Ponte derrota o CSA de virada, por 2 a 1, emenda a segunda vitória seguida e dorme no G4 do Brasileiro da série B

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Em uma noite fria com 11 graus registrados no Majestoso, a Ponte Preta venceu de virada o CSA, por 2 a 1, com gols de João Paulo e Matheus Peixoto. Com o resultado a Macaca conquistou a segunda vitória seguida pelo Brasileiro – a primeira no Moisés Lucarelli – e dorme na terceira posição do Brasileiro, com oito pontos (mesma pontuação do segundo colocado, o Operário).  

A Ponte  terá que aguardar a conclusão da rodada, na segunda-feira, para saber em que posição ficará, mas o foco dos atletas não está na tabela e, sim, na Copa do Brasil: o time agora “muda a chave” para enfrentar o Afogados no jogo de volta da outra competição nacional,  marcado para às 16 horas da próxima terça-feira (25).

A partida ocorrerá na cidade do adversário e a Ponte tem a vantagem de ter vencido o primeiro embate da terceira fase da Copa por 3 a 0. O time alvinegro volta a atuar pelo Brasileiro da série B no dia 29, contra o Sampaio Correa.

O Jogo

A Ponte foi para cima já no apito inicial e João Paulo acabou parado com falta. Na sequência, Camilo bateu bem e Matheus Peixoto desviou, mas p goleiro adversário segurou.  Aos quatro, porém, foi o CSA quem marcou: em bola aérea, Marquinhos cabeceou sem chance para Ivan. 1 a 0 para o visitante.

Aos sete a Ponte desceu para o time adversário e Apodi tentou o cruzamento, mas a bola carimbou o time adversário.  Aos 14, João Paulo mais uma vez foi parado com falta. Na cobrança, Lazaroni bateu com perigo e o arqueiro adversário espalmou para escanteio. Aos 19, Zé Roberto passou para Camilo e o meia cruzou rasteiro, mas a zaga do CSA cortou. Na sequência, Luis Oyama passou para Zé Roberto, mas a defesa oponente mais uma vez se antecipou.

Aos 22, a Ponte empatou graças com João Paulo: o meia pontepretano recebeu livre de marcação e arriscou um petardo do meio da rua. O arqueiro Cajuru foi agarrar a bola que veio com força e acabou socando pra dentro do gol. Foi o sexto gol de João Paulo com a camisa da Ponte, chegando à artilharia com o mesmo número de Roger em 2020, e o terceiro jogo seguido em que o camisa 10 balançou as redes.

Aos 27, a Macaca chegou ao campo de defesa adversário em bela troca de pases e Zé Roberto mandou uma bomba para o gol do CSA, mas o goleiro oponente se esticou inteiro e espalmou para fora.  Camilo cobrou para área adversária, a bola foi desviada na primeira trave e sobrou para  Zé Roberto mandar uma cabeceada venenosa par ao gol adversário. Fazendo milagre, o camisa 1 oponente defendeu.

Aos 34, Matheus Peixoto recebeu junto à linha de fundo e cruzou por baixo, mas a defesa do CSA ficou com a bola. Aos 37, João Paulo saiu rumo ao gol adversário, mas foi parado com falta por trás. Aos 46, Apodi teve a última chance do primeiro tempo, mas foi detido com falta. Na cobrança, Apodi mandou na área do CSA e a bola foi cabeceada na segunda trave, mas tocou em Luciano Castán e saiu para escanteio.

Em meio ao frio de 11 graus, a Ponte voltou quente para a etapa complementar. Aos dois, Camilo fez a infiltração para Zé Roberto no meio da área do CSA, mas a defesa adversária tirou. Na sequência já saiu o gol da virada. João Paulo, em noite inspirada, fez ótimo lançamento para Apodi, que escorou com estilo e rolou para Matheus Peixoto. Sozinho na pequena área, o atacante não perdoou e mandou para o fundo do gol oponente. 2 a 1..

Aos oito minutos, Camilo recebeu pelo lado esquerdo e saiu rumo ao gol, mas o bandeirinha marcou impedimento.  O jogo seguia com a Ponte sufocando o adversário, que já não conseguia chegar no campo da Macaca com perigo. Aos 19, Camilo foi  lançado nas costas da defesa do CSA,  mas o goleiro Bruno Grassi (que substituiu o machucado Cjuru no intervalo) se adiantou e cortou a bola.

Aos 21, Zé Roberto teve boa chance, mas foi parado com falta, que Camilo cobrou para a área adversária e acabou interceptada. Aos 23 foi a vez de Matheus Peixoto ser derrubado perto da área. Mais uma vê, Camilo cobrou, mas a bola passou por cima do gol. Aos 28, João Paulo quase faz o terceiro ao chutar forte contra a meta oponente, mas a bola desviou na zaga e saiu para escanteio.

A equipe de João Brigatti seguia pressionando e criando chances de gol, enquanto o CSA se fechava no campo de defesa. Já mais no finalzinho, aos 47, João Paulo arrancou na intermediária e foi parado com falta a três passos da meia-lua adversária.  Lazaroni cobrou, mas ela explodiu na barreira e, na sequência, acabou nas mãos do goleiro do CSA.

A Ponte seguiu sufocando em busca do terceiro até o final. Aos 48, Dawhan faz o cruzamento, Leandro Souza afasta de cabeça.Na sequência, Oyama chegiiu na linha de fundo e chutou, mas a bola saiu. Logo depois, falta a favor da Macaca e na cobrança o juiz já terminou a partida. Placar final: Ponte Preta 2 x 1 CSA.

Ficha do Jogo

Ponte Preta: Ivan, Apodi, Wellington Carvalho, Luizão e Lazaroni; Luís Oyama, Neto Moura, Camilo (Yuri) e João Paulo; Zé Roberto (Dahwan) e Matheus Peixoto (Moisés). Técnico João Brigatti.

CSA: Alexandre Cajuru (Bruno Grassi), Norberto, Leandro Souza, Luciano Castán e Igor Fernandes; Marquinhos, Geovane (Andrigo), Yago (Renatinho) e  Nadson; Rodrigo Pimpão e Michel Douglas. Técnico: Márcio Goiano (interino, pois Eduardo Baptista testou positivo para Covid).

Gols: no primeiro tempo, Marquinhos aos quatro pelo CSA e João Paulo aos 22 pela Ponte; na etapa complementar,  Matheus Peixoto (aos dois).

Arbitragem:  Antônio Dib Moraes de Sousa apitou a partida, auxiliado por Márcio Iglésias Araújo Silva e Janystony Rabelo de Melo. Quarto árbitro: José Guilherme Almeida. Analista de campo: Eduardo Cesar Coronado Coelho

Cartões amarelos: Welington Carvalho e Luisão (Ponte); Igor Fernandes e Rodrigo Pimpão (CSA)

Partida realizada no Majestoso, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS