Ponte sai na frente, mas toma a virada em Alagoas e foca em reabilitação contra o Sampaio Correia,na terça (1º)

Foto:Augusto Oliveira / CSA

A Ponte Preta saiu na frente, com um gol logo no primeiro minuto de jogo, marcado por Dawhan, mas no segundo tempo –  apesar de ter criado pelo menos três chances reais de gol com João Veras (2) e Neto Moura – acabou tomando a virada dos donos da casa e perdeu por 2 a 1. Com o resultado, a Macaca ficou um pouco mais distante do G4, a quatro pontos, razão pela qual quer a reabilitação imediata na próxima terça (1º ), contra o Sampaio Correa, em jogo no Majestoso  válido pela 25ª rodada..

O jogo

A Ponte Preta surpreendeu o CSa logo no primeiro minuto, após ataque que terminou em escanteio para a Macaca. Camilo cobrou com perfeição e Dawhan cabeceou certeito, sem chance para o goleiro adversário. Ponte 1 x 0 CSA.

Após o gol, o time da casa veio para cima em busca do empate, mas a Macaca marcava bem e não dava chances ao oponente. Aos 12, a Macaca voltou ao ataque com Guilherme Pato, mas a zaga adversária cortou. Quatro minutos depois, a Ponte chegou mais uma vez em bom lance com Pato,

Aos 20, Bruno Rodrigues recebeu passe na entrada da área do CSA, mas na finalização a bola subiu muito. No lance seguinte, Pato lançou para Rodrigues, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo. Aos 22, Léo Pereira mandou a bola na área do CSA, mas a zaga cortou.  O ritmo do jogo seguiu bem definido na etapa inicial: os donos da casa pressionavam, mas a Macaca marcava bem e aproveitava qualquer brecha para chegar ao campo de defesa adversário.

Aos 40, um susto: o ataque adversário desceu com rapidez e mandou uma bomba no gol de Ygor. O goleiro alvinegro se esticou inteiro e a bola carimbou a trave. No minuto seguinte, Wanderley – que completou 100 jogos pela Macaca hoje – fez jogada individual, mas acabou barrado pela zaga alagoana.

No segundo tempo, Oliveira colocou João Veras no lugar de Wanderley.  E quase foi dele o segundo gol logo no terceiro minuto. Bruno Rodrigues fez belo lançamento e Veras colocou para o gol com categoria. A bola ia entrando quando a zaga cortou, em cima. No minuto seguinte, mais uma vez Veras por pouco não balançou as redes, de cabeça: o camisa 1 adversário espalmou em cima da linha.

Aos seis, o CSA tentou descontar, mas YgorVinhas fez boa defesa. Na sequência, Neto Moura pegou bola de chapa e mandou para o gol, mas o goleiro adversário fez novo milagre e impediu o segundo da Ponte. Apesar da Macaca ser melhor em campo, o CSA chegou ao empate, aos 12, sem chance de defesa para Ygor.

Aos 21, Bruno Rodrigues levou falta e Camilo por pouco não ampliou na cobrança. O camisa 10 cobrou uma bola venenosa, que passou perto do ângulo, tirando tinta do travessão. Aos 25, nova falta cobrada por Camilo, mas o goleiro adversário defendeu. Aos 26 e 27, pressão do CSA, que exigiu duas boas defesas de Ygor.

Aos 35, Bruno Rodrigues saiu em velocidade, mas foi parado por falta. Aos 40, porém, o CSA virou, 2 a 1. A Ponte foi pra cima na tentativa do empate, mas o CSA se fechou na retranca. Aos 45, Bruno Rodrigues cobrou escanteio e o goleiro adversário espalmou.  Final de partida, 2 a 1 para os donos da casa.

Ficha do jogo

Ponte Preta:  Ygor Vinhas; Léo Pereira, Wellington Carvalho, Ruan Renato e Yuri (Ernandes); Dawhan, Neto Moura (Barreto) e Camilo (Zanocelo); Guilherme Pato (Luan Dias), Wanderley (João Veras) e Bruno Rodrigues. Técnico: Marcelo Oliveira.

CSA: Matheus Mendes; Norberto, Luciano Castán, Cleberson e Diego Renan; Yago (Pedro Lucas),  Geovane, Nadson (Rafael Bilu) e Gabriel (Marquinhos); Paulo Sérgio (Cedric) e Pedro Júnior (Rone). Técnico: Mozart.

Gols: Dawhan, no primeiro minuto do 1º tempo; no segundo, Yago aos 12

Arbitragem: Adriano Barros Carneiro apitou, com Naílton Junior de Sousa Oliveira e Anderson Moreira de Farias como auxiliares. José Ricardo Vasconcellos Laranjeira foi o quarto árbitro.

Cartões amarelos: Yago, Paulo Sérgio, Bilu e Diego Renan (CSA)

Jogo realizado no estádio Rei Pelé, sem público (nem renda) por causa da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS