Ponte Preta prorroga parceria com projeto Ginga Foot e Papa Faye fica na Macaca té dezembro de 2020

Foto: PontePress

A parceria da Ponte Preta com o projeto Ginga Foot Casa Blanca, que atende cerca de 500 jovens jogadores de países africanos, deu certo e vai continuar. Apesar de atividades previstas para este ano – como a vinda de atletas do continente africano para períodos de avaliação na Base alvinegra e vice-versa – terem sido suspensas em virtude da pandemia de Coronavírus, a primeira ação da pareceria deu muito certo e por isso foi ampliada na manhã de hoje: a Macaca ampliou até dezembro o contrato do meia senegalês Papa Faye, com preferência de renovação para a Ponte por até mais três anos.

O contrato do atleta estava acabando e, em virtude do potencial e da raça exibida em campo e nos treinamentos, o compromisso com o jovem de 23 anos foi estendido. Papa disputou a Copa Africana Sub 17 e a Copa do Mundo Sub 20 pela seleção do Senegal e defendia no AS Sale do Marrocos antes de vir para Campinas.

No Majestoso, estreou na goleada contra o Afogados por 3 a 0 pela Copa do Brasil, e foi aplaudido pela torcida em virtude da gana e força de vontade que mostrou em campo. “Estou muito feliz em ficar no Brasil aqui na Ponte que, como disse, é um time que já amo e pelo qual torço. Estou pronto para  enfrentar as situações que vierem pela frente e sempre darei meu melhor e meu coração pelo time”, ressalta Papa.

Além da renovação, a Ponte Preta também tem planos para, depois que acabarem as suspensões das competições e treinamentos em virtude da pandemia do Coronavírus,  ampliar os intercâmbios feitos junto a Ginga Foot. O grupo também organiza trabalho com atletas na Costa do Marfim, Senegal, Camarões e busca – nessa formação de atletas – atender clubes europeus como Liverpool, Manchester United, Paris Saint Germain, Bordeaux e Lyon, entre outros.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS