Ponte é superada pelo Bragantino e vai buscar reabilitação contra o São Caetano na quinta (22)

Foto: Ari Ferreira/RBB

A Ponte Preta queria a terceira vitória seguida, mas acabou sendo superada pelo Bragantino Red Bull na casa adversária, pelo placar de 2 a 0. Com o resultado, a Macaca se mantém na terceira posição da chave, três pontos atrás da Ferroviária, e vai buscar a reabilitação já na noite de quinta-feira (22), quando enfrentará o São Caetano em partida marcada para às 22h15.

"Nossa proposta de saída de bola, o Red Bull conseguia marcar bem, eles pressionavam bem. Quando ganha não é tudo bom e quando perde não é tudo ruim. É uma construção, não dá tempo de lamentar, já tem jogo quinta-feira", diz o capitão Camilo.

O jogo

A tônica do primeiro tempo foi dada logo no início da partida, com o Red Bull Bragantino vindo para cima e a Ponte atenta para AC chances de contra-ataque. A primeira delas veio aos três minutos, quando a Macaca recuperou a bola no campo de defesa e saiu rápido para o ataque. Moisés recebeu pela esquerda, driblou o lateral adversário e soltou um petardo rumo ao gol, mas a bola acabou passando pelo lado esquerdo, perto da trave.

Aos seis, ataque forte do RBB que parou em duas boas defesas de Ygor. Primeiro, o meia adversário  bateu no canto direito e o camisa 1 alvinegro fez a defesa. No rebote, Claudinho mandou uma bomba e Ygor defendeu, mandando para a escanteio. Aos sete, Barreto foi parado com falta dura, que gerou amarelo para o adversário. Aos oito, Camilo foi parado em lance de ataque com falta.

Os donos da casa seguiam pressionando e a Macaca buscando  chances de chegar ao gol do adversário, que também fazia várias faltas na marcação dos pontepretanos. Aos 34, Camilo fez bom lançamento para Moisés, que mandou para Paulo Sérgio. O atacante optou por devolver a bola a Camilo em vez de chutar, e a jogada acabou interceptada pela defesa oponente.

Aos 37, Ygor fez uma defesa espetacular em chute perigoso do adversário, e com a mão trocada mandou para escanteio. Na cobrança na área, porém, não teve jeito: o adversário marcou 1 a 0 de cabeça. No último minuto do primeiro tempo, Niltinho saiu em contra-taque, mas foi parado com falta.

No segundo tempo, aos cinco minutos Ygor defendeu um chute e não conseguiu segurar, e o adversário pegou o rebote e ampliou. 2 a 0. Aos sete, bom contra-ataque de Niltinho, que invadiu a área e acabou no chão após receber carga do adversário. Os atletas pediram pênalti, mas o juiz interpretou como lance normal de jogo e não usou o VAR.

Aos 17, Apodi saiu em velocidade e, após lançamento de Niltinho, mandou a bola para a área, mas ela desviou na defesa e acabou nas mãos do camisa 1 adversário. Aos 22, pressão da Ponte Preta, primeiro com Niltinho lançando a bola na área. Na sequência, Niltinho mais uma vez pegou a bola e partiu para o ataque, mas foi parado em lance semelhante ao pênalti não dado, ao receber carga por trás de jogador adversário. O juiz não deu nada.

Aos 23, Leo Naldi recebeu passe de Apodi e cruzou a bola para área. Thalles pegou e mandou uma bomba, exigindo uma defesa difícil do goleiro adversário. Aos 28, bom lance de ataque da Macaca, que terminou nos pés do atacante Paulo Sérgio. Ele entrou na área e se chocou com adversário, pedindo pênalti, mas acabou levando um cartão amarelo.

Aos 36, nova chance da Macaca, com Léo Naldi saindo em bom contra-ataque e passando para Mosiés, que foi travado na hora do chute. Aos 40, nova chance com Moisés finalizando, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 42, Apodi entrou na área adversária, chutou e ganho lateral. Na sequência, falta em cima de Pedrinho. Thalles cobrou na área, mas o Bragantino tirou. Na sequência Pedrinho recuperou a bola e mandou para Léo Naldi chutar, mas a bola saiu com muita força e subiu. Aos 44, foi a vez do adversário chegar mais uma vez com perigo ao gol da Ponte, mas Ygor Vinhas fez boa defesa, mandando para escanteio.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ygor; Apodi, Ruan Renato, Luizão e Yuri; Dawhan (Pedrinho), Barreto e Camilo (Thalles); Niltinho (Renan Mota), João Veras (Paulo Sérgio) e Moisés. Técnico: Fábio Moreno.

Bragantino: Cleiton; Aderlan (Rafael Luiz), Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Ricardo Ryller (Jadsom Silva) , Lucas Evangelista, Claudinho e Pedrinho (Luís Phelipe); Artur e Ytalo (Hurtado). Técnico: Maurício Barbieri.

Gols: Pedrinho (Bragantino), aos 37 do primeiro tempo; Ygor aos cinco do sgundo

Arbitragem: Salim Fende Chavez apitou, com Neuza Inês Back e Danilo Ricardo Simon Manis como assistentes. O quarto árbitro foi Ilbert Estevam da Silva e o VAR ficou a cargo de Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Cartões amarelos: Aderlan e Luís Phelipe  (Bragantino), Paulo Sérgio (Ponte Preta)

Jogo válido pela 11ª rodada do Paulistão,  realizado no estádio Nabi Abi Chedid,  sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS