Rodrigão diz que está 100% e à disposição de Keina para o dérbi: “Estaremos bem focados e determinados para ganhar o jogo”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Com sede de gol, o atacante Rodrigão está feliz em estar na Ponte e quer balançar logo as redes pela Macaca. No jogo passado, o jogador vestiu a camisa alvinegra pela primeira vez, mas por apenas alguns minutos. Neste sábado, porém, a expectativa do atleta é jogar mais e, principalmente, marcar gols naquele que será o primeiro dérbi da vida dele.

“Estou muito feliz em estar aqui e sei que jogar dérbi é diferente, é um campeonato à parte. Estou 100% para jogar, vou me concentrar bastante e deixar na mão do professor definir o que é melhor, mas vamos estar bem focados e determinados para ganhar o jogo. Se Deus quiser vai dar tudo certo e a gente vai sair com a vitória”, enfatiza.

O atacante destaca que está muito animado para deixar sua marca com a camisa alvinegra. “Quero mostrar quem é o Rodrigão. Aqui na Ponte Preta o professor Gilson Kleina me deu essa oportunidade e quero trabalhar muito no dia a dia e colher frutos nos jogos”, pontua.

Perguntado sobre metas de gols, O atacante confidencia que se importa mais em marcar os gols e não na contagem deles.  “Não trabalho com meta, a cada gol vou em busca de gols e deixo tudo na mão de Deus. Se Ele me der 30 gols fico feliz”, afirma.

Contudo, Rodrigão admite ter pelo menos uma “mini-meta”. Sempre que jogou contra os times de Campinas, estando em outras equipes, o atleta pontuou. Contra a Macaca especificamente, foram cinco gols (dois pelo Bahia, em 2012, um pelo Avaí, em 2018, e dois pelo Coritiba, em 2019).

Então, o plano inicial é pelo menos “descontar” esses gols com a camisa pontepretana.  “Com certeza quero passar dos cinco que fiz contra a Ponte. Meu objetivo é poder dar alegria à torcida, fazer muitos gols e conquistar o acesso esse ano, se Deus quiser”, diz.

O esforço neste sentido, conta, tem como um combustível relevante a vontade de deixar definitivamente para trás o ano de 2020. “O ano passado foi difícil para mim, quebrei o quarto metatarso, tirei um tumor da caneca esquerda. Quero fazer história aqui e vou trabalhar muito pra isso acontecer. Na conversa que tive com o Gilson Kleina na minha chegada passei para ele confiança, passei o que eu realmente quero na Ponte: então agora é trabalhar firme e forte,  para termos resultados dentro de campo”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS