Com Moreno no comando interino e João Paulo de volta, Ponte promete coragem para reencontrar o caminho da vitória nesta noite, no Majestoso, contra a Ferroviária

 

Foto:PontePress/RebecaReis

A Ponte Preta entra em campo na noite deste sábado de Carnaval com uma palavra-chave retumbando na cabeça e na alma: coragem. Com três derrotas seguidas pelo Paulistão e da  queda do até então técnico Gilson Kleina, o time enfrenta a Ferroviária em busca do reencontro com a vitória, para conquistar três pontos importantes que afastem a Macaca do terceiro do grupo e das pequenas, mas existentes, chances de entrar na zona de rebaixamento – a Macaca tem seis pontos e ocupa a segunda posição da chave, com um ponto a mais que o terceiro do grupo (o Água Santa) e também um a mais do que o primeiro do Z2 na classificação geral, o Botafogo-SP.

O adversário de hoje vem disposto , com cinco pontos e chances mais reais de queda, vA Ponte Preta não sabe o que é ser derrotada pela Fe a Campinas disposto a quebrar um tabu: a última vez que venceu a Macaca foi em 1990 – depois disso, foram 12 confrontos, sendo quatro empates e oito vitórias da Macaca. O técnico interino Fábio Moreno, contudo, sabe que retrospectiva e favoritismo não vencem jogos. Por essa razão, focou os poucos dias de treinamento entre a última partida e a de hoje não só em trabalho duro e tática, mas também  no fator emocional do time.

“No meu entendimento de futebol, são três grandes esferas que regem o jogador: a composta por mental e emocional, a física e a técnica/tática. Eu, como profissional do futebol, entendo que o emocional é o mais importante, tem que ser trabalhado todos os dias. Por isso a palavra que eu mais falei nos treinamentos foi coragem. Coragem para atacar, coragem para marcar, para jogar. Quando a gente subir lá no gramado hoje, já trabalhamos o que tinha de trabalhar do ponto de vista físico e técnico, por isso é ter coragem e alegria para jogar. Se não, a perna trava, a torcida vai cobrar, e aí o emocional afeta as demais partes”, avalia.

O treinador conta que ao longo da semana buscou dentro do plantel o que não só a Comissão Técnica e a Diretoria enxergaram quando os nomes do elenco foram confirmados, mas também os torcedores e a mídia: a qualidade dos jogadores, que é muito grande. “Quando esses jogadores chegaram era consenso que eles podiam render muito e dar um retorno muito grande. Por isso a gente quer resgatar dentro deles aqueles jogadores que a gente contratou, então a palavra que mais falo no treino é coragem. Posso afirmar hoje como treinador, mas principalmente como coordenador técnico, que é a gente faz o time ser grande de dentro para fora. O clube pode ser grande tendo uma estrutura pequena ou maior, sendo milionário ou não sendo. O que vale é a pessoa ter coragem, atitude, fazer o melhor, entregar sempre mais. Não pode ser tão fácil fazer gol na gente e a gente tem que ter mais qualidade para fazer o gol”, pontua.

Moreno sabe, contudo, que a tarefa pela frente não é fácil, até mesmo porque conhece de perto o treinador oponente. “Eu tive a oportunidade de trabalhar com o Sérgio Soares aqui na Ponte, então sei da dificuldade que vai ser este jogo. É um time de muita qualidade, que propõe e sabe sair jogando. Mas nosso time tem muita qualidade ta,bem e estou procurando fazer os jogadores se sentirem o mais à vontade possível. Eles vinham com carga emocional muito forte, passei que aliviou o peso: vamos fazer um novo começo, ter coragem, fazer o nosso futebol. Não está longe de acontecer, é só um tempo para o processo. Agora na sequência tenho certeza que melhora bastante”, acredita.

Para a partida de hoje, Moreno deve manter o esquema tático e a equipe-base que vinham sendo adotados por Kleina, mas com a volta do meia João Paulo, que cumpriu suspensão diante do Ituano. "Não dá para fazer grandes mudanças na escalação em poucos dias. O futebol não é feito dessa forma, é preciso tempo e um trabalho constante de aprimoramento”, diz o treinador.

João Paulo, por sua vez, destaca: “Precisamos virar o momento que vivemos e para reencontrar o bom momento o fundamental é ganhar. Nosso foco nesta noite é esse e vamos dar nosso melhor em campo logo mais, para voltar a vencer diante da nossa torcida”, ressalta.

Do lado da Ferroviária, o meia Fellipe Mateus deve ser desfalque por conta de suspeita de caxumba – o jogador precisou ser isolado do grupo para confirmação médica. Outra ausência é o zagueiro Carlão, que ainda não se recuperou de lesão no tornozelo direito.  Os ingressos para a partida de logo mais estão à venda até os 15 minutos do segundo tempo, a partir de R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). A partida tem transmissão nas rádios esportivas (em AM, FM e web), pay-per-view e, para fora de Campinas , pela SporTV.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS