Gilson Kleina comemora vitória na reestreia em casa e já começa a pensar na próxima partida, contra o CSA

Foto:PontePress/FábioLeoni

 

Gilson Kleina começou sua terceira passagem pela Ponte Preta com o pé direito. Logo de cara, o técnico comandou a uma vitória por 1 a 0 contra o CRB no estádio Moisés Lucarelli, interrompendo uma sequência negativa que o time acumulava de oito jogos sem vencer e fazendo com que a equipe tenha ganho quatro posições, saindo do décimo-quarto para o décimo lugar na tabela.  “Foi uma vitória de todos os pontepretanos e é preciso destacar a entrega desses jogadores. Nós sabíamos que seria um jogo difícil que iria passar pelo lado emocional e foi importante a equipe fazer esses três pontos para reagir no campeonato”, diz.

 

Na opinião do treinador, o êxito no jogo de ontem foi de grande valia para que a equipe tenha a autoestima um pouco mais elevada e a confiança poder voltar. Ele faz uma análise sobre o confronto.  “Eles vieram com uma linha de cinco, com três zagueiros, baixaram a linha para esperar realmente o nosso erro e estava muito difícil conseguir as infiltrações por dentro. Ainda assim, já no primeiro tempo, quando tínhamos dois meias, tivemos duas condições – uma com o Hyuri e outra com o André Luis que ia fazer um belo de um gol, mas a bola pegou na trave. No segundo tempo nós abrimos mais o campo com os três atacantes, posicionamos um pouco mais em cima e fomos felizes de ter feito o gol que em pouco tempo que a gente trabalhou já surtiu efeito. Nós trabalhamos essa jogada de escanteio com o Danilo Barcelos e o André Luis nos treinamentos da semana e deu certo no jogo.”

 

Com pouco tempo no comando da equipe, o treinador se utilizou de uma arma que acompanhou seu trabalho em todas as passagens pela Macaca, o lado motivacional e emocional. “Na preleção eu frisei uma situação com eles de que você pode amassar uma nota de 100 reais, mas você não perde o valor dela, e era o que estava acontecendo com a gente. O time estava sendo criticado e perdendo autoestima, mas isso não tirava o nosso valor. Quem tinha que reagir primeiro éramos nós mesmos. Eu fiz essa comparação para que eles tivessem um pouco mais de tranquilidade. Sabíamos que precisávamos dessa vitória”, conta Kleina.

 

Com a pressão da estreia deixada para trás e com a retomada das vitórias na competição, Gilson Kleina fala sobre a sequência da Ponte na Série B. “Precisamos primeiro viver o jogo do CSA, pois ainda estamos em uma situação perigosa. Conseguimos esses três pontos, mas sabemos que precisamos melhorar. Estamos conhecendo o grupo e vamos poder trabalhar um pouco melhor para buscar ainda uma consistência dentro do campeonato. Vamos jogar fora de casa contra uma equipe que está brigando lá em cima e vai ter casa cheia, mas esperamos poder somar mais três pontos”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS