Em jogo com 15 cobranças de pênaltis para cada lado, Ygor Vinhas garante a Ponte Preta nas semifinais do Troféu do Interior: Macaca venceu por 14 a 13, com goleiro alvinegro marcando um e defendendo dois

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Emoção foi o que não faltou. Em um jogo que terminou empatado no tempo regulamentar, apesar do maior volume de jogo e domínio alvinegro, a definição da vaga nas semifinais foi para os pênaltis. E, ao todo, foram 15 cobranças para cada lado, com a Ponte conquistando o direito de disputar a próxima etapa ao vencer por 14 a 13.

 O destaque, então, foi do goleiro Ygor Vinhas, que marcou o pênalti que cobrou e defendeu outros dois. “Foi nervosismo para todo lado, a gente não imaginava que ia chegar onde chegou. Com todo respeito ao Botafogo, no tempo regulamentar, pelo volume de jogo e chances que criamos, merecíamos a vitória. Mas fomos felizes nas cobranças dos pênaltis e agora é pensar em conquistar a vaga nas finais”, pontua o camisa 1 alvinegro.

A princípio, a disputa das semifinais do Troféu do Interior está prevista para segunda-feira, porém a Ponte ainda não sabe quem será o adversário. A definição do oponente sairá de acordo com o resultado das quartas de final do Paulistão: se o Bragantino perder para o Palmeiras, será o adversário da Macaca. Já se o time de Bragança avançar e a Ferroviária perder do São Paulo, o encontro será com  o time de Araraquara. Por fim, caso os dois times do interior passem às semifinais do Paulistão, a Macaca vai encarar o Novorizontino.

O jogo

A Ponte começou forte o primeiro tempo, no qual foi superior e criou diversas chances de gol.  Logo no primeiro minuto, a Macaca já chegou ao campo adversário e o goleiro adversário interceptou o lance. Aos quatro, lance de rapidez de Apodi, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Aos oito, falta em Niltinho e, na cobrança, por pouco não saiu o primeiro gol, cabeceio venenoso de Dawhan, que acou nas redes pelo lado d fora. Aos 12, o mesmo Dahwan passou para Paulo Sérgio, que foi bloqueado na conclusão do lance. No minuto seguinte, Moisés recebeu na entrada da área e chutou, mas a bola foi travada pela zaga. Na sequência, Paulo Sérgio arriscou chute forte, de longe, e carimbou a zaga.

Aos 16, mas uma ótima chance. Niltinho recebeu de Dawhan, passou por dois marcadores e tocou rasteiro na área. Apodi se esticou para concluir a bola acabou sendo colocada para escanteio.  Três minutos depois, Niltinho mais uma vez chegou a área e ganhou novo escanteio. Na cobrança na área, o zagueiro oponente quase marcou contra ao cortar a bola.

Aos 29, Vini Locatelli passou por dois e foi parado com falta. Camilo cobrou caprichado, com efeito,  e a bola bateu na forquilha do gol adversário, por pouco não balançando as redes. Aos 37, Dawhan fez ótimo lançamento para Apodi, que matou no peito, mas foi desarmado na hora do chute.

Aos 40, nova chance alvinegra, com Niltinho chutando e a defesa saindo para escanteio. Aos 42, Camilo recebeu de Locatelli e arriscou de longe, para defesa do goleiro adversário. No minuto seguinte, Camilo chutou mais uma vez ao gol e a zaga desviou. Aos 47, o juiz marcou o final do primeiro tempo.

No segundo  tempo, a Ponte já criou uma ótima chance logo aos três. Apodi fez ótimo cruzamento e Camilo, na área, cabeceou para o chão. A bola quicou no chão e ganhou muita altura, saindo por cima, raspando o travessão. Aos cinco, Camilo chutou forte, de longe, mas o goleiro pegou. Aos oito, boa jogada com Niltinho e Moisés, mas a zaga conseguiu o corte.

Aos 12, Renatinho fez lançamento para Moisés que, na área, chutou para ogol, mas o goleiro adversário tirou de soco. Aos 16, Apodi recebeu lançamento e tentou cruzar, mas a bola ganhou muita força e saiu. Aos 18, Renatinho foi desarmado na hora do chute, na área, ganhando escanteio. Aos 22, Niltinho invadiu a área e chutou forte, mas o goleiro defendeu.

 No minuto seguinte, Dahwan arrancou com a bola e foi parado com falta, a poucos passos da área. Na cobrança, Niltinho chutou, mas acabou isolando. Sob pressão constante, o Botafogo começou a tentar ganhar tempo para levar o jogo aos pênaltis, com quedas no chão sem razão.

Aos 33, Ygor Vinhas fez bela defesa em jogada perigosa do adversário. Aos 36, boa trama de ataque alvinegra, mas a zaga adversária conseguiu cortar.  Aos 39, o oponente parou o ataque alvinegro com falta em Renatinho. Na sequência, Felipe Albuquerque pegou forte fora da área e mandou perto da trave. Aos 40, Apodi foi derrubado perto da grande área. Renatinho cobrou, mas ela saiu por cima do gol. Aos 48, o juiz marcou o fim do jogo, levando a decisão aos pênaltis.

A Ponte começou as cobranças com Camilo, que converteu o dele, bola num canto e goleiro no outro. 1 a 0. Neto Pessoa cobrou o do Botafogo e Ygor caiu para o lado certo, mas sem chance de pegar. Dawhan cobrou o segundo da Macaca e converteu, colocando a Ponte na frente mais uma vez. Renatinho cobrou o segundo do adversário e Ygor Vinhas defendeu. 2 a 1.

Renan Mota cobrou o terceiro da Macaca e ampliou: 3 a 1.  Pará cobrou o seguinte pelo oponente e Ygor caiu para o lado certo mais uma vez, mas não conseguiu pegar. 3 a 2.  Renatinho cobrou o seguinte, mas desta vez foi o goleiro adversário que defendeu, mantendo o placar.

Martinelli cobrou o seguinte e deixou tudo igual de novo. Bruno Michel veio na sequência e fez o dele: 4 a 3.  Mas Rafael Marques cobrou na sequência e, raspando no travessão, empatou. 4 a 4 na cobrança inicial. Felipe Albuquerque deu início às cobranças alternadas e marcou o dele. Marlo cobrou o do Botafogo e empatou de novo em 5 a 5.

O canhoto Ruan Renato cobrou na sequência e, com força, deixou o dele.  Fabão cobrou o seguinte e igualou o placar mais uma vez. Na oitava cobrança, Locatelli guardou o dele. Bruno Santos cobrou para o Botafogo novamente e marcou 7 a 7.

Couve a Luizão cobrar o seguinte, em chute indefensável, 8 a 7.  Matheus Santos cobrou o seguinte e igualou de novo. Apodi chutou a décima cobrança da Ponte e fez 9 a 8. O último jogador de linha do Botafogo a cobrar foi Caetano, que também marcou, apesar de Ygor Vinhas ter caído certo. Os goleiros, então, cobraram. Ygor Vinhas cobrou e marcou: 10 a 9.  O goleiro Caio cobrou raspando na trave, mas também converteu: 10 a 10.

As cobranças reiniciaram com Camilo, que fez o segundo dele. Neto Pessoa cobrou e também marcou mais uma vez. 11 a 11. Dawhan fez a décima terceira cobrança, com paradinha, e fez. O Botafogo mudou a ordem das cobranças e colocou Rafael Marques na sequência, com Ygor caindo de novo para o lado certo, mas sem conseguir alcançar:  12 a 12.

Renan Mota veio na sequência e fez o 13º da Ponte, com precisão. Pará veio depois e deixou tudo igual. A vez então foi de Bruno Michel, que converteu o segundo dele, dando os números finais ao jogo, 14 a 13, já que Martinelli cobrou o último do Botafogo e Ygor Vinhas defendeu, garantindo a Macaca nas semifinais do Troféu do Interior.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi, Rayan (Luizão), Ruan Renato e Felipe Albuquerque; Vini Locatelli, Dawhan, Niltinho (Renan Mota) e Camilo; Moisés (Bruno Michel) e Paulo Sérgio (Renatinho). Técnico: Fábio Moreno.

Botafogo: Caio Bolonhin; Marlon, Fabão, Matheus Santos e Pará; João Pedro, Luan (Bruno Rafael)  e Renatinho; Martineli, Luketa (Rafael Marques) e Neto Pessoa, Técnico: Argel Fuchs.

Gols – Nos pênaltis, marcaram para a Ponte Preta: Camilo (2), Dawhan (2), Renan Mota (2), Bruno Michel (2), Felipe Albuquerque; Ruan Renato, Vini Locatelli, Luizão, Apodi e Ygor Vinhas.

Para o Botafogo: Neto Pessoa (2), Pará (2), Martineli, Rafael Marques (2), Marlon, Fabão, Bruno Rafael, Matheus Santos, Caetano e Caio.

Arbitragem:  Adriano de Assis Miranda apitou, com  Risser Jarussi Corrêa e Amanda Pinto Matias como assistentes. O quarto árbitro foi Fabiano Monteiro dos Santos e o VAR ficou sob o comando de Pericles Bassols Pegado Cortez.

Cartões amarelos: Niltinho, Felipe Albuquerque, Bruno Michel  (Ponte), Renatinho (Botafogo)

Jogo válido pela primeira partida do Troféu do Interior, no Majestoso, sem público (nem renda) por causa da pandemia.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS