Ponte luta, mas perde para o Novorizontino e agora o foco é total na série B, na qual estreia em 30 de maio contra o Brusque

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

A Ponte Preta tomou um gol no começo do jogo, lutou muito e fez um segundo tempo melhor que o adversário, mas acabou tomando o segundo gol quando estava em um bom momento em campo. Com o resultado, a Macaca não conseguiu conquistar o quinto Troféu do Interior e agora foca toda a atenção no principal objetivo do ano, ficar entre os quatro primeiros da série B – na qual estreia às 11 horas do dia 30 de maio, contra o Brusque, em Santa Catarina.

O jogo

A partida começo com um gol dos donos da casa logo aos três minutos. A Ponte reagiu e foi para cima. Aos cinco, Sérgio foi derrubado com falta no meio-campo. Camilo cobrou, mas a zaga cortou. Aos dez, Dawhan pegou sobra de bola e arriscou de longe, mas a bola saiu poela linha de fundo.

Aos 13, Apodi chegou ao fundo do campo e cruzou para a área, mas a defesa oponente tirou.  Aos 18, Moisés recebeu pela ponta esquerda, carregou para dentro da área e cruzou por baixo, mas mais uma vez a zaga barrou.  Aos 21, Camilo pegou sobra de bola, matou no peito e emendou de bicicleta, mas a bola subiu demais. Aos 22, Renatinho lançou para Paulo Sérgio na área, mas a zaga se antecipou.

Aos 26, Camilo tentou chegar pela ponta esquerda, mas foi impedido pelo adversário.  Aos 32,  Camilo cobrou falta perto da área e carimbou a barreira. Na sequência, Apodi foi  à linha de fundo e cruzou.  Moisés pegou bonito, de primeira, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Aos 37, Moisés invadiu a área pela esquerda, mas foi  travado por Bruno Aguiar na hora do cruzamento. Os jogadores da Ponte pediram escanteio, mas o juiz deu tiro de meta. Aos 40, Moisés cortou para o meio e chutou forte, mas a bola desviou na defesa e sobrou para o goleiro.

Aos 42, lance polêmico: Camilo cobrou escanteio para a área e a defesa cortou, com toqueno braço. O juiz, porém, interpretou que não houve  pênalti. No último lance da etapa inicial, Moisés recebeu de Camilo e fez cruzamento, mas o goleiro adversário se antecipou e pegou firme.

No segundo tempo, aos sete Moisés cruzou para João Veras, que tentou o cabeceio, mas a zaga mandou para escanteio. Aos 14, quase saiu o empate. Moisés cruzou e na sobra Dawhan chegou batendo para o gol, Camilo deu um leve toque na bola e quase encobriu o goleiro: a bola bateu no travessão e saiu pela linha de fundo.

Aos 21, Moisés recebeu lançamento de longe e bateu de primeira, mas o goleiro pegou. A Ponte estava em um melhor momento e parecia estar próxima do gol, mas quem ampliou foi o Novorizontino, aos 25, em jogada ensaiada após cobrança de escanteio. Aos 27, novo lance de perigo do adversário, com Ygor Vinhas salvando.

Aos 32, Moisés fez boa jogada, mas foi barrado pela zaga. Aos 33, Felipe Albuquerque chegou à linha de fundo e cruoua. João Veras ganhou pelo alto e cabeceou, mas a bola saiu por cima do gol. Aos 35, Moisés tocou no meio da área para Camilo, mas a defesa adversária antecipou. Na sequência, Moisés recebeu na esquerda, rolou para o meio da área e Renan Mota bateu de primeira, mas isolou.

Aos 47, Felipe Albuquerque cruzou na área, mas mais uma vez o goleiro se antecipou. Apesar de ter lutado até o final, o juiz apitou o final do jogo sem que a Macaca conseguisse marcar.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi (Bruno Michel), Luizão, Ruan Renato e Felipe Albuquerque; Vini Locatelli (Renan Mota), Dawhan, Renatinho (Jean Carlos) e Camilo; Moisés e Paulo Sérgio (João Veras). Técnico: Fábio Moreno.

Novo Horizontino: Giovanni; Felipe Rodrigues, Edson Silva, Bruno Aguiar e Paulinho; João Pedro, Léo Baiano (Adilson Goiano) e Murilo Rangel (Roney); Cléo Silva (Ricardo Silva), Danielzinho (Douglas Bággio) e Jenison (Guilherme Queiroz). Técnico: Léo Condé

Gols: Felipe Rodrigues, aos três do primeiro tempo; EdsonSilva, aos 25 do segundo.

Arbitragem: Douglas Marques das Flores apitou, Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Alex Ang Ribeiro. Thiago Luiz Scarascati foi o quarto árbitro e o VAR ficou a cargo de Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Cartão amarelo: Adilson Goiano

Final do Troféu do Interior, realizada no estádio Jorge Ismael de Biasi, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS