Niltinho dá a letra para o Troféu do Interior: “A Ponte Preta é grande, em qualquer que seja o campeonato, a Ponte entra pra ser campeã”

Foto:PontePress/DiegoAlmeida 

Em um jogo único, em que quem vencer (no tempo normal ou nos pênaltis) segue em frente na luta pelo Troféu do Interior do Paulistão 2021, a Ponte Preta enfrenta na noite desta quinta-feira o Botafogo-SP. Vencer o torneio vale não apenas o título e a premiação financeira, como também garante uma vaga para a Copa do Brasil do ano que vem. Por essa razão, o objetivo é vencer e o atacante Niltinho dá a letra.

“Sabemos que em qualquer campeonato em que entrar, a Ponte entra pra ser campeã. Somos grandes. E sabemos que enfrentaremos também um grande adversário, mas estamos estudando o oponente e corrigindo os erros que cometemos para que não ocorram mais. Vamos nos dedicar e estamos confiantes na conquista da vitória”, afirma.

O atleta ressalta que a Macaca está totalmente focada na partida de amanhã (13). “Vamos passo a passo, o pensamento agora é no Botafogo. Sabemos que a série B está ali na frente, será uma competição disputada e complicada, mas estamos focados na quinta-feira. Até porque nossa eliminação na Copa do Brasil neste ano foi precoce, então é conquistar a vitória para seguir em frente, rumo ao título, e chegar de novo à Copa do Brasil o quanto antes”, diz.

Em relação à instabilidade de desempenho do elenco, o atacante acredita que o remédio é trabalho e confiança. “A inconstância é corrigida com treinamento, aperfeiçoando a cada dia, um passa a conhecer melhor os moimentos do outro melhor e temos que ter confiança, eu no me companheiro, meu companheiro em mim. Só assim as coisas vão dar certo e a Ponte Preta  vai crescer. Sabemos que com a maratona de jogos o Fábio mal teve possibilidade d etreinar, mas  estamos trabalhando nisso e vamos ter um período um pouco maior para isso antes do início da série B”, destaca.

Vontade de Dérbi

Antes de vir para a Ponte Preta, Niltinho estava no futebol Português, onde enfrentava uma rotina de três a quatro jogos por mês – na Ponte, desde que chegou, o atleta computa cerca de oito partidas no mesmo período.  “Por isso tenho que me cuidar bem, me alimentar corretamente,me empenhar para ter uma sequência de jogos em em alto nível”, pontua.

Mesmo com todos esses cuidados, o jogador acabou indo parar no hospital na antevéspera do dérbi, com uma intoxicação alimentar forte, que poderia tê-lo impedido de disputar o clássico. Ele conta, porém, que a vontade de atuar no que seria a vitória alvinegra no dérbi 199 foi maior. “Sei da grandeza do confronto, da importância dele. Então, independentemente de eu estar internado, a vontade de entrar e jogar era muito grande. Isso me deu mais energia e determinação para voltar e ajudar a Ponte a vencer esse grande clássico”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS