Dérbi 199 é da Macaca! Com dois gols de Moisés e um de Paulo Sérgio, Ponte vence por 3 a 1 e se mantém viva na briga pela classificação

Foto:PontePress/Álvaro Jr.

Com dois belos gols de Moisés e um pênalti bem cobrado por Paulo Sérgio, a Ponte Preta venceu por 3 a 1 o dérbi 199. O resultado matém a Macaca na luta pela classificação, com 13 pontos, a dois da Ferroviária – que precisa tropeçar amanhã contra o Ituano para a equipe alvinegra permanecer com chances.

“A gente treina bastante, tem vários batedores de pênalti, mas conversei com o Camilo, pedi para bater. Nessas horas, tem que chamar a responsabilidade. Eu venho me cobrando bastante, todo mundo sabe da minha luta no dia a dia, acho que nunca fiquei tanto tempo sem marcar gol e fazer o primeiro com esta camisa em dérbi é muito especial”, diz o atacante Paulo Sérgio..

A Ponte volta a campo no domingo, dia 9, contra o Palmeiras – em horário a ser confirmado – mais uma vez no Majestoso. A partida será a última da Macaca na  primeira fase do Paulista.

O jogo

Aos dois, a Ponte chegou pela primeira vez, mas o juiz enxergou toque de mão de Camilo quando o meia matou a bola na área.  Aos sete, a Macaca construiu jogada pela direita, com Locatelli passando para Moisés. O atacante mandou para a área, visando Camilo, mas a bola saiu muito forte e o goleiro adversário defendeu.

Aos 11, Niltinho chutou forte e a zaga oponente afastou. Locatelli, que havia iniciado a jogada no campo de defesa alvnegro, chutou de longe, mas ela subiu muito. Aos 15, Niltinho cobrou falta na área, mas os pontepretanos não conseguiram se desvencilhar da defesa para chegar a tempo de concluir.

Aos 16, lançamento longo de Dawhan para Apodi, que dominou e entrou na área, mas acabou barrado em trombada com o adversário. Aos 18, Camilo fez bom cruzamento, mas a zaga afastou o perigo. Aos 20, Ygor Vinhas fez boa defesa, de soco, em bola perigosa do oponente. Aos 25, bom lance de lançamento de Ruan Renato para Niltinho, que mandou para Apodi subir de cabeça. A bola sobrou para Camilo, que rolou para Moisés chutar, mas ela acabou saindo por cima.

Aos 27, mais uma boa defesa, segura, de Ygor Vinhas em chute venenoso do adversário. Aos 31, Paulo Sérgio fez lançamento para Apodi, mas a defesa adversária cortou. Aos 34, foi a vez de Camilo lançar, mas mais uma vez houve o corte. Dois minutos depois, Niltinho levantou na área, contudo de novo a defesa tirou.

Aos 39, Camilo passou bem na área adversária e passou para Felipe Albuquerque, que tentou mandar para a área e ganhou escanteio. Na cobrança, bola na área que acabou nos pés de Apodi, mas ele não conseguiu concluir. Aos 41, o adversário chegou a balançar as redes, mas o gol foi feito em posição totalmente irregular e a arbitragem, corretamente, marcou o impedimento.

Aos 47, saiu o primeiro gol da Macaca, e só podia ser dele. Após bom lançamento de Apodi, Moisés pegou com firmeza e mandou no cantinho do gol, anotando o quinto dele no Paulista. 1 a 0 para a Ponte e, na sequência, o juiz apitou o fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, o adversário empatou aos três minutos, após contra-ataque rápido. A Ponte foi para cima e, em lance na área, Moisés caiu e pediu pênalti, mas o juiz não deu. No minuto seguinte, Niltinho foi parado com falta dura e o juiz deu amarelo. NA pausa, o juiz reviu no VAR o lance do Moisés e deu o pênalti para a Macaca.  Paulo Sérgio cobrou com perfeição, bola num canto e goleiro no outro: 2 a 1 para a Ponte, com o atacante marcando seu segundo gol no jogo e sexto no Paulista.

Aos 13, Dahwan foi parado em lance de ataque com entrada dura do adversário.  A Ponte explorava mais os espaços do adversário e tentava chegar ao terceiro, ao mesmo tempo em que seguia marcando fortemente o adversário. Aos 26, Camilo fez bom cruzamento para Apodi, do outro lado do campo, mas a defesa protegeu. Aos 27, Camilo foi parado com falta e o juiz deu vantagem, mas depois deu cartão amarelo para o adversário. Aos 29, após cobrança de escanteio, Apodi mandou uma bomba tirada de cabeça pelo adversário, mandando para novo escanteio.

Aos 31, saiu o terceiro. Rayan mandou para Apodi, que mandou de cabeça para Moisés. O atacante correu até o fundo, tirou o zagueiro e chutou, cruzado, um petardo mortal. 3 a 1. O adversário quis descontar aos 35, mas Ygor Vinhas fez ótima defesa. O jogo seguiu com algumas tentativas de ambos os lados, mas ninguém mais marcou e aos 50 o árbitro deu fim de jogo. Ponte 3 x 1 Guarani.

Após o apito final o árbitro ainda expulsou um atleta do rival por agressão a Niltinho depois do apito final.

 Ficha do Jogo

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi, Rayan, Ruan Renato e Felipe; Dawhan (Barreto) e Locatelli; Niltinho, Camilo (Marcos Júnior) e Moisés (Pedrinho); Paulo Sérgio. Técnico: Sandro Forner (em substituição a Fábio Moreno, suspenso)

Guarani: Rafael Martins; Pablo,Thales e Airton e Eliel; Bruno Silva, Índio (Tony) e Régis (Matheus Souza); Andrigo, Júlio César (Renanzinho) e Davó (Rafa Costa). Técnico: Alan Aal

Gols: Moisés, aos 47 do primeiro tempo; No segundo tempo, Davó aos três, Paulo Sérgio aos 11, Moisés aos 31

Arbitragem: Vinicius Gonçalves Dias Araújo apitou, tendo como assistentes Daniel Paulo Ziolli e Anderson José de Moraes Coelho. O quarto árbitro foi João Vitor Gobi. O VAR foi comandado por Marcio Henrique de Gois.

Cartões amarelos: Dawhan, Paulo Sérgio (Ponte); Júlio César, Rafael Martins, Pablo  (GFC)

Cartão vermelho (após terminada a partida):  Airton (Guarani)

Partida válida pela 6ª rodada do Paulistão, realizada no Majestoso, sem público (nem renda) em virtude da pandemia.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS