Moreno destaca poder de reação do elenco, que continua da briga pelo G4, e enfatiza: “O grupo vai dar o retorno que todos estão esperando e a vitória virá”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

A derrota ocorrida ontem para o Juventude não deve nublar a visão sobre a campanha  e o potencial da Ponte Preta no campeonato da série B. Após várias rodadas entre os quatro primeiros, a Ponte caiu na tabela, mas está a apenas um ponto de três dos quatro integrantes do G4. Ou seja, a oscilação dentro de campo tem de ser corrigida, mas a luta alvinegra continua na ponta de cima da competição.

“Contamos com o apoio da torcida neste momento. Entendemos a frustração da derrota de ontem, mas estamos brigando pelo G4 e agora vamos para jogo importante. A união entre elenco, comissão técnica, diretoria e torcida é fundamental para resgatarmos a Ponte que vinha fazendo as grandes partidas. Reforço: continuamos brigando pelo G4, a oscilação é momentânea e só podemos seguir lutando por acesso e título se estivermos todos juntos”, diz o técnico interino Fábio Moreno.

Sobre o fato de o próximo jogo ser o 197º dérbi, às 21h30 de terça, Moreno não acredita que a derrota ontem aumente a pressão sobre o time, assim como uma vitória não titaria o foco e a concentração para o embate. “A pressão é inerente ao clássico, ela sempre existe, o dérbi mexe com toda a cidade. Como campineiro, vivo isso desde criança. Mas estamos trabalhando e o resultado vai ser posto em prática na terça. O grupo vai dar o retorno que todos estão esperando e a vitória virá, pode ter certeza”, afirma.

Poder de reação

Sobre a partida de ontem, Moreno analisa. “Tentei dar prosseguimento no trabalho da Ponte Preta, no que vínhamos executando de bom no campeonato. O time ficou mais compacto no primeiro tempo, mais ajustado coma s linhas mais próximas, melhorou neste quesito e tivemos grandes chances, só não ampliando o placar pela noite inspirada do goleiro deles. No segundo conseguimos gol, mas tivemos infelicidades e acabamos cedendo a vitória”, diz.

Ele enfatiza que não atribui a ação que gerou o segundo gol adversário a nenhum tipo de displicência na cobrança da falta. “Entendo que foi vontade excessiva de alcançarmos o segundo gol nosso, isso atrapalhou na tomada de decisão e gerou a virada deles. Isso causou um fator emocional e a gente realmente sentiu dificuldade em recuperar na partida, mas se voltarmos um pouco no tempo, esta mesma equipe mostrou um grande poder de reação em situação muito mais critica, no Paulista”, relembra.

Ele conclui o pensamento: “Esse s jogadores já mostraram uma força interior muito grande, uma vontade de recuperar poderosa, e nos apegamos nisso: sabemos do que eles são capazes, da força que eles tem. Foi natural o abatimento ontem, mas sabemos que isso tem que ser corrigido e falamos sobre isso ainda no final do jogo, pois sabemos que quem pode corrigir está ali.”

Marcelo Oliveira

Sobre Marcelo Oliveira, que deve chegar na terça(6) a Campinas e acompanhará o dérbi das arquibancadas do Majestoso, Moreno – que trabalhou com o treinador no Fluminense – vê com grandes expectativas o trabalho do comandante.

“Acho que é uma grande contratação. Marcelo já provou na história dele que é um treinador de ponta, vencedor, de um currículo sem questionamentos. É o perfil que precisamos: um cara que passa tranqüilidade, sabe conquistar os jogadores, sabe falar na hora certa, tem muito conhecimento. Vai ser de muito proveito pra nós”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS