Moreno quer equipe forte e com máxima seriedade contra o Palmeiras

Foto: PontePress/DiegoAlmeida

A Ponte Preta faz neste domingo, às 16 horas, o último confronto pela primeira fase do Paulistão 2021 – na sequência, sem ter chances de classificação, irá se concentrar em vencer o Torneio do Interior da competição. O técnico Fábio Moreno destaca que, por mais que o resultado desta última rodada não tenha mais influência na competição, o objetivo da Macaca é vencer mais uma em casa.

“A gente sabe da importância que é jogar no Moisés Lucarelli contra uma equipe campeã da Libertadores e que tem muito interesse na partida, assim como o Novorizontino, já que Palmeiras e o time de Novo Horizonte brigam pela segunda vaga do grupo deles. Vamos tratar o jogo com a maior seriedade e colcoar em campo uma equipe forte”, pontua o treinador  alvinegro.

Ele explica que fará eventuais alterações apenas no sentido de preservar algum atleta para a disputa do Interior, caso haja indicação dos Departamentos Médicos e de Fisiologia neste sentido. “Vamos preservar jogadores que tiverem qualquer risco de lesão, isso é óbvio e a gente faz sempre, na medida do possível minimizando os riscos para que na sequência aPonte Preta mantenha a estrutura  e visando os objetivos da instituição,  porque esse Troféu do Interior se torna importante para nós financeiramente e para garantir de antemão vaga na  Copado Brasil do ano que vem”, diz.

Moreno faz uma avaliação sobre o fato de a Macaca não ter conseguido pontuar para a próxima fase da competição (com a vitória da Ferroviária na quinta passada, a segunda vaga foi garantida ao time de Araraquara), fato que ocorreu com diversos outros times considerados favoritos em suas chaves, caso de Santos e, dependendo do resultado de amanhã, do próprio Palmeiras.

“A Ponte não deixou de se classificar com a vitória da Ferroviária, mas sim por outros pontos que não somamos, principalmente em casa.  A gente espera consiguir dar o retorno que a torcida espera na sequência, porque infelizmente no Paulista não conseguimos superar a tempo uma série de obstáculos na competição que enfrentamos. Talvez a gente tenha sido o clube que mais sofreu com a Covid, com infectados na comissão, incluindo eu, e quase a totalidade do elenco. Isso fez boa parte dos treinos ser perdido, na paralisação mesmo a gente teve muitos jogadores em isolamento, sem poder treinar, e a recuperação é mais demorada. Isso gerou uma série de resultados ruins que dificultou nossa ascensão”, relembra.

Ele destaca, porém, que as metas da Ponte vão além do Paulista em si. “Todo campeonato que a Ponte entra, a gente inicia com grandes pretensões, vai entrar pensando no melhor, pensando em vencer. Mas  pelo que foi planejado e por todos os obstáculos, com a reestruturação financeira que também foi necessária, a gente sabia das dificuldades que enfrentaria. Contudo não estamos focando no imediato, é um projeto que pensa o melhor para a Ponte não só a curto, mas a médio e longo prazo também. A gente tem expectativa sempre, mas com os pés no chão, sabendo que vai render os frutos necessários e esperados, e que a Ponte vai conseguir alcançar os objetivos dela”, afirma.

Brasileirão da série B

Sobre p Campeonato Brasileiro da Série B, que se inicia no final de mio, Moreno pondera. “ É uma Série B que todo mundo está falando que vai ser a mais forte dos últimos anos, e eu compartilho dessa ideia pela quantidade de clubes tradicionais que participarão. Mas a Ponte é um deles, todo ano entramos como candidatos ao acesso e nesse ano não vai ser diferente”, diz.

Eleacrescenta: “A gente espera um campeonato duro e acredita que a Série B se ganha dentro de casa, se impondo em casa, como foi no dérbi, para depois administrar fora. É preciso entender a competição e, claro, também buscar os pontos também como visitante. É essa combinação que a gente entende que fará a Ponte subir para a Série A.

Ele conclui falando sobre o dérbi vencido pela Macaca por 3 a 1, o terceiro de Moreno como treinador (invicto, com duas vitórias e um empate). “A gente vem de grande vitória contra o nosso rival. Todos dizem que é um campeonato à parte e sabemos que essa vitória dá um pouco de tranquilidade. A gente não conseguiu alcançar as quartas de final, mas defender as cores da Ponte é sinônimo de respeito e dedicação, independentemente do campeonato, e tenho muita confiança que os frutos, com os ajustes necessários, virão na sequência, na Série B. Tenho certeza disso, até porque essa equipe, esses jogadores já deram mostras do que podem produzir”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS