Roger destaca a volta pra casa, assume papel de líder e se mostra focado na luta de levar a Ponte para a Série A

Nesta atual temporada, muitos atletas da categoria de base da Macaca estão ganhando espaço no time principal. E quem chega para ter um papel de liderança junto ao grupo é também prata da casa, mas  já carrega a experiência dos 34 de idade e de dezenas de gol anotados com a camisa alvinegra. Trata-se, é claro, do atacante Roger, que foi oficialmente apresentado com a camisa pontepretana.

“Estou feliz de estar de volta para a minha casa. A ideia é ajudar a Ponte nessa batalha da Série B, devolver a Ponte para a Série A, que é onde temos que estar. É o nosso lugar. Venho com a responsabilidade de empurrar a bola para dentro. Mas, no futebol de hoje, tão pouco importa quem faz o gol, mas que vençamos e saíamos com os três pontos”, afirma o jogador, que comemora o retorno.

“Estar aqui é voltar a ser feliz, a ter prazer de jogar futebol. É óbvio que os gols e as vitórias vão trazer isso tudo, mas o foco é reconquistar algo que, depois do meu problema de saúde, eu tenha perdido em algum momento. Mas estou feliz de estar de volta, e é esquecer o que ficou para trás e olhar para frente. Buscar essa artilharia da Série B, que é um sonho, mas o objetivo maior é devolver a Ponte à Série A”, avalia o atleta.

Roger faz questão de frisar que vem para ser um líder dentro do grupo. “Assumo a responsabilidade de ser um dos líderes da equipe. Foi feito um esforço para que eu estivesse aqui. As duas partes se esforçaram e estou pronto para essa responsabilidade. Sei que trago sempre o peso por ser da cidade, por ter uma identidade maior, a família da gente tem sempre 30 ou 40 pessoas no estádio, mas estou pronto para isso. Cabeça boa, tenho treinado bem e se o professor Jorginho optar para que eu saia jogando, estou pronto para ajudar”, reforça o centroavante que recorda a trajetória no futebol.

“Muita coisa mudou, principalmente a minha postura. Nos últimos sete ou oito anos eu tenho uma postura de atleta. Poderia em algumas decisões ter pensado melhor. Mas aprendi com isso. Algumas decisões deram muito certas e outras muito erradas. Assim é a vida. Me considero um cara vencedor. Consegui realizar o sonho de ser jogador de futebol, primeiro dos meus pais e depois meu. Ajudei meus irmãos a se formarem na faculdade, ajudei meus pais a terem uma casa melhor, uma estrutura de vida melhor e tudo isso é muito válido. Se eu pudesse voltar no tempo faria muita coisa diferente, principalmente os excessos, mas me considero vitorioso e pronto para o desafio”, ressalta Roger, que acrescenta.

“Vou para 150 jogos aqui. Vou bater marca de muita gente e ficar marcado na história do clube. Vou fazer parte desse hall. Eu vim pronto para isso e acho que estou pronto para assumir essa responsabilidade de fazer essa ponte da rapaziada do campo, para a torcida. O campeonato é muito longo, haverá altos e baixos e nessa hora tem que ter alguém para abraçar, que tem as costas um pouco mais largas, mas que o objetivo seja alcançado”, comenta o atleta.

Roger finaliza contando sobre a força e importância da nação pontepretana. “Precisamos muito do nosso torcedor e quero aproveitar para dizer que eles precisam voltar ao estádio, para termos a nossa força. Somos fortes quando a torcida está ao nosso lado nos apoiando e sábado precisamos do apoio. Venham para o estádio, lotar o Majestoso, para nos ajudar a encostar no G4”.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS