Com vaga mais uma vez definida nos pênaltis, Ponte vence o Red Bull Bragantino por 4 a 2 e está na final do Troféu do Interior

Foto: RBB/AriFerreira

Em um jogo em que a Ponte saiu atrás, mas dominou a segundo etapa, empatou e teve chances de virar,  mais uma vez terminou tudo igual no tempo regulamentar e a decisão da vaga nas finais do Troféu do Interior foi para os pênaltis. E, assim como fez na etapa anterior, a Macaca superou o adversário, desta vez vencendo por 4 a 2, com Ygor Vinhas defendendo uma das batidas do adversário e Vini Locatelli selando a conquista alvinegra – antes dele, converteram pela Macaca Dawhan , João Veras e Bruno Michel.

“Desde a base sempre bati pênalti e fiquei feliz em poder marcar este hoje. Nosso grupo está todo de parabéns. Vamos em busca de um grande jogo contra Novorizontino ou Ituano, para buscar o título”, ressalta Locatelli. O adversário da Macaca será definido em partida amanhã (17) e a final do Troféu do Interior está prevista para ocorrer na noite de quinta-feira.

O jogo

A partida começou com poucos espaços em campo e as equipes alternando a posse de bola, sem que ninguém conseguisse finalizar. Aos três, porém, os donos da casa chegaram ao gol, em jogada rápida. A Macaca foi pra cima e por pouco não empatou já aos cinco: Moisés cortou para o meio e soltou um petardo, que desviou na zaga e saiu em escanteio.  Camilo cobrou baixo e a defesa cortou.

Aos 15, Apodi cabeceou bola na área. Ela desviou na zaga e os jogadores da Macaca pediram pênalti, mas o juiz mandou seguir. Aos 19, Renatinho mandou para Apodi dentro da área. O lateral girou e finalizou no canto direito, mas o goleiro oponente fez boa defesa.

 Aos 21, Camilo cobrou falta perto da área, mas a bola explodiu na barreira. Na sequência, Apodi fez cruzamento pela direita e o Bragantino tirou em cima da hora. Aos 30, Camilo bateu falta com perfeição, no canto direito do gol, mas o camisa 1 adversário espalmou para escanteio evitando o empate certo.

Na sequência, Apodi roubou a bola no campo de ataque, imprimiu velocidade até o fundo do campo e arriscou um bom chute ao gol, que foi espalmado para escanteio.  Aos 39, Paulo Sérgio recuperou bola no ataque e chutou, mas mais uma vez o goleiro segurou. Aos 48, o juiz apitou o final do primeiro tempo, com os donos da casa na frente.

A Ponte voltou acesa no segundo tempo e encontrou o gol já aos oito minutos. Moisés soltou uma bomba de dentro da área e o goleiro oponente espalmou. Paulo Sérgio, praticamente colado no camisa 1, disputou bola e empurrou pro gol. 1 a 1.

A Ponte seguia pressionando e jogava melhor na etapa complementar. Aos 25, quase saiu a virada. Thalles cobrou falta no bico da área, mandando na segunda trave e por pouco Ruan Renato não mandou pra dentro de cabeça. A bola saiu em escanteio. Thalles cobrou e João Veras tentou marcar, mas o goleiro adversário ficou com ela.

Aos 32, Ygor fez duas belas defesas seguidas, impedindo o gol adversário. No minuto seguinte, o camisa 1 mais uma vez pegou chute perigoso.  Aos 37, Dawhan saiu para o ataque foi parado com falta. Aos 39, Bruno Michel matou bem a bola e foi parado com falta.Dahwan cobrou, a bola desciou na barreira e Bruno Muchel conseguiu complementar com chute na área, mas o goleiro segurou.

Aos 43, em lance de contra-ataque, Bruno Michel encontrou Thalles, que saiu em disparada e chutou, mas acabou isolando. Aos 46, Moisés chegou a balançar as redes, ma so juiz impugnou o lance porque pouco antes houve chute no braço de João Veras. Aos 49, lindo lance de Bruno Michel na área adversária, conseguindo achar espaço entre dois adversários para chutar com força, mas o goleiro adversário conseguiu pegar. O juiz apitou o fim do jogo na sequência e mais uma vez a vaga foi para a decisão nos pênaltis.

O primeiro a bater pela Ponte foi Dawhan, com paradinha, e balançou as redes.  Lucas Evangelista cobrou pelo adversário e empatou. João Veras cobrou o seguinte com cavadinha e colocou a Ponte na frente mais uma vez. Na cobrança seguinte do adversário, Pedrinho chutu e Ygor Vinhas defendeu, deixando a Macaca em vantagem.

Bruno Michel veio na sequência e fez três a um. Hurtado cobrou o seguinte do adversário e fez 3 a 2. Thalles cobrou o seguinte e foi a vez do goleiro adversário defender. Cuello, porém, errou o penal seguinte e a Macaca permaneceu na frente.  Vini Locatelli então cobrou o último e balançou as redes, fazendo 4 a 2 e garantindo a Macaca na final.   

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi (Marcos Júnior), Ruan Renato, Luizão e Felipe Albuquerque; Dawhan, Vini Locatelli e Camilo (Thalles); Moisés, Renatinho (Bruno Michel) e Paulo Sérgio (João Veras). Técnico: Fábio Moreno.

Red Bull Bragantino: Júlio César; Weverton (Luís Phelipe), Realpe, Natan e Weverson; Cuello, Luan Cândido (Lucas Evangelista)  e Pedrinho; Helinho (Ricardo Ryller), Chrigor (Leandrinho) e Gabriel Novaes (Hurtado). Técnico: Maurício Barbieri.

Gols: Chrigor, aos três do primeiro tempo; no segundo, Paulo Sérgio aos oito.

Nos pênaltis: pela Ponte, marcaram Dawhan , João Veras, Bruno Michel, Vini Locatelli . Pelo RBB, Lucas Evangelista e Hurtado.

Arbitragem: Salim Fende Chavez apitou, com Daniel Luís Marques e Alex Alexandrino como assistentes. Fabiano Monteiro dos Santos foi o quarto árbitro. O VAR ficou a cargo de José Claudio Rocha Filho.

Cartões amarelos: Apodi, Camilo, Thalles, João Veras, Bruno Michel (Ponte); Luís Phelipe (RBB)

Partida válida pelas semifinais do Troféu do Interior, disputada no Nabi Abi Chedid, sem público nem renda em virtude da pandemia.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS