Planejamento e eficiência: sob coordenação de Fábio Moreno, Ponte implementa padrão de estrutura e treinamentos no profissional e na Base

Foto:PontePress/DiegoAlmeida

Planejamento de atividades para períodos de 21 dias de treinamentos, sempre de maneira antecipada. Mesmo método de treinamento, tática, técnica e até perfil de atletas para o time profissional e os da Base. Interdisciplinaridade total entre  fisiologia, medicina, nutrição,preparação física, tecnologia. Todas essas ações fazem parte de um padrão de estrutura e treinamentos que a Ponte Preta está implementando no futebol, sob cooordenação  do técnico Fábio Moreno.

“Essa é uma demanda que o presidente Tiãozinho e a diretoria apresentaram a mim desde minha contratação como coordenador, em dezembro de 2019, e que vínhamos preparando. É um trabalho em conjunto, um projeto de muitas mãos que envolve diversos departamentos da Ponte e que vem sendo elaborada há tempos  e que calhou de eu ser o treinador e colocar em prática”, conta Moreno.

A ideia principal é gerar um padrão de estrutura e de treinos para os times da instituição. “Ao objetivo é colocar um padrão que exista em todas as categorias, de modo que o jogador que vem da Base chegue ao profissional já mais preparado, se aprimore dentro do que o time quer e precise. Ao mesmo tempo, tendo um padrão no profissional, no caso de trocas de treinador não vai se mudar radicalmente o que é feito: você não pode mudar drasticamente toda a maneira de pensar cada vez que chega alguém novo, porque se perde todo o processo de produção  e isso gera prejuízos para instituição. Então a ideia é montar a estrutura para que o trabalho continue fluindo independentemente de quem quer que esteja na ponta de lança”, diz.

Este Padrão Ponte, destaca Moreno, leva em consideração toda a estruturação de elenco, a maneira que se visualiza e entende o perfil dos atletas que a Ponte quer. “Levamos em consideração a forma de entender o clube, a necessidade inclusive financeira, o que a torcida espera, a história da Ponte. Para jogar na Ponte é esperado um determinado tipo de comportamento , parte tática, física, e ainda a psicológica, emocional, que é muito importante”, afirma.

Ele complementa: “Historicamente, se formos ver o grande ídolo de nosso clube, é um cara que foi extremamente técnico, cerebral, que foi Mestre Dicá. Ao mesmo tempo, nós, como torcida, temos outros jogadores que apresentaram em campo muita dedicação, transpiração, e foram referência pra nós, pra torcida. Então o jogador ideal para Ponte é aquele que tem uma maneira de jogar intensa, forte, de imposição física, que se dedica e tem personalidade, mas que tem qualidade quando está com a bola. Óbvio que outro Dicá é muito difícil encontrar, mas é nossa referencia. Então é juntar muita disposição e luta com técnica, e fomentar isso também desde a Base.”

Moreno acrescenta que este tipo de padrão para o futebol já é desenvolvido por equipes como Athletico Paranense, Flamengo e diversos clubes da Europa, entre os quais o Barcelona.  “Claro que estamos falando dentro das nossas capacidades, mas estamos trabalhando neste padrão, na montagem e estruturação de treinamentos e valorizando os profissionais, colocando todos em conjunto em uma força-tarefa multidisciplinar. Tudo para que esse Padrão Ponte Preta perdure e possa haver uma sequência, pois só com uma sequência de projeto e raciocínio vamos colher frutos duradouros”, conclui.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS