Marcelo Oliveira vê resposta do time em campo, na vitória contra o Figueirense: “Agora vamos estudar bem qual a melhor equipe para enfrentar o América”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Ainda que a Macaca tenha saído atrás o primeiro tempo contra o Figueirense, na etapa complementar o jogo virou e o placar poderia até ser mais elástico, o que, na análise do técnico Marcelo Oliveira, confirma uma evolução da equipe. “Embora no primeiro tempo não tenhamos sido tão agressivos, não termos criado tantas situações,  tivemos bem mais posse de bola. Só que acabamos tomando o gol numa desatenção, numa infelicidade, e o gol teve um reflexo psicológico no jogo, deu uma força grande ao Figueirense. No segundo tempo, porém, entramos com muita disposição de virar o jogo, marcando em cima, apertando o adversário, viramos e poderíamos até ter ampliado”, diz.

O comandante alvinegro destaca que as substituições realizadas no intervalo foram importantes para mudar a história d jogo. “Eles entraram e deram uma resposta tecnicamente muito boa, e ficamos mais ofensivos. Os jogadores que trazemos no banco de reserva estão ali para isso: tornar o time mais ofensivo, substituir quem está cansado e aas trocas no segundo tempo surtiram o efeito esperado. Às vezes no futebol é necessário saber enfrentar um pouco de sofrimento, mas o que fizemos valoriza o trabalho feito durante a semana e pode nos dar confiança maior pra sequência do campeonato”, diz.

Estabilidade e trabalho

Questionado pela imprensa se voltarv a vencer  significa algum tipo de garantia de estabilidade no cargo, Oliveira não titubeia: “Não tenho a menor preocupação com estabilidade: meu compromisso é com o trabalho. Penso que o jogo contra a Chape foi um ponto fora da curva, já quanto o CRB reagimos, criamos, perdemos pelo menos três chance de virar o jogo, e hoje chegamos à vitória mais uma vez”, diz.

E completa: “Estou aqui para fazer o melhor trabalho, quem sabe ser campeão, e ter o acesso a série A. Tenho confiança no trabalho e consciência no que faço. O time já vinha com a deficiência de equilíbrio de defesa e ataque antes da minha chegada e tem que melhorar isso, mas com o trabalho desta semana já houve evolução. Pelo que fizemos ontem, inclusive, seria injustiça se não tivéssemos conquistado essa vitória.”

Próximo confronto

A imprensa também perguntou ao treinador se ele pretende manter em campo simultaneamente os meias Camilo e João Paulo, como ocorreu ontem. “Jogando com Camilo e João Paulo, com o Bruno e mais um atacante de referência, não temos tanto poder de marcação. O time fica mais leve e técnico, mas é necessário recompor”, diz.

Desta forma, o treinador conclui. “É difícil jogar sempre com Camilo e João e apenas um volante, mas pode ser uma opção durante o jogo dependendo da circunstância. Vamos estudar bem para ver qual a melhor equipe para enfrentar o América. O importante é a gente não doar gol para o adversário e finalizar com mais precisão, determinação, ter mais poder de decisão.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS