Meia João Paulo diz que gosta de ser o camisa dez e afirma: “Tenho respeito pela Ponte, é um clube centenário, e friso que primeiro queremos fazer um grande Paulista, depois colocar a Macaca na série A”

Foto:PontePress/CarlosBassan

Disputado por equipes da série A e um dos nomes mais comemorados quando anunciado pela Ponte Preta, o meia João Paulo transpira comprometimento com a equipe cuja camisa irá vestir neste ano. Isso fica evidente já nas razões que apresenta para ter recusado outras propostas, inclusive de equipes que estão na elite nacional.

“É um conjunto de razões: tenho respeito pela Ponte, é um clube centenário, de camisa e aqui terei a chance de disputar o Campeonato Paulista, que é o maior estadual do Brasil, e ajudar o time a subir. Friso então que o objetivo é primeiro vamos fazer um grande Campeonato Paulista, depois colocar a Macaca na série A.  Estou muito feliz pelo carinho da torcida e da diretoria, e espero corresponder à altura: vou trabalhar forte para isso e conquistar nossos objetivos em 2020”, afirma.

Se depender da vontade do jogador, a torcida não precisará sentir saudade de Renato Cajá. “Já joguei como ponta e como camisa 10, mas tenho minha preferência, que é vestir a dez sempre chegando na frente para ajudar os companheiros e marcar gols”, revela o jogador de 29 anos que, em 2019, foi o atleta que mais atuou pelo Avaí – com 49 partidas –e sagrou-se campeão catarinense.

João Paulo fez parte da campanha do Atlético-GO que lutou pelo acesso no Campeonato Brasileiro Série B em 2018 até a última rodada e, neste ano de 2020, não quer ficar no quase: a meta é o acesso. “A expectativa é muito boa e sempre chego bastante motivado. Não trabalhei com o Kleina ainda, apenas joguei contra, mas sei pelo que os colegas falam dele que é um cara justo, tranqüilo mas que cobra quando tem que cobrar, e tem um trabalho muito bom. Então espero e acredito que junto com todos os colegas consigamos conquistar os objetivos do clube”, conclui.

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS