Locatelli, que converteu o pênalti que consolidou a vaga na final, destaca: “Vamos armar nossa melhor estratégia para fazer um grande jogo e sair com o título”

Foto:PontePress/DiegoAlmeida

De olho na final do Troféu do Interior, marcada para as 19h15 desta quinta-feira (20) contra o Novorizontino, a Ponte Preta treinou nesta tarde pensando apenas em uma vitória para conquistar o quinto Troféu do Interior da história da Macaca, o prêmio de R$ 252 mil e uma vaga na Copa do Brasil de 2022. Autor do gol que selou a conquista da vaga para a final, o meia Vini Locatelli destaca a importância da concentração e do bom planejamento para vencer o oponente na partida que será realizada em Novo Horizonte.

“O Novorizontino vem fazendo grande campeonato, vi a semifinal deles contra o Ituano, eles têm contra-ataque muito forte, jogadores muito rápidos. Precisamos armar nossa melhor estratégia para fazer um grande jogo e sair com o título. E temos que entrar mais concentrados, mais ligados para o adversário não chegue ao nosso gol , que em vez deles nós façamos o primeiro gol, porque isso é muito importante para o desenrolar da partida”, pontua.

Para o atleta, a Macaca precisa trabalhar duro inclusive para vencer no tempo normal, evitando se possível a definição nos pênaltis, como ocorreu nos jogos de quarta e semifinais. “A gente vem fazendo bons jogos, criamos chances reais, mas infelizmente não conseguimos concluir no tempo regulamentar e fomos aos pênaltis. Esperamos conseguir finalizar de maneira eficiente nesta final e concluir no tempo normal”, diz.

Se a decisão for nos penais, porém, Locatelli tem confiança nas cobranças alvinegras – e não à toa, afinal o aproveitamento alvinegro no quesito está muito positivo, de 90% (em 20 pênaltis cobrados nos últimos jogos, foram 18 acertos). “A gente mantém a confiança treina para isso e consegue concluir”, comenta.

O jogador conclui falando sobre o fato de ele próprio estar apresentando uma evolução dentro da equipe e comenta sobre a própria posição em jogo. “Tanto eu quanto a equipe vem evoluindo a cada jogo. Eu acho que o atleta deve pensar que nunca está no ápice, sempre pode melhorar e espero que esse crescimento continue pra fazermos uma grande final e começarmos bem o Brasileiro. Quanto à posição, eu sempre joguei em todas ali no meio, falo então onde o Fábio Moreno precisar, seja meia, primeiro, segundo volante, enfim, estou à disposição.”

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS