Victor Rangel diz que o time não pode se desesperar com momento difícil e que foco tem que ser em trabalhar forte para reverter situação

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

Apesar do período sem vitórias nas últimas rodadas, o atacante Victor Rangel acredita que esse momento irá se reverter. Para o atleta, a equipe não pode entrar em desespero, mas sim se reequilibrar. “O professor tem conversado conosco, passado tranquilidade para superar esse momento e estamos com cabeça boa para reverter essa situação. Claro que ficamos tristes pelo momento, a vitória não vem há alguns jogos, a agonia bate, mas não é momento de desespero. Estamos confiantes e é claro que vamos buscar o que tiver ao nosso alcance para melhorar esse quadro”, afirma o jogador, que enfatiza.

“Jamais deixaremos de lutar e acreditar para reverter essa situação. Entendemos o lado do torcedor, porque um time com a grandeza da Ponte não pode estar na posição que está. Tem que ser protagonista, brigar lá em cima e lutar pelo acesso a todo momento. A Ponte tinha que brigar pelo título. Isso que nos deixa bem chateados. Temos nos esforçado muito. A cada treino, a cada jogo, tem sido uma entrega muito grande. Estamos muito focados e sabemos que é o momento de falar pouco e trabalhar mais”, reforça.

Victor comentou a parceria feita na partida passada com Júnior Santos e espera um maior entendimento com o companheiro dentro de campo. “Foi o primeiro jogo que iniciamos juntos e talvez falte um pouco de entrosamento. Mas vamos aprimorar. O Junior tem jogado mais centralizado, na mesma função que gosto de jogar e o professor quis montar uma equipe muito ofensiva, – que era o que precisávamos para vencer – tentamos nos movimentar, buscar as oportunidades, mas infelizmente a bola não entrou. Vamos adquirir mais confiança e ajustaremos mais o nosso posicionamento dentro de campo”, avalia o atacante, que também analisa o fato de a Ponte conseguir mais pontos longe dos seus domínios.

 “Quando jogamos fora de casa, temos que ir em busca do resultado a todo momento, mas com um pouco mais de cautela. Não tomar gol no início do jogo é de suma importância.  A partir do momento que a equipe iguala com o adversário e não sofre gol no início, com a qualidade da nossa equipe, conseguimos colocar nosso jogo e temos êxito nesse aspecto. Temos vencido bons jogos fora de casa, com uma pontuação que nos dá uma das melhores campanhas como visitante e temos que nos agarrar nisso. Contra o Oeste será mais um jogo complicado e vamos para buscar três pontos, para reabilitarmos na competição”, explica Victor.

O jogador também comenta sobre o início de trabalho com o técnico Marcelo Chamusca. “Esta é a primeira semana que ele tem para implementar as ideias dele. Ele chegou na segunda-feira passada, fizemos um treino curto e já teve viagem. Quando voltamos o tempo para se preparar é curto, porque tem a recuperação e fizemos só dois treinos com o grupo todo. E não deu para aplicar muita carga de trabalho, por conta da proximidade com a outra partida. Agora, já com essa semana cheia, ele pode trabalhar um pouco mais, implementar os conceitos dele, que o grupo já tem assimilado”, diz Victor, que continua.

“Ele nos contou que a equipe teve uma evolução grande diante do Sampaio, infelizmente, quando não ganhamos ficamos com a cabeça inchada, mas sabemos que temos que ter calma nesse momento. Temos que acreditar e chamamos o torcedor para acreditar conosco, porque vamos reagir”, ressalta o jogador, que demonstra espírito vencedor para a Ponte reencontrar as vitórias. “Conversei com alguns companheiros e esse jogo é um divisor de águas. Ganhando daremos uma respirada, porque está tudo equilibrado, com seis ou sete equipes na briga para entrar no G4 e sabemos que uma vitória é importante. O campeonato é muito equilibrado e temos que fazer nossa parte. Temos o pensamento de ganhar o jogo e esse é o espírito que temos que buscar”, completa.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS