Brigatti elogia preparo e concentração da equipe na vitória em Barueri, mas alerta: “Nada de se empolgar porque domingo temos um adversário muito forte e nosso objetivo são mais três pontos”

Foto:PontePress/ThiagoToledo

A vitória convincente contra o até então último invicto do Campeonato Paulista trouxe ânimo para a Macaca. Com gols de Bruno Rodrigues e João Paulo (confira no TikTok alvinegro), a Ponte venceu o Novorizontino por 2 a 0 e espera a conclusão da rodada hoje na segunda posição do grupo A, fora da zona da degola. O elenco pontepretano sabe, porém, que independentemente dos resultados desta quinta (23), tem obrigação de vencer no domingo para se garantir na série A do Paulistão com as próprias pernas, sem depender de nenhuma combinação de resultados.

“O time está de parabéns, foi muito focado, uma equipe guerreira que honrou a camisa da Ponte Preta. Entramos novamente no Campeonato Paulista, mas temos que ter pé no chão. Nada de se empolgar porque domingo enfrentamos um adversário muito forte, que é o Mirassol, e nosso objetivo são os três pontos, nosso objetivo é a permanência na A1”, diz o técnico João Brigatti.

Ele reforça que a Ponte não deve pensar em uma eventual classificação como objetivo e, sim, como uma possível conseqüência de vencer o próximo jogo. “Nosso pensamento é a manutenção na elite do Paulista. Como disse, na prática voltamos para o campeonato agora, não estamos livres da degola ainda. Então nosso primeiro passo é a permanência, depois vemos o que vai acontecer em relação à classificação.”

Novorizontino

Sobre o confronto de ontem, Brigatti valoriza a atuação da Macaca. “Enfrentamos a única equipe até então invicta do campeonato e, em isso em si, já é uma dificuldade muito grande. Fora que depois de uma paralisação de mais de 120 dias, nunca dá para saber como vai se comportar elenco fisicamente. Mas a equipe de parabéns! Sabíamos que íamos ter dificuldade na posse de bola, trabalhamos isso bastante, assim como parte física. Cumprimento o (preparador) Juvenilson pelo bom preparo físico e dos atletas e a eles, que entenderam e aceitaram sabendo que tínhamos que resolver a situação.”

Brigatti destaca alguns diferenciais em campo. “Em relação à condição física, fizemos apenas um treino coletivo, a equipe teve desgaste, mas era necessário. Alternância entre Jeferson e Apodi durante o jogo foi treinada, criamos muito e a concentração foi fundamental, nos possibilitou tocar mais a bola, correr um pouco menos e cansar menos. No primeiro tempo focamos mais em marcar, mas conversamos no vestiário e no segundo ocupamos mais o campo ofensivo. Bruno e Dahwan foram monstros dentro de campo ontem, mas todo o time foi bem e tem de ser elogiado”, pontua.

Questionado pela imorensa sobre a ausência de Roger, suspenso neste jogo e no próximo, Brigatti pondera: “Elogiar o Roger é chover no molhado, todos sabem a qualidade dele, do respeito que ele impõe aos adversários, é um jogador que faz falta. Mas o Safira, ainda que esteja um pouco abaixo fisicamente do que pode estar, se comportou muito bem. E também podemos trabalhar com dois mais atacantes abertos , como fizemos com Bruno Rodrigues e Moisés, e depois ainda colocamos o Veras pra fazer pivô, bola aérea. Tem que ser assim, a instituição tem que ter um elenco forte, não pode ficar refém de uma pessoa, seja ela um jogador ou treinador. Temos que ter opções , ir pra frente e conquistar vitórias.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS