Ponte se concentra em Catanduva e Fábio Moreno ressalta: “Seguimos trabalhando com humildade para quebrar tabus e prognósticos negativos, fazer uma grande partida e sair com a vitória e o título”

Foto:PontePress/DiegoAlmeida

A Ponte Preta treinou nesta manhã e, no início da tarde, já seguiu para Catanduva (cidade localizada a cerca de 45 minutos de Novo Horizonte), onde ficará  concentrada para a final do Troféu do Interior. Para conquistar o quinto título alvinegro na história da competição, a Macaca precisa vencer – no jogo marcado para as 19h15 de quinta-  um tabu de 33 anos, período em que não ganha do Novo Horizontino na casa adversária. E é justamente isso que o técnico Fábio Moreno e o elenco querem fazer.

“Vamos enfrentar uma grande equipe, bem treinada, que vem de uma goleada e com essa dificuldade histórica de não vencer lá há mais de três décadas. Só que futebol não tem muito prognóstico, toda vez que se tenta prever um resultado a chance de erro é grande, porque se lida com seres humanos, existe o poder da superação, do empenho. Antes do dérbi, quase 80% das pessoas achavam que íamos ser goleados, mas vencemos. Contra o Bragantino, achavam que seríamos eliminados, e prevalecemos. Então seguimos trabalhando com humildade pra pouco a pouco irmos quebrando tabus e prognósticos negativos, fazer uma grande partida e sair com a vitória e o título”, diz o treinador.

O jogo de amanhã será o último da Macaca no campeonato e, curiosamente, o primeiro no Paulistão 2021 foi justamente com  o Novorizontino na casa adversária (um empate em 1 a 1). Moreno faz uma análise sobre a evolução da Ponte neste período. “No primeiro jogo já enfrentávamos dificuldades , pois estávamos montando o plantel, em meio a um projeto ambicioso implantado com corte de investimentos. Já tínhamos superado alguns problemas com a Covid e depois enfrentamos surto sério, mais de 30 pessoas afastadas e, no período de paralisação, quando outras equipes estavam treinando, nós ainda estávamos nos recuperando da infecção. Mesmo sem tempo de treino, tivemos que ir ajustando, trabalhando a realidade com humildade e seriedade para evoluir gradativamente para chegar a essa final ,que tem grande importância para a instituição, para mim como técnico e para os atletas que querem dar um retorno ao torcedor.”

Sobre o confronto de amanhã, Moreno antecipa. “Estamos nos preparando para uma partida importante e dura, pois o Novo Horizontino é um grande adversário, que mantém a estrutura no decorrer das competições, tem projeto que vem dando resultado e campanha positiva nos últimos dois anos pelo menos, tem grande força física. A postura que eu espero da nossa equipe é a mesma que tivemos contra o Botafogo e o Bragantino, buscando o resultado positivo o tempo todo”, diz.

Neste sentido, o treinador relembra um pouco sobre os dois jogos citados. “EM Ribeirão Preto, tivemos controle total do jogo e pelo menos sete chances reais de gol. Em Bragança, mesmo fora, foram  duas equipes buscando resultado e tivemos muitas chances, inclusive três ou quatro só no último terço da partida. Esperamos o mesmo empenho e saber trabalhar defensivamente sob pressão, saber atacar, sermos tanto reativos quanto propositivos e resolver no tempo regulamentar”, afirma.

Moreno também já antecipa que terá a ausência de Niltinho, ainda se recuperando de um edema na coxa. “Não sou adepto de sigilo ou mistério, o pessoal deles com certeza já estudou nossa equipe, assistiu nossas partidas, não é isso que vai definir resultado. Devemos manter a mesma equipe do jogo passado, fazendo correções e ajustes necessários. O Niltinho ainda está se recuperando, ele vem de realidade da Europa, onde são poucos jogo numa sequência, e  está se ajustando à realidade do Brasil.  Um jogador rápido, de explosão, normalmente sofre um pouco mais em jogos seguidos. Então todo cuidado com ele é necessário para contarmos com ele na série B, que já está batendo na porta”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS