeiro gol. “Chegamos a Coritiba com o emocional estava fortalecido e estávamos bem em campo, mas nos equivocamos no primeiro gol. É atípico, a gente sabe da qualidade do nosso goleiro, o Ivan é atleta de seleção, tem crédito, e quando um perde, perde todo mundo. Temos que trabalhar mais, ter mais concentração o tempo todo e tem que melhorar nosso poder de decisão”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS