Futebol em luto: morre Vadão, técnico que teve quatro passagens no comando da Ponte Preta, comandou diversas equipes no Brasil e fora do país, e no futebol feminino foi eleito sexto melhor técnico do mundo pela FIFA em 2016

O futebol está em luto. Morreu nesta segunda-feira (25) , aos 63 anos, o técnico Oswaldo Fumeiro Alvarez. Vadão, como é mundialmente conhecido, lutava contra um câncer no fígado e estava internado na UTI do Hospital Albert Eintein. Não foram divulgados ainda detalhes de velório e sepultamento, que deverão ocorrer de maneira reservada, em virtude da pandemia de Coronavírus.

“É uma perda enorme, tanto para o mundo da bola quanto para todos que conheceram o ser humano Vadão, uma pessoa muito querida e dedicada. A Ponte Preta está entristecida e se solidariza com toda a família e amigos. Vadão fará falta dentro dos campos e fora deles”, lamenta o presidente pontepretano Sebastião Moreira Arcanjo, o Tiãozinho.

Vadão teve quatro passagens pela Macaca. A primeira foi de 2001 a 2002. Voltou em 2005 e acabou saindo para trabalhar no Japão, como treinador do Tokyo Verdy. Retornou do oriente no ano seguinte, em 2006, para mais uma vez comandar a Macaca. A mais recente –e uma das mais positivas – foi em 2014, quando assumiu o time no Campeonato Paulista com a equipe em situação difícil na competição, lutando contra o rebaixamento, e a levou até às quartas-de-final.

Após a campanha, o comandante recebeu convite da CBF para assumir a Seleção Brasileira de Futebol Feminino.  Com as meninas da Amarelinha, conquistou a Copa América de 2014 e a de2018;  a Copa CFA YongChuan de 2017, os Jogos Pan-Americanos de 2015 e o Torneio Internacional de Futebol Feminino de 2014 e 2015. Foi eleito o sexto melhor técnico do mundo nas categorias femininas pela FIFA em 2016

Antes disso tudo, porém, o treinador também treinou inúmeros times masculinos, conquistando acessos à elite do futebol nacional e títulos em uma carreira que se iniciou na década de 1990, quando ganhou notoriedade pelo time ofensivo que montou no Mogi Mirim, que na época ganhou o apelido de “Carrossel Caipira” (em referência ao time holandês que encantou o mundo na Copa do Mundo de 1974).

Entre outras conquistas venceu o Campeonato Brasileiro da Série C pelo XV de Piracicaba em 1995; o Campeonato Paranense pelo Athletico Paranaense em 2000; o Torneio Rio-São Paulo em 2001 (comandando o São Paulo Futebol Clube com um time com jovens revelações como o então menino Kaká);  a Supercopa do Japão pelo Verdy Tokyo em 2005; e o Campeonato Catarinense pelo Criciúma, em 2013.

Ao todo, Vadão comandou 17 equipes de futebol no Brasil (entre as quais Ponte Preta, Guarani, Corinthians, São Paulo, Sport, Goiás, São Caetano e a Seleção Feminina) e uma no Exterior. Em todas, deixou fãs, amigos e um legado que ficará na história. 

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS