Ponte treina nesta quinta e Jorginho ressalta que erros serão corrigidos com tempo de trabalho e lamenta eliminação na Copa do Brasil: “Não era o que a gente esperava nem o que a torcida merecia”

Foto:PontePress/ThiagoToledo

A Ponte Preta chegou a Campinas no início da tarde de ontem (13) e nesta tarde retoma os treinos, agora com foco exclusivo na rodada deste final de semana no Paulistão. O clima entre os atletas é de frustração pela eliminação precoce, mas o técnico Jorginho enfatiza que a equipe não pode se abalar: o momento é de muito trabalho, pois afinal a Ponte  tem pela frente tanto a disputa do Paulista como, na sequência, a série B do Brasileirão.

“Temos que corrigir os erros e isso se faz com tempo de trabalho. Sábado já temos o Novorizontino pela frente, depois os atletas tem um pequeno descanso necessário e a partir daí teremos três semanas cheias de trabalho entre jogos. Precisamos organizar equipe, trazer um padrão e mais posse de bola, que é fundamental. Mas não podemos nos abalar, mesmo na triste derrota de ontem  demonstramos no segundo tempo que temos condições de melhorar.”

O treinador avalia que o grande problema em Goiás foi o primeiro tempo de jogo, no qual a Macaca foi muito mal. “Eles jogaram com sangue nos olhos, como nós deveríamos ter feito. Em vez disso fomos completamente envolvidos , não nos encontramos, não saímos da nossa defesa, não conseguimos manter a posse de bola.  No segundo tempo melhoramos muito, se tivéssemos feito no primeiro metade do que fizemos no segundo teríamos saído com a vitória. Mas infelizmente fomos eliminados: não era o que a gente esperava nem o que a torcida merecia”, afirma.

Questionado sobre as carências do elenco, o comandante alvinegro não titubeia. “Conheço bem o grupo, o elenco, sabemos das carências que temos, principalmente de jogadores mais rápidos pelos lados. Basicamente desta forma temos hoje o Hugo Cabral e o Dudu, mas uma equipe que pensa em classificação pro Paulista e depois subir no Brasileiro precisa de mais. Temos hoje duas inscrições ainda no Paulista, então se conseguimos trazer já, são extremamente necessários esses homens de velocidade e de lado”, diz.

Jorginho acredita, porém, que o grupo tem boas qualidades e descarta questões de preparo físico ruim. “Ontem tivemos dificuldades de posse, mas a equipe é qualificada tecnicamente falando. E seria injusto colocar o peso da derrota no preparo físico quando no segundo tempo a coisa mudou. Na primeira etapa a equipe não estava organizada como deveria e no segundo tempo isso ocorreu, eles entenderam o que eu queria”, conta.

O treinador acrescenta, inclusive, a mudança de atitud na etapa final. “Mesmo depois de o juiz ter anulado gol eles não desistiram, mesmo depois de terem esfriado por causa de mais de 15 minutos de jogo parado, uma situação inusitada pela qual nunca passei por isso antes. Já sofri com gols ilegais, perdi títulos por causa deles e também ganhei jogos com gol irregular, mas o que ocorreu ontem com interferência extracampo, nunca vi”, lamenta.

Sobre este fato, por sinal, Jorginho relembra que a diretoria alvinegra está tomando providências e prefere não se alongar no tema. “Nós tivemos uma ótima chance com o Thalles. A bola bateu na trave e voltou pro Hugo, que estava em posição irregular, sim, mas não é isso que estamos discutindo e sim a regra: se você não tem Var, não pode consultar alguém de fora. O juiz e árbitros de linha determinaram, não tem como delegado determinar, é ilegal.”

Jorginho finaliza respondendo a questionamento em relação ao desligamento do técnico interino João Paulo Sanchez, que foi desligado na terça em virtude de cortes de custos. “Acabei de chegar com minha comissão, com auxiliar e preparador. Não tenho nenhuma ingerência em relação a demissão ou permanência de um profissional do clube, o clube tem suas razões para tomar decisões.”

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS