Com Cajá e Lucas Mineiro à disposição, Ponte enfrenta Paraná nesta noite de quarta (25) em busca da vitória

Com o volante Lucas Mineiro e o meia Renato Cajá, mais recentes reforços da Macaca, à disposição do técnico Gilson Kleina, a Ponte Preta entra em campo às 19h15 desta quarta (25) em busca de uma vitória contra o Paraná, na casa do adversário. O confronto  é o chamado jogo de seis pontos: o time alvinegro tem 31 pontos – no momento, a seis do G4 – e o adversário tem33. Vencer, portanto, é duplamente importante e para isso o treinador confia em uma mudança inclusive de atitude do elenco;.

“Vejo que os atletas estão querendo dar resposta positiva, porque mudou muito a atitude nos treinos. E é isso que estamos buscando, fazer uma equipe forte e equilibrada. A intensidade de treino é que vale para o jogo, tem que treinar como vai jogar. Hoje à noite temos de ser uma equipe competitiva, mas lúcida e organizada também”, enfatiza Kleina, que tem boas expectativas para as estréias de Cajá e Lucas Mineiro e acredita que a dupla poderá ajudar também  no aspecto psicológico.

“A diretoria se movimentou e trouxe dois grandes jogadores para a Ponte. O Lucas vai agregar muito em vários aspectos, tem bom passe, finaliza de média distante, tem boa saída e um jogo aéreo muito bom. Já conhece também a Ponte. Ele não vinha jogando, mas não tem histórico de lesão e entendo que vai equilibrar as ações no meio de campo. O Cajá é uma administração que temos de ser inteligentes nos treinos. É acima da média, tem uma visão que poucos têm no futebol de hoje. Vinha jogando no Juventude e está com ritmo de jogo. Tem uma certa idade, mas conhece como ninguém a Ponte, tem um legado aqui dentro. Espero que os dois possam trazer uma mentalidade vencedora.”

Se por um lado tem bons reforços, por outo Kleina não poderá contar na partida de logo mais com o volante Camilo (que cumpre suspensão) e com o atacante Marcondele, que sofreu lesão no músculo posterior da coxa direita nos treinamentos da semana e ficará em tratamento no DM. Por essa razão, o treinador fechou não antecipa a escalação para logo mais. “A gente testou algumas formatações e situações diferentes, sempre com o intuito de conhecer melhor os setores, mas também mudar um pouco nosso comportamento, a atitude. Vamos entender qual formação pode ser melhor para ter equilíbrio”, pontua.

Kleina relembra que desde que chegou não tem podido contar com o elenco completo, mas aos poucos vai ajustando a equipe. “Tivemos algumas situações neste início de trabalho. Começamos com o Longuine, que perdemos por lesão, e o Camilo agora tem mais uma suspensão. Tínhamos a estreia do Lucas para fazer na rodada passada, mas não conseguimos por buriocracias. Começamos bem contra o Vila Nova, aí tivemos a lesão do Marquinhos. Depois perdemos o Dadá e agora o Marcondele. Isso é um pouco prejudicial, pois futebol é dar sequência para criar uma identidade”, diz.

 

 

 

O treinador, porém, destaca que a Macaca precisa superar estas situações e reencontrar a vitória. “Ninguém gosta de perder, todo mundo entra em campo com a vontade de vencer. Existe uma diferença entre a Série A e a Série B. A qualidade existe no grupo, mas também precisa ser um time aguerrido. O futebol nivelou muito, não pode achar que só história entra em campo. A camisa da Ponte é pesada, mas contra o Operário, por exemplo, houve momentos que o zagueiro deles estava empurrando o Roger, e todo mundo sabe quem o Roger é. Eles estavam com brilho nos olhos. Tem que jogar assim. Claro, não é só brilho nos olhos que ganha jogo: é qualidade, organização, mas tem de ter esse espírito. Essa divisão pede foco e comprometimento”, finaliza.

A partida de logo mais tem transmissão ao vivo pela SporTV e cobertura completa da Rádio 1900, a Voz da Macaca, em FM 96,5 e FM 98,3,  bem como transmissão simultânea no Youtube, via PonTV.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS