Brigatti vê evolução na vitória contra o CSA e já “muda a chave” para a Copa do Brasil: “Vamos com força total em busca da classificação, não podemos sentar em cima de vantagem”

 

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Com pouco tempo para descanso ou treino após a vitória de ontem (21) contra o CSA pelo Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta já viaja neste domingo para Pernambuco, onde irá enfrentar o Afogados da Ingazeira no jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil 2020 em busca da classificação para a próxima etapa. O confronto entre as equipes ocorrerá às 16 horas de terça (25) e o técnico João Brigatti adianta que, apesar de a Macaca ter vencido o primeiro confronto por 3 a 0 (segue em frente quem vencer no placar somado dos dois confrontos), no que depender dele ninguém será poupado, salvo por ordem expressa do Departamento de Fisiologia.

“De forma alguma vamos poupar jogadores. Ontem mesmo, após o jogo, conversei com eles sobre isso. Sabemos que financeiramente é muito importante para o clube e para os próprios atletas, pois teremos uma exposição seguindo na competição. Sabemos que temos vantagem mas não podemos sentar em cima dela: é um jogo difícil, na casa de um adversário motivado e ainda atípico por causa do calor. Se tiver que poupar alguém será por determinação médica, mas no que depender de mim é força máxima em busca da nossa classificação”, enfatiza.

Análise da vitória sobre o CSA

Sobre a partida da noite de sexta, Brigatti entende que há ajustes a fazer , por´pem gostou do que viu em campo e quer manter a filosofia que está impondo na equipe. “Nosso time mais uma vez está de parabéns, se comportou muito  bem perante a uma equipe que, mesmo com os problemas que enfrentou em virtude do Coronavírus, tem um elenco muito forte fisicamente e se trancou atrás, jogando com 11 jogadores atrás da linha e tentando explorar um erro nosso. Mesmo tendo saído atrás do placar em virtude de uma situação de bola aérea, que é algo que estamos tentando ajustar, fomos superiores e vencemos”, destaca.

Sobre o gol adversário em si, Brigatti complementa. “Precisamos de tempo para fazer esses ajustes e esse tempo nós não tempos, acabamos usando mais vídeos do que treinamento. Ontem mudamos a marcação e mesmo assim sofremos um gol de cabeça, mas não vou ficar batendo na mesma tecla de falta de tempo para treinar, iremos ajustando isso nas partidas. Mas não vou abrir mão de propor jogo, sair jogando, tocando.Se nosso ataque é o melhor é porque a gente sai tocando lá de trás”, diz.

Evolução constante

O treinador reforça estar certo de que o aspecto defensivo vão melhorar, assim como o time como um todo. “Passamos um momento difícil na transição do Paulista para a série B, optei por fazer muitas trocas e esses atletas precisavam de mais jogos, mais tempo. Mas mesmo diante dessas situações de momento, o time vem em evolução muito grande. Agora temos a equipe praticamente formada, são ajustes que precisamos fazer e com mais jogos a tendência é evoluir ainda mais”, acredita.

Ele finaliza dizendo que a equipe aos poucos vai encontrando o equilíbrio, mas reitera: a Ponte Preta não vai abrir a mão de jogar para frente e propor jogo. “Enquanto eu estiver no comando a proposta será essa, que os atletas entenderam muito bem e já abraçaram. Sempre vamos buscar nos se impor sobre o adversário com qualidade, propor jogo, e acredito que estamos no caminho certo”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS