Presidente de Honra Sérgio Carnielli participa do treino por transmissão remota e pede empenho aos atletas e Comissão: “Temos que estar prontos para vencer as duas rodadas que faltam quando o Paulista voltar”

O treino da Ponte Preta nesta quarta (20) foi diferente do habitual. Assim como vem ocorrendo nestes tempos de Coronavírus, o preparador físico Juvenilson Souza orientou os atletas, pediu raça e dedicação, e foi atendido. Também como de outras vezes, diretores e o presidente Sebastião Arcanjo estavam conectados na transmissão, vendo tudo em tempo real. Mas a novidade foi a presença de um convidado especial, o presidente de honra Sérgio Carnielli, que fez questão de falar com os jogadores no intervalo da atividade.

“Disse a todos que confio no potencial deste time e estou certo que eles darão tudo de si quando as competições retornarem. Eles têm todo o nosso apoio, porém enfatizamos que temos que estar prontos para vencer as duas rodadas que faltam quando o Campeonato Paulista voltar. A Ponte tem de dar tudo de si para sair de situação inaceitável em que se encontra na tabela, e com certeza vai”, afirma Carnielli.

O presidente Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho, endossa as palavras do presidente de honra. “Não sabemos quando o campeonato retornará, porém quando isso ocorrer é nossa obrigação vencer as partidas que faltam. Diretoria, comissão e jogadores estão totalmente focados nisso e é muito importante que todos ouçam isso também do Sérgio, como pontepretano histórico que é, por tudo que faz e já fez pela Ponte”, destaca.

Para Juvenilson Souza, a participação dos “convidados especiais”, que ocorre em todos os treinos, é importante. “Sempre temos gente do clube observando os treinamentos, todo mundo atento e trabalhando, do presidente à comissão. Isso é importante para que possamos cobrar e fazer o melhor trabalho”, acredita o preparador, que comanda as atividades diretamente a própria casa, em Londrina, no Paraná.

Ele revela que todos os treinos são gravados e, posteriormente analisados para que seja dado um feedback individual a cada jogador. “É um controle para proteger o atleta. Já não é fácil muitas vezes você dar treinamento presencial para 30 pessoas de tipos físicos, experiência e nível de treinabilidade diferentes. Imagine então por vídeo e à distância. Então os treinos são gravados,  analisamos e discutidos, daí encaminho a avaliação para os atletas, para que possam ajustar o que é preciso, como, por exemplo, corrigir a intensidade ou velocidade de um determinado movimento”, explica.

Ele acrescenta que, apesar do trabalho forte, há necessidade de uma complementação quando os treinos presenciais forem liberados pelas autoridades sanitárias, substituindo os “virtuais.” “O ideal para voltar aos jogos com o mínimo de risco de lesão possível é termos metade do tempo que ficou parado para treinar antes de se iniciarem os jogos. Então hoje, por exemplo, precisaríamos de quatro semanas e meia”, avalia.

Os jogadores, porém, não estão preocupados com isso e, sim, focados em treinar com a intensidade ressaltada por Tiãozinho e Carnielli, pois sabem que tem uma obrigação pela frente. “Estamos fazendo treinos fortes e com muita dedicação, para que possamos estar bem quando os campeonatos se reiniciarem e voltar ao Paulista com vitórias”, conclui Vinicius Zanocello.   

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS