Alex Maranhão: “É uma honra ter sido escolhido para vestir a camisa do maior time do Interior e quero fazer gols e ajudar a levar a Ponte à série A”

Foto:PontePress/ThiagoToledo

Quando recebeu o convite para jogar na Ponte Preta, Alex Maranhão pensou na hora em aceitar, mas, por via das dúvidas, ligou para dois amigos que passaram pela Macaca: Silvinho e Piá. De ambos, ouviu a mesma coisa. “Me disseram pra não pensar duas vezes, que é um time grande, de pressão, e jogador gosta disso. Vim para fazer gols e quero colocar a Ponte na série A com meus colegas de elenco. É um grande desafio e o ser humano pra evoluir precisa de desafios. Não é a toa que a Ponte é conhecida como maior time do interior, é um clube grande, tradicional,e  para mim é uma honra ter sido escolhido para vestir essa camisa, representar as cores da Ponte Preta”, enfatiza.

Alex também ouviu dos amigos que na Macaca o jogador tem que se dedicar por inteiro e gostou disso.”Eu sou assim e todo jogador precisa entender onde está. Aqui se preza muito a raça, o não desistir nunca, e quem joga na Ponte tem que entender que é um DNA do clube.  Venho para fazer tudo o que puder pelo time, marcar gols e dar alegrias para a torcid, e espero que em novembro estejamos comemorando o acesso para a série A”, diz.

O jogador fala um pouco sobre as próprias características de jogo. “Sempre fui um meia fazedor de gols, que tem como principal característica a bola parada. Desde o ano passado fui também adaptado como segundo volante, um camisa 8 saindo, armando mais o jogo e chegando com possibilidade de finalizar. Nos dias de hoje um jogador tem que se adaptar a fazer várias funções, se faz uma coisa só perde espaço. Então consigo jogar como um meia mais adiantado e também como segundo volante, e se você pensar um camisa 8 e não deixa de ser um tipo de meia, pois com bola você arma, mas sem bola é mais defensivo.”

Maranhão conta que a Macaca é o décimo time profissional da carreira dele, iniciada há 16 anos, e espera deixar sua marca na luta pelo acesso. “Tenho certeza que a Ponte vai ser uma das candidatas ao acesso, o Jorginho é um grande técnico e o planejamento do time está sendo bom neste ano, não chegou nas finais do Paulista porque pegou os dois mais fortes da competição no mesmo grupo e teria ido se estivesse em outro e nas finais do Interior, contra o melhor time da primeira fase, fez um jogo de equilíbrio mesmo com um a menos, perdeu na fatalidade, nos pênaltis”, diz.

Dizendo-se ansioso para vestir logo a camisa pontepretana em uma partida, o jogador completa o raciocínio falando sobre o que será preciso para garantir o acesso. “A série B é competitiva e se você pegar por base equipes que subiram nos últimos anos, como Fortaleza e Atlético Goianiense, vê que elas mantinham a regularidade e eram fortes dentro de casa. A Ponte tem essa força da torcida, que abraça o clube, é fanática, e com certeza o torcedor vai ser muito importante nesta nossa empreitada.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS