Marcelo Oliveira quer aproveitar semana para melhorar equilíbrio entre o primeiro e segundo tempo: “Se queremos chegar lá, precisamos ser mais regulares entre as duas partes dos jogos”

Foto:PontePress/ThiagoToledo

A Ponte Preta retorna nesta tarde a Campinas, depois de vencer o Náutico por 2 a 0 no Estádio dos Aflitos, e terá pela primeira vez um intervalo de uma semana entre os jogos que disputa. Amanhã, quarta-feira, os jogadores terão o dia de folga para  se recuperarem do cansaço da sequência de partidas e viagens. Depois, a partir de quinta, o técnico Marcelo Oliveira irá comandar os treinamentos que antecedem a partida contra a Chapecoense –  às 21h30 da próxima terça (20) –e já tem o objetivo principal das atividades bem definido.

“Tivemos dois jogos sob meu comando, naturalmente sem tempo para treinar entre eles. Ambos foram com logística difícil, um em  Cuiabá e Fortaleza. Então até pelo cansaço dos atletas, foi só treinamento de bola parada. Então nesta semana vamos trabalhar bastante, com foco em melhorar equilíbrio e regularidade entre o primeiro e segundo tempo”, diz.

O treinador destaca que a equipe está se apresentando de maneira completamente distinta em cada uma das duas etapas  nas partidas. “Chama atenção porque foi assim contra o Guarani e o Cuiabá. Ontem também chamou a atenção, nos primeiros dez minutos fomos bem, tivemos chances, depois nos perdemos um pouco na marcação em função dos jogadores do Náutico se movimentarem mais . No segundo tempo ajustamos e houve uma reação, uma melhora bem acentuada e veio a vitória”, analisa.

O treinador acrescenta: “Então, com esta semana cheia, vamos descansar dois dias e depois tentar acertar isso. No futebol não se pode dar ao luxo de jogar só um tempo: temos que ter dois tempos bem equilibrados e bem firmes. Vamos tentar equilibrar, porque se a gente quer chegar lá precisamos ser mais regulares entre as duas partes do jogo.”

Caminho

O treinador pontepretano fala um pouco sobre o caminho para encontrar esse equilíbrio. “Precisamos aperfeiçoar os passes e posicionamento. Além disso, ontem criamos, mas precisamos ser mais precisos na definição das jogadas, assim como melhorar o sistema defensivo, que depende de todo time. Às vezes uma ação do meia ou do atacante lá na frente ajuda a amenizar a marcação lá atrás”, diz.

Questionado pela imprensa sobre Moisés, que criou boas chances contra o Náutico, porém não conseguiu concluir, o comandante pontepretano faz uma análise. “O Moises é um jogador rápido, recompõe, já no primeiro tempo foi bem nas arrancadas, contra-ataques. Precisamos trabalhar em cima das necessidades dele, dessa falta de precisão, nos treinos: dar confiança, conversar, posicionar bem. Tem jogadores jovens na Ponte que podem crescer muito, como ele e o Zanocelo. No decorrer do campeonato vamos conhecendo e colocando mais para jogar”, explica.

Em relação aos atletas que estão no Departamento Médico e a perspectiva de usá-los na partida contra a Chape, ele esclarece: “Os jogadores ainda estão em recuperação. Osman já está no campo, mas ainda não liberado para treinamentos mais fortes. Acreditamos que mais uma semana pelo menos, no caso dos outros também. Teremos um relatório mais detalhado do DM sobre estes atletas nesta semana. Vamos trabalhar a semana inteira pra ver o que a gente pode aproveitar para o próximo jogo.”

Ele finaliza falando sobre possíveis reforços, que estão sendo trabalhados pelo Departamento de Futebol. “O elenco da Ponte é um pouco reduzido. Precisamos de um lateral direito, um atacante até para não termos que fazer improvisação como fiz com o Moises por dentro, ontem. A diretoria está conversando internamente sobre isso para trazer jogadores que conheçam a série B, sejam competitivos e de boa técnica. Até para que a gente possa, nesse momento em que pode fazer cinco substituições, ter um número bom de atletas com qualidade semelhante para utilizar.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS