Executivo de Futebol Marcelo Barbarotti destaca elenco praticamente fechado para início de temporada e comprometimento de atletas com projeto pontepretano

Foto:PontePress/ThiagoToledo

Há uma semana do início do Campeonato Paulista 2019, Executivo de Futebol da Ponte Preta, Marcelo Barbarotti, analisa a formação do elenco e se mostra contente com o trabalho desenvolvido até o momento. “Ficamos satisfeitos. Do meio para trás, na parte defensiva, está completo. Estamos satisfeitos com as peças que chegaram, só que ainda faltam uma ou duas, que estamos negociando, para finalizar o setor ofensivo. Nosso objetivo é estar com o elenco fechado até o fim da semana, para já no início da semana os atletas estarem conosco. De repente, se fecharmos só com um, ficaremos ainda com uma vaga. Mas são situações bem encaminhadas”, revela o dirigente, que conta mais sobre essas últimas buscas.

“Na parte da frente chegamos a pensar em ter uma outra peça como centroavante, mas olhando o que seria uma carência para nós, imaginamos um jogador um pouco mais móvel, pelos lados do campo e até uma peça que consiga fazer um meia-atacante por dentro. Se der certo a peça que imaginamos, será com essas características. Nossos centroavantes são Thalles e Marlyson”, explica Barbarotti.

Sobre a zaga, ocorreram duas mudanças nesta semana: chegou por empréstimo o zagueiro Henrique Trevisan e saiu, também por empréstimo de um ano, o jovem da base Reynaldo, que foi para o Tombense. “O Trevisan é uma atleta que está no meu radar há algum tempo. É um atleta de seleção de base, as informações de Série B, com profissionais que nós conhecemos e ele jogou um número razoável de jogos, por ser um atleta 97, consideramos que está em um momento de consolidação”, avalia o gerente, que acrescenta.

“Conseguimos um mercado para um atleta que está aqui com pouco jogo e vai ter dificuldade de novo em ter uma minutagem interessante, com um treinador de nível, como o Ricardo Drubski, que está no Tombense. Lá ele terá jogos importantes, contra Cruzeiro, Atlético e América Mineiro. Coloquei a idéia na mesa para o Reynaldo e ele achou muito interessante em poder ir e jogar”, ressalta Barbarotti, que prossegue. “Então eu coloco um atleta nosso em uma vitrine para jogar e trago um outro jogador de mercado para iniciar um trabalho aqui. Duas frentes para trazer um jogador interessante e dar retorno financeiro para a Ponte”, enfatiza. Ainda sobre Reynaldo, o jogador em dezembro teve o contrato prorrogado com a Macaca, até o fim de 2020.

Barbarotti também salienta o comprometimento dos jogadores com o plano do clube para 2019. “Uma das coisas que estávamos tendo muito cuidado na montagem do grupo era passar o projeto para o atleta. O comum é ligar para o empresário, para discutir e eu sempre quis conversar com os atletas, para passar o que nós pensamos, as propostas e projetos do nosso ano. Todos eles entenderam o nosso pedido e o que é a nossa vontade e responsabilidade. O cara que comprou essa ideia está aqui. E é bom ter jogadores que querem estar na Ponte Preta e isso é o mais importante. Não queremos apenas en passant, mas sim atletas comprometidos, que entendem o que nós propusemos”, ressalta o gerente, que exemplifica.

“Tivemos atividade no hotel, em que nós passamos nossas normas, regulamentos da Ponte Preta e fizemos uma exposição a eles. Todos os dias à noite estamos palestrando, com a parte de nutrição, parte médica, assessoria de imprensa, palestra com árbitro e na reunião de procedimentos é nítido como estamos com um grupo interessante, comprometido e que participa dessa construção. Ficamos felizes. Escutamos muito pelo torcedor, que a Ponte usa o Paulistão meio que como um laboratório e dentro de uma proposta, podendo colocar o que eu penso de montagem, vejo um grupo de atletas com experiência de Paulistão, Séries A e B de Brasileiro. É um grupo mais maduro, buscando bem os nossos objetivos, em que o principal deles é o aceso”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS