Moreno elogia empenho do time e enfatiza: “Vamos lutar até o final em cada partida que resta, independentemente da rodada mostrar se continuamos com chances ou não, é melhorar, continuar lutando, buscando sempre os três pontos”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

O resultado da noite desta quinta (21) tornou o acesso da Ponte Preta uma tarefa muito mais difícil, mas a luta da Macaca não vai parar. É o que garante o técnico Fábio Moreno, que elogiou o empenho do time no jogo contra a Chapecoense – a Macaca teve pênalti não-dado, jogou a maior parte do tempo com um jogador a menos e ainda assim teve chances reais de vitória – e afirmou que a dedicação e foco do elenco serão totais em conquistar duas vitórias nas rodadas derradeiras da série B.

“A motivação que temos é defender as cores de um grande clube centenário, honrar a camisa e continuar batalhando para dar retorno à nossa torcida: todos aqui são profissionais e estamos imbuídos em somar maior número de pontos. Vamos lutar até o final em cada partida que resta. Independentemente da rodada mostrar se continuamos com chances ou não, é melhorar, continuar lutando, buscando sempre os três pontos”, diz o treinador.

O comandante alvinegro enfatiza que nenhum atleta mediu esforços dentro de campo nesta noite em busca da vitória. “Precisamos valorizar o comportamento da equipe, que batalhou até o último segundo contra um adversário forte, qualificado, em um campo molhado. Mesmo com dez poderíamos ter feito gol, tivemos chances e continuamos lutando, não deixamos de lutar mesmo com um a menos, Isso tem que ser enaltecido, disse aos jogadores no vestiário do orgulho que senti ao vê-los em campo hoje, mesmo o resultado tendo sido tuim”, pontua.

Moreno fala um pouco mais sobre a postura do time em campo. “O resultado dificulta nossos planos, mas torcida sabe que estamos fazendo o máximo , nos dedicando para alcançar nossos objetivos. Temos que enaltecer o caráter, hombridade, luta e empenho que os atletas mostraram dentro de campo hoje, indo até o limite, buscando o gol mesmo na adversidade. Há um sentimento positivo pelo empenho dentro de campo. Apesar do sofrimento de não ter vencido, a torcida sabe identificar isso: o que ela mais cobra é empenho, luta, olhar de cabeça erguida o adversário e isso fizemos o tempo todo diante de um oponente que não é um adversário qualquer. Enfrentamos a líder dentro de Chapecó e fizemos grande partida, o resultado não mostrou o que foi o jogo.”

Moreno lembra que, logo aos três minutos, a Ponte teve um pênalti a seu favor não-marcado pelo juiz e, em relação à expulsão de Luan Dias, o técnico acredita que ela não deveria ter ocorrido. “No primeiro cartão o juiz foi rigoroso demais e isso foi definitivo para expulsão. Num campo molhado, jogo duro, forte, a gente cobra bastante o empenho e o Luan foi para disputar o lance, levantou muito o pé e realmente merecia cartão, mas seria um amarelo, se ele já não tivesse o anterior que, como disse, entendo ter sido equivocado”, afirma

Ter dez em campo obrigou o treinador a mudar a estratégia. “Lógico que jogar com dez contra um time como a Chapecoense dificulta o planejamento, precisamos ajustar. Mas não deixamos de lutar em de buscar o gol, criamos chances e tivemos o lance do jogo antes de pênalti. Agora é focar no CRB, vamos continuar buscando somar o maior numero de pontos”, afirma.

Moreno conclui falando sobre os jogos finais da competição. “Tanto a série B quanto a A nesse ano tiveram calendário muito mais apertados por causa da pandemia, tudo foi compactado pra caber o campeonato. Foram jogos um atrás do outro, tivemos sequências duras, problemas gerados pela Covid e ainda assim estamos chegando ao fim lutando, trabalhando forte. Não adianta remoer o passado, pensar no que deveria ter sido feito: temos que ter consciência de buscar o melhor, lutar, planejar a melhor maneira possível. Vamos seguir lutando, essa camisa é pesada, nós mesmos e a nossa torcida cobra por vitórias. Temos dois compromissos, não vamos deixar de lutar e buscar mais pontos.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS