Com um a menos e pênalti legítimo não dado, Ponte perde por 1 a 0 para o Operário

 

Foto: : André Jonsson/OFEC

A Ponte Preta foi a Ponta Grossa em busca de um resultado positivo, tomou um gol no primeiro tempo e teve um pênalti legítimo não dado ainda na etapa inicial. No segundo tempo, a Macaca ficou com um home a menos logo no comecinho, com a expulsão de Ruan Renato, mas lutou com garra e criou boas chances, porém não conseguiu marcar.

“A gente está lutando, mas  infelizmente, mais uma vez por desatenção, tomamos gol no início. É trabalhar e trabalhar. Essa fase vai mudar, e a gente vai brigar pelo acesso ainda, com certeza”, diz o zagueiro  Wellington Carvalho.

Com o resultado, a equipe alvinegra permanece com 40 pontos e espera a conclusão da 29ª  rodada para saber como fica a tabela. A equipe comandada interinamente pelo técnico Fábio Moreno volta a campo no próximo sábado, às 19 horas, contra o Confiança – em partida na casa do adversário.

O jogo

O primeiro bom lance da Macaca no jogofoi logo aos quatro minutos, com Apodi. O lateral  recebeu em velocidade nas costas da defesa e cruzou, mas o goleiro oponente deu um tapa na bola e evitou a finalização de Camilo. Bruno Rodrigues tentou o rebote, mas o chute acabou nas mãos do goleiro do Operário.

No minuto seguinte, porém, saiu o gol do adversário. Após lance de bola aérea o oponente chutou contra o gol de Vinhas, que defendeu, mas a bola acabou nos pés do atacante oponente, que empurrou pra dentro do gol alvinegro. Aos nove, Camilo recebeu na entrada da área e tentou o empate, mas o goleiro do time paranaense defendeu.

Aos 16 minutos,  Bruno Rodrigues saiu em contra-ataque, mas foi desarmado. Na sequência, Apodi e Veras fizeram boa  tabela, mas no último passe do lateral, o goleiro se antecipou e pegou. Aos 24, Bruno Rodrigues driblou um jogador adversário pela ponta esquerda e cruzou, mas a defesa oponente afastou. Ruan Renato pegou o rebote no ataque e arriscou, mas não conseguiu concluir.

O Operário seguia recuado e a Ponte tentava criar chances. Aos 34, a Macaca chegou trocando passes pelo meio até Bruno Rodrigues tentar Apodi na ponta direita, mas a arbitragem marcou equivocadamente um impedimento. Dois minutos depois, Moisés saiu em alta velocidade e passou para Veras, mas ele não conseguiu alcançar.

Aos 44, blitz da Ponte na área adversária. Veras disputou bola na grande área e acabou descolando  o escanteio. Camilo cobrou na área e a defesa tirou, mas, no rebote, Veras disputou mais uma vez e a bola saiu pela linha de fundo. Na sequência, bate e rebate na grande área, após confusão da defesa adversária, e a bola ficou com Bruno Rodrigues, que sofreu pênalti claro do adversário, mas o juiz não marcou e encerrou o primeiro tempo na sequência.

A Ponte voltou ciente que precisava de um gol logo e foi pra cima antes mesmo do primeiro minuto, em lance que terminou com falta dura em cima de João Veras e cartão amarelo para o jogador adversário. No minuto seguinte, Oyama cruzou para Apodi, mas o arqueiro do Operário se adiantou e interceptou a bola.

Aos sete, a Macaca saiu em ataque rápido que terminou em escanteio. Lazaroni cobrou e novamente o adversário jogou para fora, mas na nova cobrança a bola acabou ficando com a zaga. Aos oito, linda cobrança de Lazaroni na área do adversário, com Bruno Rodrigues cabeceando e se chocando com a trave, mas a bola foi para fora.

Aos 12, Ruan Renato cortou ataque do adversário com firmeza e o árbitro marcou falta e expulsou o zagueiro alvinegro. Aos 27, Dawhan, que acabara de entrar, fez bela jogada inidividual e tenta avançou pelo meio em rapidez, chegando a área adversária e sendo cortado em cima da linha. Aos 29, lance de perigo contra a Ponte, no qual Ygor Vinhas fez bela defesa.

Aos 31, Camilo cobrou falta na grande área e Lazaroni cabeceou, mas a bola saiu pela linha de fundo. Aos  35, quase o empate. Lazaroni cobrou falta com perfeição e a zaga quase fez contra de cabeça,  ao tentar bloquear o lance, mandando para escanteio.

Aos 37, após cobrança de escanteio de Lazaroni, Dahwan chutou bola na área bloqueada pela defesa, pegou o rebote e chutou de novo, mas mais uma vez  a bola foi colocada para escanteio. Aos 41,  Pedrinho buscou Veras dentro da área, mas atacante não conseguiu finalizar.

Aos 43, o goleiro adversário fez defesa milagrosa, impedindo gol de cabeça de Apodi após levantamento feito por Lazaroni. Aos 48, Veras tentou de meia bicicleta na área, mas a bola saiu.  Aos 50, o juiz apitou final de jogo.

Ficha de jogo

Ponte Preta: Ygor;  Apodi, Wellington Carvalho, Ruan Renato e Guilherme Lazaroni;  Luís Oyama (Alison), Neto Moura (Dawhan) e Camilo (Luan Dias) ; Moisés (Guilherme Pato), João Veras e Bruno Rodrigues (Pedrinho) . Técnico (interino): Fábio Moreno.

Operário:  Martín Rodríguez; Sávio, Bonfim (Reniê), Ricardo Silva e Fabiano; Jorge Jiménez, Rafael Chorão (Leandro Vilela)  e Rafael Oller (Julinho); Douglas Coutinho,  Schumacher (Tomas Bastos) e Ricardo Bueno (Thomaz). Técnico: Matheus Costa.

Gols: Ricardo Bueno, aos cinco minutos do primeiro tempo

Arbitragem: Roger Goular apitou,  com auxílio de Luiza Naujorks Reis e Tiago Augusto Kappes Diel. O quarto árbitro foi Murilo Ugolini Klein.

Cartões amarelos: Neto Moura, Ruan Renato, Luan Dias e o técnico Fábio Moreno (Ponte); Bonfim, Sávio, Leandro Vilela, Douglas Coutinho (Operário)

Cartão vermelho: Ruan Renato

Jogo válido pela 29ª rodada do Brasileiro, realizado no estádio Germano Krueger, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS