De virada, Ponte Preta vence o Oeste por 3 a 1 e conquista a primeira vitória no Brasileiro da série B

Foto: PontePress/ÁlvaroJr

Gol legítimo da Ponte anulado, pênalti a favor da Macaca não marcado e gol adversário  originado de um escanteio duvidoso. Mesmo com tudo isso contra si, a Ponte Preta não se abateu, lutou e venceu o Oeste por 3 a 1 na noite desta terça (18), de virada. O primeiro gol da alvinegro foi marcado contra, em tentativa de corte de cruzamento de Apodi, e os demais por João Paulo e Camilo.

Com o resultado, a Ponte chegou a cinco pontos e aguarda a conclusão da rodada para saber em que altura ficará na tabela, porém no momento do apito final estava na sétima posição. “Agora é arrumar a bola parada defensiva, mas durante os jogos a gente tende a melhorar. A sequência é muito curta de um jogo para o outro e quem souber lidar com isso, quem tiver elenco, souber rodar o elenco, vai sair na frente”, acredita Camilo, que nesta noiute fez o último gol pontepretano em uma cobrança perfeita de pênalti.

O time de João Brigatti volta a campo às 21h30 de sexta-feira (21), para enfrentar o CSA – no Majestoso –  pela quinta rodada do Brasileiro.

 Jogo

O primeiro lance de ataque da Macaca ocorreu ainda no minuto inicial, mas Camilo foi derrubado por falta. Aos três, Wellington Carvalho mandou a bola para Matheus Peixoto, mas ela saiu pela lateral. Aos cinco, Apodi recebeu de Matheus Peixoto com o caminho livre, invadiu a área e cruzou rasteiro. Camilo ainda tentou alcançar a bola, mas não conseguiu.

Aos seis, a Ponte marcou, mas não levou graças a erro crasso da arbitragem. Apodi aproveitou sobra dentro da área e soltou uma bomba, sem chance de defesa para o goleiro adversário. Mas a juíza deu impedimento de João Paulo, que não participou do lance. Gol legítimo da Ponte anulado.

Aos 11, Wellington Carvalho arrancou pela esquerda e tabelou com Camilo. Houve corte da defesa e a bola foi para escanteio.  Na cobrança, Lazaroni levantou na área e a defesa do Oeste levou a melhor pelo alto. Mas na sequência, Camilo pegou a bola e foi derrubado na área, em pênalti claro, que a juíza não marcou, prejudicando a Macaca em mais um lance capital.

Aos 18, João Paulo saiu em velocidade, ultrapassou a marcação e arriscou de longe, mas a bola desviou e sai em escanteio. Aos 21, a árbitra marcou um escanteio duvidoso e, na cobrança para a área, Kalil sobiu mais que todo mundo e cabeceou firme no canto direito de Ivan, sem chance de defesa.

Aos 28, Ivan fez belíssima defesa em bola de cabeça do adversário.  Aos 34, Matheus Peixoto ajeitou para João Paulo chutar, porém a bola subiu muito. Aos 40, saiu o gol de empate alvinegro. Apodi, cujo gol legítimo tinha sido anulado mais cedo, fez bom cruzamento pela direita e Éder Sciola, ao tentar cortar, marcou contra. 1 a 1. No finalzinho, aos 45, a Macaca quase virou: Oyama ficou com a sobra e acionou Camilo, na área, que dominou e bate firme. O arqueiro oponente fez uma defesa difícil e impediu a virada.

No segundo tempo, João Paulo desce pela direita e foi parado com falta. Lazaroni cobrou bem fechado, mas o goleiro oponente defendeu. Aos nove, a Ponte chegou em bela triangulação de Peixoto e Oyama, que acabou nos pés de Apodi. O lateral cruzou, mas a bola foi colocada para escanteio.

Assim como ocorreu no primeiro tempo, a Ponte tinha mais volume e controle da bola, enquanto o Oeste se fechava. Aos 16, Oyama armou jogada para Matheus Peixoto, que foi parado com falta por Renan Fonseca – que recebeu um amarelo. Após a cobrança, Peixoto ficou com a sobra na entrada da área e arriscou de primeira, isolando.

Aos 18, Apodi puxou ótimo contra-ataque pela direita e acionou Zé Roberto. O atacante rolou para trás e João Paulo chegou batendo, contudo a bola foi para fora. Aos 26, a Ponte virou.  Zé Roberto mandou um canhão no gol adversário e o goleiro Luiz espalmou com dificuldade. A bola caiu nos pés de João Paulo que não perdoou: Ponte 2 x 1 Oeste.

Aos 36, João Paulo invadiu a área e, quando limpava o lance para chutar, foi calçado na área. Pênalti claro para a Macaca.  Camilo cobrou com categoria, aos 38, mandando forte no canto esquerdo e marcando o terceiro da Macaca. 3 a 1.

Aos 41, Zé Roberto apareceu livre na ponta direita e cruzou para Ernandes, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo. Aos 44, por muito pouco a Ponte não marcou o quarto: em contra-ataque rápido, Camilo fez lindo passe para João Paulo, que acionou Moisés dentro da área. O atacante pegou de primeira e o goleiro adversário defendeu no reflexo. Ninguém mexeu mais no placar e, aos 49, a juíza apitou fim de jogo. Ponte 3 x 1 Oeste.

Ponte Preta: Ivan, Apodi (Dahwan), Wellington Carvalho, Luizão e Lazaroni (Ernandes); Luís Oyama, Bruno Reis (Neto Moura), Camilo, Zanocelo (Zé Roberto) e João Paulo; Matheus Peixoto (Moisés). Técnico João Brigatti.

Oeste:  Luiz, Éder Sciola, Renan Fonseca, Sidimar e Rael; Yuri, Betinho (Tite)  e Mazinho (Kauan); Matheus Rocha (Gustavo Salomão), Kalil e Bruno Lopes (Fabrício Oya). Técnico: Renan Freitas.

Gols: no primeiro tempo, Kalil aos 21 minutos e Éder Sciola (contra, ao tentar cortar cruzamento de Apodi), aos 40. No segundo tempo, João Paulo marcou aos 26 e Camilo aos 38, de pênalti.

Arbitragem: Edina Alves Batista apitou, com Anderson José de Moraes Coelho e Gustavo Rodrigues de Oliveira na assistência. Quarto Árbitro: João Vitor Gobi.

Cartões amarelos: Matheus Rocha , Renan Fonseca (Oeste); João Paulo (Ponte)

Jogo realizado no Canindé, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS