Em semana de expectativa de novos anúncios para 2020, Kleina fala sobre o perfil do elenco que quer para o ano que vem

Foto:PontePress

A Comissão do Futebol Profissional, que avalia todas as contratações da Ponte Preta, segue trabalhando e a expectativa é que a Macaca anuncie novos atletas para a composição do elenco de 2020 nesta semana. O técnico Gilson Kleina, que integra a Comissão – ao lado do presidente Sebastião Arcanjo,  do Executivo de Futebol Gustavo Bueno, do diretor financeiro Fábio Abdalla, do vice-presidente Hélio Kazuo, do ex-presidente Vanderlei Pereira e do presidente de honra Sérgio Carnielli – enfatiza que o perfil dos jogadores para o ano que vem é bem definido.

 “Sempre gostei de time vertical, pressão com linha alta e organização se não roubar a bola. A transição também precisa ser rápida, não pode demorar muito. Queremos uma equipe de mais intensidade, tanto na hora da organização ofensiva quanto na defensiva. A Ponte Preta sempre se moldou desta forma. É isso que estamos tentando fazer com os jogadores que pretendemos contratar. E do ponto de vista de atitude, quero voltar a ter um vestiário de mobilização, com jogadores que sejam comprometidos com a camisa”, diz Kleina.

Ele acrescenta: “Só vamos reverter o que aconteceu aqui neste ano com trabalho, contratações e um comportamento diferente de todos os profissionais, com mais comprometimento com esta camisa que tem história e merece respeito. Além disso, vamos apertar um pouco a linha de disciplina, ficar um pouco mais atento a algumas situações para não perder tempo com extracampo, que afeta qualquer tipo de desempenho. Vamos cobrar isso mais. A mudança tem que ser comportamental.”

Neste sentido, o treinador elogia os jogadores que permaneceram no elenco e os novos já anunciados, Bruno Reis e o Alisson. “São jogadores que monitoramos muito, demonstram comprometimento e os números deles defensivamente são muito bons. O Alisson é um zagueiro pelo lado direito, também já fez pelo lado esquerdo, participou dos acessos do Operário.  O Bruno Reis é um volante que jogou muitos jogos na Série B, se destacou nesta posição a nível de assistência, de passe verticalizando, tem uma profundidade muito boa e também tem acessos com o Operário”, lembra.

Com o fim da série A, a perspectiva da Comissão é fechar novos nomes para o elenco até sexta. “A gente briga com o mercado, atualmente as equipes estão se equilibrando e também sabem fazer planejamento. A gente não pode sequer colocar os nomes que pensamos , porque a série a acaba de terminar e se alguns nomes vazam acabam surgindo novas propostas de outros times.  É preciso levar em consideração ainda que temos que fazer contratações que já valem para 2020 inteiro, para não repetir o que aconteceu este ano, em que a Ponte terminou o Paulista, refez a equipe, depois refez dentro do campeonato de novo, foram 22 ou 23 saídas.”

Neste sentido, Kleina ressalta a importância de estar envolvido no processo de contratação desde o início – no ano passado, a equipe do Paulista foi montada sob observação do técnico Mazola e a do Brasileiro, de Jorginho. “Participar diretamente da montagem é importante, você indica nomes, perfil e vai delineando o sistema de jogo. Repito que é importante essa questão de intensidade: precisamos ter mais jogadores para pressionar o homem da bola. Tivemos essa dificuldade neste ano de 2019: até tínhamos uma condição técnica favorável, mas sem o dinamismo que o futebol pede muito em cima das características de força ou velocidade. É claro que também precisa ter qualidade, mas são essas valências que estão predominando. Estamos desenvolvendo nossos conceitos em cima disso”, explica.

O treinador fala ainda sobre os atletas da Base que subiram para o profissional. “Já trouxemos para o zagueiro Léo e o Vinícius Zanocello, e vamos subir o volante Darnley, que tanto pelo que vimos quanto pelos relatórios que vieram da Base quanto pelas conversas que estou tendo com o Sandro Forner, treinador do SUB20, entendo que é um perfil da Ponte Preta. Também quero ver na taça outros jogadores, como o Isac, que ainda não vi jogando, o Igor Maduro e o atacante Veras, que parece ser interessante”, explica.

 Ele conclui revelando o número de jogadores com o qual pretende contar para o ano que vem – o elenco irá se apresentar no dia 3 de janeiro para o Campeonato Paulista. “Nós definimos 26 atletas de linha com mais os quatro goleiros e sempre tem a margem de chegar a 30, 35, se houver razão para isso. A Ponte Preta sempre tem que estar atenta a trazer bons jogadores pra cá”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS