Novo auxiliar técnico fixo da Ponte, João Paulo Sanches comanda o treino e acredita que elenco tem qualidade para reverter má fase

Foto:PontePress/JHSemedo

A Ponte Preta tem novo auxiliar técnico permanente: trata-se de João Paulo Sanches, que chegou à Macaca como auxiliar técnico do ex-treinador Marcelo Chamusca. Após a saída do ex-treinador pontepretano, João Paulo e a diretoria da Macaca acertaram a permanência do profissional, por entender que ele demonstrou capacidade para exercer a função que estava vaga desde que João Brigatti pediu demissão do clube.

 

"Antes da nossa chegada eu já vinha conversando com a diretoria da Ponte de eu trabalhar nesta função, que eu já exercia desde 2014 no Atlético Goianiense  e com a qual tenho um fino trato consigo agregar todos os fatores e em um momento desses só temos a somar com a Ponte. Vou procurar ajudar da melhor maneira possível, para que após a chegada do novo comandante, possamos dar todo alicerce possível", explica o auxiliar. A Ponte está em negociações para a contratação de um técnico para a equipe e o anúncio deve ser feito no máximo até terça (2).

 

Graduado em educação física e com experiência também como preparador físico, o profissional também já atuou antes como técnico. “Fiquei 24 jogos como treinador ano passado, com aproveitamento de 44%, que nos daria a 11ª colocação na Série A, com um elenco o mais curto possível, tanto financeiro, como na quantidade de atletas. Mas isso é passado, agora é Ponte Preta: foco total em buscar a máxima pontuação possível, para buscarmos a competição", enfatiza João, que conta sobre as conversas que tem tido com os jogadores.

 

"Procurei desde sábado, quando reiniciei o trabalho com os atletas, passar para eles a necessidade de cada vez sermos mais fortes. Sabemos do nosso momento, da nossa dificuldade em ter as vitórias, principalmente em casa, contra equipes de baixo. Todos nós estamos muito cientes disso e temos que nos fortalecer com trabalho", afirma.

 

O profissional revela um fato curioso. “Eu reuni os atletas no sábado e disse para eles que há quatro anos e oito meses eu fazia essa função de captação de atletas e 12 atletas desse elenco estavam no meu radar. E isso porque esses atletas que aqui estão são muito mais do que estão produzindo. É uma situação que envolve vários fatores e isso vai ser passado para o novo treinador, nos aspectos emocional, individual e coletivo", garante.

Para João, o elenco é capaz de reagir nessa reta final de Série B. "A Ponte Preta é uma camisa muito forte e nós estamos cientes disso. Comprometimento, entrega a doação é muito grande no elenco. Não posso me queixar de nada nesses 28 dias que estou aqui e a resposta vai ter. Apenas tem que vir com o resultado, que é o primordial do futebol. Vamos conseguir reverter a situação", completa. 

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS