Erros de arbitragem impõem derrota da Ponte por 2 a 1 na estreia da série B;Macaca foca na reabilitação contra o Vasco no Majestoso

Foto: JeffersonAlves/Brusque

Dois erros grosseiros da arbitragem impediram um resultado positivo para a Ponte Preta em Brusque neste domingo (30): um pênalti polêmico e um gol injustamente anulado pelo juiz Felipe da Silva Gonçalves Paludo  fizeram com que a Macaca voltasse para Campinas sem três pontos ou, no mínimo , com um na mala. “A gente entende que o primeiro lance não foi pênalti. Aí a gente faz o gol de empate e ele dá uma falta em que um cara se joga dentro da área e anula nosso gol”, desabafa o zagueiro Ruan Renato.

O defensor completa: “Foi injusto, Mas a  gente não vai ficar falando de arbitragem: vamos focar na sequência do campeonato”, diz. A Ponte Preta teve um primeiro tempo com mais volume e a única chance real de gol, até que a marcação de um pênalti polêmico no último minuto colocou o adversário na frente.

No segundo tempo, o adversário ampliou, mas a Macaca diminuiu com um lindo gol de Camilo e chegou ao empate com Dawhan. Mas o juiz anulou o gol  irregularmente, marcando uma falta que não existiu.

 Já sob o comando efetivo de Gilson Kleina, a Ponte Preta volta a campo na tarde do próximo domingo (6) contra o Vasco da Fama, no Majestoso.

O jogo

A Ponte saiu atacando, já no primeiro minuto. Com Vini Locatelli, que foi parado pelo adversário com calço no pé, mas o juiz viu apenas uma trombada e não deu nada. Aos três, Camilo encontrou Paulo Sérgio, que cruzou de volta para ele na área, mas a zaga cortou de cabeça.

Aos seis, mais um bom lance de ataque da Macaca, mas no bate-e-rebate o juiz anotou um toque da bola na mão de Vini Locatelli. Aos nove, Camilo cobrou falta na segunda trave e Ruan Renato veio por trás para cabecear, mas a zaga cortou. Aos 13, lance perigoso do adversário, que o zagueiro Ednei cortou com segurança. Aos 22, Ruan Renato fez bom lançamento para Paulo Sérgio, mas a bandeirinha anotou impedimento.

Aos 23, bom lance rápido da Macaca, da sápida de bola até o ataque, que terminou com Renatinho fazendo levantou para Paulo Sérgio cabecear, mas o atacante – por muito pouco – não alcançou.  Na sequência, Paulo Sérgio foi parado com falta em lance de ataque. Aos 29, quase saiu o gol alvinegro, com Camilo recebendo lançamento pelo alto e matando a bola com classe perto da área. O meia finalizou para o gol, mas a bola saiu em linha de fundo, passando perto da trave adversária.

Aos 31, Camilo fez bom cruzamento para Paulo Sérgio, mas a zaga se antecipou e cortou. Aos 45, o árbitro enxergou um pênalti duvidoso em um uma dividida de Dahwan. Ygor Vinhas caiu certo, mas não conseguiu defender. 1 a 0 pros donos da casa e fim de primeiro tempo. A Macaca voltou para a etapa complementar em busca do empate e teve a primeira finalização aos dois, com Paulo Sérgio, mas a bola saiu por cima do gol.

Aos quatro, em lance de ataque, Renatinho tentou a virada dentro da área, mas foi bloqueado. Mas,  mas aos seis, o Brusque ampliou de cabeça. Aos oito, Dahwan pasou para Renatinho, que bateu para o gol, mas foi bloqueado. Aos 16, Niltinho, que havia acabado de entrar, foi parado com falta, a segunda em cima dele em menos de um minuto. Camilo cobrou com perfeição, em curva, e diminuiu a diferença: 2 a 1.

Aos 24, Camilo fez cruzamento para a área, mas o goleiro se antecipou e defendeu. O jogo ficou aberto e , aos 29, Ygor Vinhas espalmou bola perigosa do adversário, na melhor defesa do jogo. Aos 33, boa chegada da Macaca, co Felipe Albuquerque mandando para a área, mas a bola saiu e acabou nas redes do lado e fora. Aos 35, Dahwan fez bom passe para Felipe na área, mas o lateral – por pouco – não alcançou.

Aps 39, Niltinho chegou pela esquerda e pediu falta, mas o juiz deu apenas tiro de meta. Aos 43, nova jogada em velocidade com Niltinho, mas a zaga adversária conseguiu o desarme – e o jogo foi paralisado por câimbras de um jogador adversário . Aos 44, Dahwan cutou na área e ganhou escanteio. Na sequência, Dahwan marcou de cabeça, mas o juiz marcou falta de Rian Renato, antes da bola balançar as redes.

No último lance do jogo, os atletas da Macaca reclamaram de toque de mão do adversário na área, mas o juiz ignorou e não marcou pênalti, encerrando rapidamente a partida. “O gol da Ponte foi mal anulado: o contato de Ruan Renato não foi faltoso", afirmou Sandro Meira Ricci, na Central do Apito da SporTV. A imagem mostrou, inclusive, que o jogador do Brusque foi tocado pelo próprio companheiro – mas a série B não tem VAR e o jogo terminou com 2 a 1 no placar.

Ponte Preta:  Ygor; Felipe Albuquerque, Ednei, Ruan Renato e Jean Carlos; Dawhan, Vini Locatelli (Léo Naldi) e Camilo (Thalles); Renatinho (Pedrinho), Moisés (Niltinho) e Paulo Sérgio (João Veras). Técnico (interino): Sandro Forner

Brusque: Ruan Carneiro; Toty, Ianson, Éverton Alemão e Airton (Nonato); Rodolfo Potiguar, Zé Mateus, Bruno Alves e Alex Ruan; Edu (Jhon Cley) e Thiago Alagoano. Técnico: Jerson Testoni

Gols: Edu, de pênalti, aos 47 do primeiro tempo. No segundo, Edu aos seis, Camilo aos 20

Arbitragem : Felipe da Silva Gonçalves Paludo apitou, tendo Lilian da Silva Fernandes Bruno e Thiago Rosa de Oliveira como assistentes. O quarto árbitro foi William Machado Steffen.

Cartões amarelos: Alex Ruan (Brusque)

Cartão vermelho: Juvenilson (preparador físico da Ponte)

Jogo válido pela primeira rodada da série B do Brasileiro 2021, disputado no estádio Augusto Bauer, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS