Com 100% de aproveitamento nas cobranças, Ponte Preta elimina Vila Nova por 5 a 3 nos pênaltis e enfrentará o Afogados-PE pela terceira fase da Copa do Brasil

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Em um jogo em que praticamente só a Ponte Preta atacou e o Vila Nova se trancou na defesa, a Macaca teve chances, mas acabou empatando em 0 a 0 no tempo regulamentar com o Vila Nova. Com o resultado, a decisão foi para os pênaltis, e prevaleceu a frieza e competência do cobradores. Em meio à tensão, o time alvinegro teve 100% de aproveitamento e converteu todas as cinco cobranças, enquanto Gilsinho desperdiçou uma para o Vila Nova.  

Com o resultado, o time do técnico João Brigatti – que hoje teve no banco Fábio Moreno, em virtude de problemas burocráticos – eliminou o adversário e enfrentará na próxima fase da Copa do Brasil, a terceira, a equipe do Afogados-PE. Serão duas partidas, ainda sem data e ordem das sedes definidas. Agora, contudo, o foco da Macaca se volta para o São Paulo, que é o próximo adversário alvinegro pelo Paulistão 2020.

O jogo

A Ponte Preta começou indo para cima e deixando o Vila Nova focado apenas em se defender. Aos três, João Paulo recebeu bola na ponta esquerda e foi parado com falta.  Na cobrança, o meia carimbou a barreira e ganhou escanteio. Na sequência, aos cinco, a bola ficou viva na área do Vila, e Bruno Reis bateu forte para o gol, mas a zaga desviou para novo escanteio.

João Paulo cobrou na área, mas o Vila Nova afastou. Minutos depois, Felipe Saraiva tentou jogada pela esquerda, mas foi desarmado. Aos 13, Saraiva passou por dois adversários e chutou para o gol, mas a bola foi para fora campo.  Só aos 15 o Vila chegou ao gol da Macaca, com Talles finalizando e Ivan defendendo com facilidade.

No minuto seguinte, a defesa do Vila parou chute alvinegro com as mãos e o juiz deu falta antes da bola chegar a João Paulo, que tinha condições de finalizar. O Vila Nova se retraia cada vez mais no campo defensivo, tentando impedir todos os espaços da Ponte. Aos 20, após boa trama da Macaca, Apodi foi parado com falta a poucos passos da área oponente. João Paulo cobrou, mas a bola ficou na barreira.

No rebote, a bola sobrou acabou sobrando para Bruno Reis,mas ele não conseguiu concluir.  Aos 24, João Paulo roubou a bola e mandou para Apodi em boa posição, mas o camisa 22 perdeu o equilíbrio e não conseguiu concluir. Aos 25, João Paulo fez belo passe para Roger, mas o camisa 9 acabou chutando para fora.  No lance seguinte, o Vila Nova arriscou em chute de fora da área e a bola passou rente ao travessão.

Aos 36, Dahwan fez boa tabela com Roger e recebeu a bola na área, mas o goleiro oponente ficou com a bola. Quatro minutos depois, Saraiva armou contrataque e passou para João Paulo, que recebeu na área e cruzou rasteiro buscando Roger, mas a zaga goiana cortou para escanteio. Na cobrança, Trevisan tentou acertar de cabeça, mas o goleiro do Vila se antecipou.

Aos 44, em novo escanteio, João Paulo levantou na área e Roger ajeitou de cabeça para Bruno Reis, que finalizou de primeira, mas a bola passou por cima da defesa do Vila Nova.  Aos 47, o juiz apitou o fim de um primeiro tempo que foi marcado por um ataque incessante da Ponte a um adversário que só se defendeu.

No segundo tempo, a primeira chance da Macaca foi aos três, com Bruno Marques, mas o juiz marcou falta de ataque. Pouco depois, Yuri recuperou bola e passou para Roger, mas o camisa 9 foi desarmado. Aos cinco, Dawhan tenta o cruzamento na área do Vila, mas mandou forte demais.   No minuto seguinte, João Paulo partiu em velocidade e foi parado com falta por Liel, em lance para cartão – o jogador do Vila Nova já tinha amarelo e o juiz ficou na advertência verbal. Na cobrança, Saraiva chutou e no repique Wellington de Carvalho pegou e mandou  com força contra o gol, mas Liel tirou.

 

Aos nove, Nando parou Darnley com nova falta. João Paulo mandou para a área  e Roger ficou com a sobra no bate-e-rebate, mas Fabrício fez grande defesa. Pouco depois, aos 11, o zagueiro Trevisan levantou a bola  na área do Vila, mas Fabrício pegou.  Aos 12, Roger achou Felipe Saraiva na ponta direita e o atacante cruzou rasteiro para Bruno Rodrigues, que finalizou com perigo, mas a arbitragem marcou impedimento. Aos 21, em cobrança de falta, João Paulo mandou para área e Trevisan se esticou todo para cabecear, mas Fabrício defenseu. Na sequência, nova chance com Bruno Rodrigues, que chutou de fora da área e o camisa 1 oponente segurou mais uma vez. Aos 23, praticamente o único lance de perigo do Vila no jogo até ali: em cobrança de falta, Gilsinho levantou na área da Ponte e Brunão cabeceou bola venenosa, mas para fora do gol.

Aos 26, Mateus Anderson passou para Roger, que tirou do goleiro e foi chutar, mas acabou no chão. O camisa 9 pediu pênalti, mas o árbitro não deu. Aos 32, blitz da Ponte na área adversária, que levantou a torcida e acabou com a zaga oponente jogando para escanteio. Na sequência, Yuri mandou a bola para Mateus Anderson mandar chute para o gol adversário, mas Fabrício impediu um golaço. No minuto seguinte, Zanocelo chutou raspando no travessão.

Aos 37, Bruno Reis mandou bola enfiada para Roger, mas Brunão levou a melhor e afastou. Aos 42, escanteio para o Vila. No lance, Ivan defendeu a bola de soco e o adversário fez falta de ataque.  Aos 49, o juiz apitou o fim do tempo regulamentar e o jogo foi para as penalidades.

Roger bateu o primeiro no canto direito, no alto, e marcou. Ponte 1 a 0. Dimba empatou para o Vila Nova. João Paulo colocou a Macaca na frente de novo, mas Emanuel Biancucchi deixou tudo igual de novo. A terceira cobrança pontepretana foi convertida por Zanocelo. Na cobrança adversária, Gilsinho mandou para fora e a Macaca ficou na frente: 3 a 2.

Dahwan foi o próximo a cobrar e não perdoou, mandando no canto esquerdo de Fabrício e ampliando para 4 a 2.  Mário Henrique, porém, marcou para o Vila. A decisão ficou nos pés de Bruno Rodrigues, que marcou e selou a classificação da Macaca: Ponte 5 a 3, classificada para a terceira etapa da Copa do Brasil.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ivan, Dawhan, Wellington Carvalho, Henrique Trevisan e Yuri; Danrley, Bruno Reis, João Paulo e Apodi (Bruno Rodrigues); Felipe Saraiva (Mateus Anderson) e Roger. Técnico João Brigatti (Fabinho Moreno ficou no banco)

Vila Nova: Fabrício, Crystian, Danrlei (Brunão), Adalberto e Mario Henrique; Liel (Gilsinho), Pedro Bambu, Emanuel Biancucchi e Talles; Lucas Silva e Nando (Dimba). Técnico: Bolívar.

Arbitragem: Ramon Abatti Abel apitou, tendo como assistentes Éder Alexandre e Gizeli Casaril. Adriano de Assis Miranda foi o quarto árbitro e Silvio Cesar Silva de Lima, o analista de campo. 

Cartões amarelos: Bruno Reis e Wellington Carvalho  (Ponte), Liel  e Gilsinho (Vila Nova)

Público pagante: 2323

Público não-pagante: 97

Público total: 2420

Renda: R$ 48.190,00

 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS