Precaução e exemplo: atletas da Macaca passam por vacinação contra sarampo em dia de treino

Foto:PontePress/ThiagoToledo

O sarampo é uma doença infecciosa grave e a única maneira de evitar é a vacina. Números divulgados ainda nesta sexta (6) pela Secretaria Municipal de Saúde mostram que já são 37 casos confirmados da doença em Campinas, uma escalada progressiva, já que são dez a mais do que a cidade registrava em 29 de agosto. Por isso mesmo, vacinar contra a doença é importante e os jogadores, comissão técnica e funcionários da Macaca deram o exemplo – e ficaram precavidos da doença – nesta sexta, quando apssaram por vacinação contra a doença no CT do Jardim Eulina.

“A vacinação é uma forma efetiva de se impedir a propagação do Sarampo . Apesar de doença ter sido anteriormente eliminada e o Brasil ter recebido certificado da Organização Pan-Americana da Saúde, houve aparecimento de novos casos em alguns estados e por isso os órgãos de vigilância estão intensificando a vacina no sentido de controlar a disseminação do vírus . Quero registrar, inclusive, um agradecimento especial à Secretária de Saúde de Campinas, que através da coordenadora da Visa Leste, Ana Marian Solbiati Pinotti ,viabilizou a vacinação aos atletas da Ponte", diz o diretor médico alvinegro, o médico Cláudio Roberto Simões.

Normalmente, a vacina contra o sarampo é dada até os 15 meses de vida, em duas doses. Porém, em virtude do surto , está sendo dada uma aplicação antes mesmo disso, a chamada dose zero. Segundo dados da secretaria de Saúde, Campinas tem cerca de três mil crianças entre seis meses e 11 meses e 29 dias que ainda precisam ser vacinadas com a dose zero da vacina tríplice viral – que previne contra sarampo, caxumba e rubéola. Esta medida não exclui a criança de receber as outras duas doses, aos 12 e aos 15 meses. Além disso, também por causa do surto, pessoas de até 59 anos que não tomaram ou não sabem se tomaram a vacina devem fazer isso o quanto antes.

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa causada por um vírus do gênero Morbillivirus, da família Paramyxoviridae. A transmissão pode ocorrer por meio da fala, tosse e/ou espirro. O quadro de infecção pode ser grave, com complicações principalmente em crianças desnutridas ou com sistema imunológico debilitado. Entre os princi´pais sintomas da doença estão febre alta (acima de 38,5ºC), dor de cabeça, manchas avermelhadas na pele do rosto e atrás das orelhas, tosse persistente, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa da boca.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS