Jogando com um a menos por mais de 45 minutos e com pênalti não marcado, Ponte perde por 1 a 0 para a Chapecoense

Foto:Márcio Cunha/ACF

Em uma partida em que a Ponte começou sufocando o adversário, mas teve pênalti não-dado logo aos três minutos e com um jogador expulso aos 39 do primeiro tempo, a Ponte fez uma partida de superação. Mesmo com um a menos por mais de 45 minutos, a Macaca conseguiu marcar bem e criar chances. Contudo, acabou superada pela Chapecoense com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, de pênalti.

O resultado deixa a conquista da vaga mais difícil, já que – com seis pontos em disputa – a Ponte fica a cinco do G4, na oitava posição. "A gente fez um grande jogo e tivemos oportunidade de marcar. Infelizmente ficamos com um jogador a menos no primeiro tempo e sofremos o gol no abafa, no finalzinho. Mas enquanto tivermos chances matemáticas, vamos lutar até o final”, diz o lateral Apodi. O time do técnico Fábio Moreno volta a campo às 18h15 deste domingo (24), no Majestoso, contra o CRB.

O jogo

A Ponte começou em ritmo intenso, pressionando o adversário.  Logo aos dois, Camilo ganhou na velocidade do adversário e foi parado com falta.  No minuto seguinte, Camilo mandou a bola para dentro da área, mas a defesa afastou. Na sobra, Matheus Peixoto chutou contra o gol e ganhou escanteio.

Na cobrança, bola na área e Dahwan foi empurrado. Pênalti, mas o juiz não deu. Aos sete,  Bruno Rodrigues levantou na área e a zaga afastou. Na sequência, Dahwan foi derrubado no bico da área. Camilo cobrou e a bola passou raspando no travessão, balançando a rede pelo lado de fora.

Aos 17, contra-ataque do adversário, mas Luizão desarmou. Aos 19, novo bom ataque da Macaca, que terminou com Apodi fazendo  cruzamento, mas a zaga afastou. Aos 29, bola na área para Peixoto, mas mais uma vez a defesa oponente cortou.

Aos 31, Camilo fez o levantamento pelo lado esquerdo do ataque da Macaca e o lance acabou interrompido pelo sistema defensivo chapecoense. Na sequência, lance do oponente no qual Ygor defendeu, tomou falta não-marcada pelo juiz e quase marcou no rebote. Aos 36, Zanocelo armou contra-ataque e a bola chegou em Peixoto, mas o juiz marcou um impedimento de maneira equivocada.

Aos 38, bela roubada de bola da Macaca e ataque rápido, com direito a caneta de Bruno Rodrigues, que culminou com chute forte de Apodi, que espirrou na defesa. No minuto seguinte, jogo parado para atendimento a Peixoto, que ficou com as travas do atlketa adversário marcadas de fora a fora no peito. Na sequência, Luan Dias deu entrada dura e tomou o segundo amarelo, sendo expulso na sequência.

Aos 45, a Chape veio para cima, chutou na trave e, no rebote, mandou uma bomba para defesa milagrosa de Ygor, que teve tempo de reação incrível e salvou usando as pernas. Aos 49, o juiz marcou o final do primeiro tempo, sem ninguém mexer no placar.

No segundo tempo, mesmo com um a menos, a Ponte saiu indo pra cima com Camilo, que foi derrubado com falta. Aos três, bola alçada na área adversária, Wellington Carvalho cabeceou, mas ela saiu por cima do gol. A Chape tentava chegar, mas a Ponte compensava o homem a menos com marcação perdigueira.  Aos nove, Bruno Rodrigues conseguiu girar no meio de três marcadores, mas acabou barrado na hora de chutar.

Aos 15, Ygor Vinhas fez defesa segura em cabeceada do adversário.  Aos 17, Mocelin fez cama de gato em Orobó, que caiu sobre o ombro. Na sequência, deu falta de ataque e levou amarelo. Aos 21, a Macaca saiu em cobtrataque rápido, com Apodi, que chutou firme. A bola rebateu na defesa e Camilo arrematou com a esquerda, para o gol. O camisa 1 oponente se esticou e jogou para escanteio.

Aos 29, Neto Moura levantou na área adversária e Orobó Du boa cabeçada, assustando o goleiro, mas abola saiu. Aos 33, Buno Rodrigues levou cabeceada em disputa de bola pelo alto e o juiz parou o jogo, mas não anotou falta. Aos 35, Pato armou contra-ataque e passou para Bruno Rodrigues, que tentou cruzar, mas a bola pegou muita força e saiu por linha de fundo.

Aos 46, grande chance em velocidade da Ponte, que terminou com chute de Pato à queima roupa, mas o goleiro oponente fez boa defesa. Aos 47, o juiz marcou pênalti em lance em que Apodi tentou tirar a bola dentro da área. E a cobrança foi impossível para Ygor segurar. Final, 1 a 0 para o adversário.

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi, Luizão (Ruan Renato), Wellington Carvalho e Yuri; Dawhan (Neto Moura), Vinícius Zanocelo e Camilo (Pato); Luan Dias, Matheus Peixoto (Orobó, depois Moisés) e Bruno Rodrigues. Técnico: Fábio Moreno.

Chapecoense: João Ricardo; Matheus Ribeiro, Felipe Santana, Luiz Otávio e Alan Ruschel (Roberto); Willian Oliveira, Ronei (Peroti) e Denner (Bruno Silva); Mike (Aylon), Anselmo Ramon (Foguinho) e Paulinho Moccelin. Técnico: Umberto Louser.

Gols: Perotti, aos 50

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo apitou o jogo, tendo como assistentes Lehi Sousa Silva e Evandro Bender. Leila Naiara Moreira da Cruz foi a quarta árbitra.

Cartões amarelos: Luan Dias, Dawhan, Orobó, Ruan Renato, Bruno Rodrigues, Wellington Carvalho  (Ponte), Alan Ruschel , William Oliveira, Paulinho Moccelin (Chapecoense)

Cartão vermelho: Luan Dias (Ponte)

Jogo realizado na Arena Condá,  válido pela 36ª rodada da série B do Brasileiro, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS