Brigatti agradece apoio da torcida, com quem o time conta na quinta-feira pela Copa do Brasil, e enfatiza: “Temos três jogos pela frente e aqui ninguém vai jogar a toalha, com muita entrega e espírito de luta vamos sair desta situação”

Foto:PontePress/LuizGuilhermeMartins

Se o coração do pontepretano sofre com a derrota, o do técnico João Brigatti sofre dobrado, afinal além de também ser apaixonado pelo time do coração, cabe ao treinador comandá-lo em busca de vitórias. Porém, mesmo triste com o resultado contra o Bragantino Red Bull ontem (9), Brigatti mantém a convicção de que a Ponte vai, sim, voltar a vencer e sair da zona de rebaixamento do Paulistão.

“Não faltou entrega e espírito de luta ontem, e com esse espírito e o apoio do torcedor, tenho certeza que vamos sair dessa. É inegável que a situação é bastante difícil para nós, ficamos na zona do rebaixamento enquanto uma vitória nos colocaria em segundo do grupo e nos distanciaria dessa situação. Porém não podemos baixar a cabeça nem jogar a toalha: se vamos mudar isso, temos que ter esse espírito de luta, de não desistir, se entregar totalmente”, diz.

O treinador reforça que a situação, ainda que preocupante, é reversível. “Restam três jogos, temos nove pontos em disputa e ainda tem muita coisa para acontecer. Temos que olhar para  frente, pois com  vontade e determinação podermos conseguir sair dessa situação. Mas primeiro precisamos vencer o jogo de quinta pela Copa do Brasil, que é importante para nós e rentável para os cofres do clube, para depois voltar o pensamento de novo para o Paulista com mais  tranqüilidade para enfrentar nosso adversário no dérbi. Vamos seguir jogo a jogo”, afirma.

O comandante alvinegro reforça o clamor para que o pontepretano venha ao estádio apoiar o time no meio da semana, assim como fez ontem. “Quero agradecer todo o apoio da torcida, que veio no treinamento cobrar e nos motivar, e na noite de segunda nos incentivou do início ao fim. Entendo que não faltou espírito guerreiro, mas não conseguimos. Aliás, se em todas as partidas anteriores o time tivesse demonstrado o espírito que teve ontem, estou certo que não estaria nesta situação. Infelizmente enfrentamos uma equipe altamente qualificada , que investiu milhões e o que fizemos não foi suficiente”, lamenta.

Brigatti esmiúça o que assistiu em campo.  “Vejo que fizemos primeiro tempo aceitável, onde tivemos algumas chances. Anormal foram dez minutos do primeiro, com insegurança de sair jogando: temos que ter controle, confiança. Aí tomamos primeiro gol. E a equipe se abate psicologicamente, falta controle emocional pelos placares adversos que se acumularam antes. Mesmo assim a gente correu, criou algumas situações, o Safira marcou o gol e tivemos chance de empate, mas não foi suficiente”, analisa.

Ele conclui: “Não é do dia pra noite que conseguimos mudar, é com muito treinamento e fizemos uma boa semana, mas o lado psicológico cinda está pegando, a equipe se abate e mesmo indo para cima fica sem poder de reação por um tempo. Ontem fizemos gol e poderíamos até ter saído com empate, não faltou disposição. Eles se doaram ao máximo e infelizmente não foi o suficiente, mas já mudou algo: como disse teve muito espírito e empenho, e acredito que mantendo isso e evoluindo com apoio da torcida vamos melhorar e voltar a vencer.”

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS