Gilson Kleina prega mobilização total contra o Operário: “Vamos dar uma resposta positiva na terça-feira, recuperar o moral dos jogadores e resgatar a confiança do torcedor, quero essa energia e que o negativismo fique fora da Ponte”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

A primeira vitória da Macaca, acredita o técnico Gilson Kleina, está muito próxima e será fundamental para que o time engate uma sequência positiva na competição e deixe para trás o atual momento. “Vamos levantar o astral e trabalhar porque a primeira vitória vai nos dar confiança para deslanchar no campeonato. Já nos apresentamos nesta manhã de domingo focados e mobilizados contra o Operário. Tenho certeza que vou recuperar o moral desses jogadores, resgatar a confiança do torcedor e vamos dar uma resposta positiva na terça-feira. Quero essa energia e quero tirar esse negativismo de dentro da Ponte, criar um ambiente favorável, para que todas as correntes sejam positivas, com um vestiário forte. Sempre vivenciei a Ponte dessa maneira e é isso que a gente vai fazer”, diz o treinador.

O treinador ressalta que a Macaca tem evoluído em campo e está no meio de um processo de formação com a competição em andamento, como se estivesse trocando os pneus do carro com o automóvel em movimento. “É um processo e ainda não estamos conseguindo repetir formatação, mas estamos tentando achar equilíbrio e a tendência é evoluir. Se você pensar, ontem tivemos a estréia de Rodrigão e foi o segundo jogo de Kevin, Rafael Santos, Cleylton, e tomamos o gol quando estávamos na iminência de sair na frente, jogávamos melhor que o adversário”, pontua.

Kleina amplia um pouco a análise do dérbi 200. “Levamos um susto logo no começo, mas depois nos equilibramos. Tomamos gol num momento em que estávamos melhor e controlamos o segundo tempo, colocamos o adversário para trás , mas não conseguimos finalizar, apesar de lances importantes e de chance real, como as cabeceadas do Camilo e do Dawhan, o lance do Kevin na párea,  a jogada do Moisés, a finalização do Rafaele o lance em que a bola escapou do pé do Renatinho”, diz.

Ele conclui: “Não vi uma superioridade do adversário. Tivemos mais finalizações, posse de bola, passes certos, um resultado de igualdade teria sido mais justo. Estamos tristes, como toda nossa torcida, ,mas não adianta lamentar mais:  temos que assimilar, ter coragem, energia e confiança. É levantar a cabeça e trabalhar a cabeça dos atletas, o emocional. Vamos pegar um time que ganhou o último jogo e  quem fez o gol é quem estava aqui. Então vamos nos superar. A gente acredita no trabalho e na convicção e, para mim, o que está faltando é a primeira vitória para engrenarmos.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS