É noite de dérbi ! Ponte Preta enfrenta Guarani nesse sábado (16), no Majestoso com torcida única, no primeiro clássico de 2019 entre as equipes

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

Hoje tem clássico! Neste sábado (16), às 19 horas, a bola rola no primeiro dos três dérbis já previstos para este ano e a batalha é no  Moisés Lucarelli: uma noite que promete casa cheia de alvinegros. Com torcida única e mais de 12 mil torcedores garantidos até ontem (a venda de ingressos termina às 14 horas de hoje), a partida que é válida pelo Campeonato Paulista, mas é bem mais que isso! Trata-se de um campeonato à parte, uma história que começou em meados de 1912 e que chega logo mais ao 193º capítulo.

Com a vitória de ontem do Red Bull, a Ponte entra em campo já sem possibilidades de classificar para a próxima fase do Paulista, uma vez que o Toro chegou a 24 pontos e, faltando apenas o jogo de hoje e o da próxima rodada, a conquista do segundo lugar no grupo  é impossível para a Macaca – que tem 16 pontos. Ironicamente, se estivesse em outro grupo, a alvinegra seria vice-líder ou líder com a pontuação conquistada. Mas isso já é passado. O foco hoje é um só: aumentar a contagem de vitórias pontepretanas na história do dérbi campineiro.

“Não vai faltar entrega e vontade. Essa equipe está muito determinada e quer alcançar muito mais. Independente do resultado do Red Bull, vamos entrar da mesma forma. Vamos entrar com tudo em respeito ao nosso torcedor e a nós, porque estamos fazendo uma excelente campanha. E aí, quem sabe não podemos até forçar um pouco no futuro para que se mude o regulamento? Acho muito injusto uma equipe que estaria líder em dois grupos e em segundo lugar em outro estar fora dos playoffs”, ressalta o técnico Jorginho.

O treinador ressalta a postura do time alvinegro para enfrentar o rival que, em caso de vitória da Ponte Preta, também perde as chances de seguir no Paulistão. “Dentro do foco e da raça, tem que ter equilíbrio, porque precisamos estar bem organizados taticamente, precisamos estará com equilíbrio emocional. Se perdermos um jogador em um jogo como esse, dificulta bastante, etemos que tirar proveito de jogarmos em casa”, diz o treinador, que acrescenta: “Desde a minha época de atleta eu gosto desse nível de jogo, com estádio lotado. Teremos mais de 12 mil torcedores aqui e isso é maravilhoso. Quero que aconteça nos próximos jogos, como foi contra o Vélez na Sulamericana em 2013, em que viemos aqui e trabalhamos com 18 mil torcedores. Eles jogam junto! São verdadeiramente o camisa 12 dessa equipe.”

Titular desde o início do ano, Gerson Magrão também ressalta a importância de praticar um bom futebol diante do maior rival. “Fizemos dois resultados positivos nas últimas rodadas, o que nos dá moral para chegar no clássico. Ganhamos fora, coisa que não acontecia também. Então a Ponte tem que entrar para vencer. Não dá para pensar de outra maneira”, afirma o meio-campista Gerson Magrão, que atuou em todos os jogos da Macaca até o momento. O atleta aliás, iniciou o ano atuando mais à frente em um sistema implementado pelo ex-técnico alvinegro Mazola Jr. e com o Jorginho tem trabalhado em outra posição.

“Com o Mazola estava jogando um pouco mais adiantado. Quando fiz meu primeiro jogo com Jorginho, não me senti à vontade, conversei, falei que poderia render mais na minha posição, mas ele falou que estava gostando e que pensaria numa situação melhor para desenvolver meu futebol. Foi indo e estou gostando. Vejo o jogo de frente, dá para virar o jogo. De meia, muitas vezes pegava de costas e jogando de frente estou gostando, está legal”, avalia o atleta.

Aos 33 anos, Magrão já teve a experiência de outro clássico importante no Brasil, mas projeta algo bem diferente. “Joguei Cruzeiro x Atlético-MG, mas aqui é diferente. Pelo fato da cidade ser menor que BH, estádios próximos, todo mundo comentando, mensagens, na frente do estádio vemos vários torcedores o tempo todo. Isso é bom, motiva, mexe com a cidade, mexe com todo mundo. Espero que no jogo possa sair vitorioso”, reforça o volante.

Sobre a equipe que vai entrar em campo, o técnico Jorginho faz mistério. É certo, porém, que Ivan – que não atuou no último jogo em decorrência de uma pancada na rodada anterior – volta a vestir a camisa 1. O treinador destaca apenas a preparação da equipe para a partida e afirma que quem entrar em campo vai dar o sangue para escrever o próprio nome na história centenária dos dérbis.

“Fizemos um bom trabalho essa semana. Sempre trabalhamos em cima do que pretendemos propor como um jogo e é claro que a cada jogo nós observamos o adversário. Tivemos a oportunidade de observar pessoalmente lá contra o Ituano e de ver outros jogos deles. Sabemos que é uma semana especial. Por mais que a gente queira fazer de uma semana como as outras, não é. Essa é uma realidade. Como um ex-atleta eu posso falar isso, porque vivemos esse momento diferente. É importante isso. Faz com que nos concentremos mais, até mesmo uma oportunidade de falar aos jogadores que se concentrarmos sempre dessa forma, tendemos a ter boas atuações. E é isso que queremos fazer hoje: jogar bem e presentear a nossa torcida com uma vitória no clássico”, conclui.

Os ingressos para a partida desta noite são vendidos até às 14 horas a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).  Caso haja fila, desde que restem ingressos, a Ponte pretende atender a todos os presentes. Quem não for ao Majestoso tem como opções o pay-per-view ou as rádios esportivas FM 99,1 e AMs 870, 1170 e 1270. Outra opção são as webradios, como por exemplo  Pontenews, Futebol Interior e Macacada Reunida.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS