Kleina quer reabilitação imediata: “É ruim não estrear bem e temos uma pedreira agora com o Botafogo, mas é acreditar, manter a cabeça erguida e ajustar as situações para vencer em Ribeirão”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Foi o primeiro jogo e, apesar do resultado ruim, a Ponte Preta iniciou o Paulista num grupo embolado e está na segunda posição da chave (o Santos tem um ponto e os demais times não pontuaram, sendo que a Macaca está em segundo pelo saldo de gols). Mas, é claro, ninguém está feliz com o placar da partida de ontem, quando a Ponte perdeu por 3 a 2 para o Santo André no Majestoso.

“É ruim não estrear bem e temos uma pedreira agora com o Botafogo, mas é acreditar, manter a cabeça erguida e ajustar as situações para vencer em Ribeirão Preto. Temos que trabalhar para reagir o mais rápido possível e saber controlar o emocional. A pressão existe e só sai se conseguirmos resultado, então temos que assimilar o que ocorreu, conviver com as criticas, corrigir erros e vencer. E, por mais que tenha havido a derrota, enxergar os conceitos corretos que colocamos em campo para aprimorá-los”, diz o técnico Gilson Keina.

O técnico alvinegro acrescenta que a derrota foi de todo o grupo e que é preciso que todo o elenco cresça junto. “Todos nós fomos derrotados, não adianta apontar um ou outro.  Faltou ritmo em alguns momentos, bem como um pouco de concentração, de comunicação. Mas a Ponte vai ser Ponte, não vamos nos moldar pelo adversário. Temos que fazer ajustes, nos precaver para não repetir erros, até porque é um campeonato de tiro curto e não tem jogo fácil”, diz.

Sobre o jogo em si, Kleina faz uma análise. “Tivemos no primeiro tempo três boas chances, uma com João Paulo e duas do Camilo, teve o pênalti a nosso favor e outro não dado, e tomamos empate em um lance ruim. Nos outros dois gols do Santo André não fizemos a cobertura devida e, mesmo assim, por muito pouco não empatamos no final, graças a uma defesa dificílima do goleiro deles. O fato é que eles tiveram o mérito de serem efetivos: nós tivemos 29 cruzamentos, mas erramos 20, tivemos mais posse, mais chutes, mas eles foram mais eficientes”, avalia.

O treinador reforça o pensamento e conclui:  “Nós saímos na frente, estávamos mais confortáveis no jogo e poderíamos ter feito segundo gol, mas tomamos o empate e mais dois gols que não poderiam ter saído. Ninguém está contente, todos queriam estrear com vitória. Mas temos que ver as coisas positivas e evoluir. O aspecto mais negativo é que nós é que colocamos o adversário dentro do jogo e infelizmente uma equipe que só contra-atacou está levou três pontos para casa. Porém, não podemos simplesmente achar que fizemos uma ótima pré-temporada em vão por causa de um tropeço no primeiro jogo: vamos trabalhar para reverter nos próximos jogos e pela classificação para a próxima fase do Paulista.”

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS