Na contagem regressiva para a decisão de sábado, Macaca pega firme nos treinos e lateral Ruan “Bolt” destaca: “Só depende de após: se continuarmos nesta oegada, podemos vencer e subir”

Foto:PontePress/FábioLeoni

 A Ponte Preta treina forte mais uma vez, na manhã esta terça (20), com um pensamento fixo em vencer o Avaí no confronto de sábado, último do ano e que vale vaga na série A. “Estamos treinando nesta semana como fizemos na semana passada, sabendo que independentemente de outros resultados, só dependemos de nós mesmos para garantir o acesso. E acho que, se continuarmos nesta pegada, podemos vencer e subir”, diz o lateral Ruan “Bolt”.

A soma do nome do famoso corredor jamaicano ao próprio não é de autoria do jogador e sim da torcida que, em especial nas redes sociais, vem chamado o atleta desta forma graças à arrancada que deu no jogo contra o Coritiba e resultou no primeiro gol da Macaca. O próprio departamento de fisiologia alvinegra confirmou que Ruan “voou baixo”, ao percorrer 90 metros em cerca de 11 segundos, uma média de 32,6km/h.  A título de comparação, Bolt – que já atingiu incríveis 44,7 km por hora – fez uma média de 37,5km/h no recorde mundial dos 100 metros.

Modesto, Ryan se diverte com a comparação. “Me chamaram de Bolt pela velocidade no último jogo, mas a semelhança é que nós dois somos negros, porque na velocidade ele é muito mais rápido que eu. Mas o povo é que fala isso, agradeço esse carinho e se o apelido pegar,  fico feliz”, diz, entre risos. 

A velocidade do jogador no último jogo foi semelhante a do francês Kylian Mbappé nas oitavas de final da última Copa contra a Argentina, lance que cahmou a atenção mundialmente, porém o brasileiro percorreu dez metros a mais. E, diferentemente do lance de Mbappé, que terminou em pênalti, o de Ruan terminou em gol, ainda que tenha sido contra, do zagueiro adversário ao tentar cortar o chute dele.

Por isso, o lateral pontepretano diz que ficará mais feliz ainda se conseguir marcar no último jogo do ano. “Eu achei que tinha feito o gol, aí um repórter me falou que não (rs). Mas tá prometendo, no momento certo vai sair e vai ser meu, ninguém vai cortar o meu barato. Acredito em Deus e sempre achei que ia sair, então se Deus quiser vai sair ainda neste ano”, diz.

Ruan finaliza falando da arrancada da Macaca que garantiu a possibilidade da vaga neste final de competição. “Muitas vezes a gente escuta que a esperança é a última que morre, mas enquanto houver esperança e a gente se mobilizar é possível. O Gilson nos mostrou isso, nos mobilizamos e subimos de degrau em degrau. Chegamos ao G4 e agora falta um jogo para, se Deus quiser, conquistar a vaga.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS