Jorginho se diz satisfeito com resultado contra o Bragantino: “Mais do que pela vitória, fiquei feliz porque demonstrou a força do elenco”

Foto: PontePress/ÁlvaroJr

Desde que anunciou que colocaria em campo o chamado “G2” – grupo de atletas que não costuma atuar com freqüência (ou ainda não teve chance) nos jogos da Macaca – o técnico Jorginho deixou claro que não se tratava de teste e sim de dar ritmo aos jogadores. Fosse um teste, porém, o professor Jorginho com certeza teria aprovados alunos no jogo de ida das quartas de final do Torneio do Interior realizado ontem (24), contra o Bragantino. Afinal, destaca o treinador, não só o G2 venceu, como – mais importante – convenceu.

“Fiquei muito satisfeito, não só pelo resultado, mas pela força que o elenco. Trabalhamos no dia a dia com G1, que são os jogadores que atuam com freqüência; o G2, que costuma ficar mais no banco; e o G3, que são aqueles que nem no banco ficam ainda, como alguns atletas da Base, mas ontem tínhamos alguns deles no banco, como o o Igor Maduro e o lateral Jean, de 16 anos, que joga demais e quero ver em campo, só que ontem o Abner estava muito bem e não ia tirá-lo. O importante é que todos saibam que tem condições de jogar como titular e é isso que vimos contra o Bragantino”, diz.

Jorginho antecipa, inclusive, que ainda não definiu quem entra em campo na quarta-feira (27), no jogo de volta das quartas. “Não temos a resposta ainda: vamos tomar a decisão, que é sempre minha, mas gosto de ouvir os jogadores.Queremos rodar o elenco, mas temos que equilibrar, pois ao mesmo tempo que quero dar ritmo ao G2, o G1 não pode ficar 13, 14 dias sem jogar. E, por outro lado, temos que tomar cuidado com lesões, levando em consideração nosso jogo pela Copa do Brasil contra o Aparecidense e o Brasieliro da série B. Então vou tomar a decisão conversando com os atletas”, explica.

Independentemente de quem irá jogar nesta semana, Jorginho ficou feliz por ver boas atuações de quem jogou, caso, por exemplo, do lateral Arnaldo, responsável pela bela jogada – com ditreito a chapéu – que resultou no gol de Hugo Cabral. “Para o treinador é muito bom saber que jogador que está entrando tem potencial Mesmo aqueles que estavam voltando de lesão, como o André Castro, ainda que não tenha apresentado muita criatividade cumpriu defensivamente o papel dele. No caso do Arnaldo é muito bom contar com um atleta que tem característica muito diferente do Luís Ricardo, que é quem tem jogado como titular. O Luís é mais experiente, com mais cadência de bola e jogo mais curto, enquanto o Arnaldo é mais agudo, entra mais em velocidade. Isso facilita tudo pra mim,:quando quiser jogar de uma forma eu posso, quando precisar posso mudar”, pontua.

Ele também registra outros setores do campo que se destacaram. “Nossa zaga, por exemplo, foi segura, firme. O lateral esquerdo Abner é jovem, mas seguro, com personalidade, apóia o grupo. O Lyncon e o Hugo, que estava jogando como titular e ficou dois jogos no banco, foram muito bem. Então repito que saímos com saldo positivo não só por causa da vitória, mas por constatar que temos um bom elenco e que precisaremos apenas contratações bem pontuais para que possamos enfrentar Copa do Brasil e Brasileiro da série B”, avalia Jorginho, que faz questão ainda de elogiar o goleiro Ygor Vinhas.

“O Ygor foi muito seguro, criativo, é um jogador que usa bem os pés e sai jogando muito bem, tem boa explosão, foi extremamente firme quando foi exigido. É ótimo saber que podemos contar com ele e o Ivan, e ainda temos Gui e Pedrão. Estamos bem servidos de goleiros para a série B e para a Copa do Brasil.”

Sobre o jogo contra o Bragantino em si, o treinador fala sobre a ausência de um meia de ofício, que gerou um pouco de dificuldade na transição, em especial na etapa inicial. “Cobrei isso no  intervalo e tivemos um segundo tempo melhor, tanto Hugo quanto Lyncon fizeram bem a entrada vindo por dentro pros laterais passarem. Sabíamos que não teríamos um dez como Matheus Vargas, mas ficaríamos seguros defensivamente e manteríamos bem a posse de ebola. De fato, todas as vezes que fizemos isso levamos muita dificuldade pra eles. Nossa equipe teve personalidade e muita obediência tática.”

O treinador finaliza destacando que será necessária bastante atenção no jogo de volta. “Teremos uma pequena vantagem, temos o direito a empate pra seguir em frente, mas basta perder por um gol que já vai pra pênalti, nada está decidido. Ma so importante do resultado de ontem é que conseguimos jogando um bom futebol.”

 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS