Chamusca lamenta chances desperdiçadas em empate contra o Sampaio e rechaça comodismo: foco é em trabalho forte para melhorar contra o Oeste

Foto:PontePress/FabioLeoni

O técnico Marcelo Chamusca lamenta o empate da Ponte Preta diante do Sampaio Corrêa, na noite desse sábado (8) no Moisés Lucarelli, em Campinas. Para o treinador, o resultado de 0 a  0 é triste até porque houve chances d3 a equipe ter conseguido sair vitoriosa. Ele ponderou também o fato de que, no segundo tempo, o adversário construiu situações de perigo, após a Ponte ter perdido um pênalti.

“O controle do jogo era nosso mo primeiro tempo. O adversário não ameaçava e tínhamos mais a posse de bola, mas pouco poder de infiltração na defesa do Sampaio, que não apresentou nenhum poder ofensivo e foi finalizar após os 35 minutos. Nós também não criamos chances claras, a não ser nos dez primeiros minutos. No segundo tempo voltamos com um pouco mais de movimentação ofensiva, pressionamos o adversário e até o momento do pênalti, que é oportunidade mais clara de um jogo de futebol, o jogo estava totalmente controlado”, diz Chamusca, que continua.

“A partir do lance do pênalti o jogo mudou de característica. Tivemos um baque na questão emocional e o adversário continuou jogando em nosso erro. Conseguiu, através de algumas situações, chegar próximo ao acerto. Com a necessidade de vencer o jogo, tínhamos que nos expor, e isso fez com que o adversário tivesse mais chances de contra-atacar e criar oportunidades no final do jogo. Um final de jogo muito aberto, nos desorganizamos na parte ofensiva e o Sampaio teve também a oportunidade de vencer, como nós tivemos.”

O comandante rechaça comodismo e que trabalha forte em busca da evolução da equipe. “Eu fui contratado porque o time vinha de uma sequência de resultados que não estava agradando e precisava tentar mudar isso. De ter assistido vários jogos, estamos tentando criar um modelo diferente. A torcida estava chateada porque não estava conseguindo ver o time evoluir mais na tabela. Vamos buscar melhorar. Estou vivendo 24 horas o clube, desde que eu cheguei, e pode ter certeza que se tem alguém chateado com o resultado de onetm este alguém sou eu, porque trabalhei muito para que pudéssemos vencer o jogo e quebrar essa sequencia negativa”, ressalta.

Chamusca destaca que a busca por soluções dos problemas é contínua e que acredita na melhora da equipe. “Estamos tentando mexednaquilo que não estava funcionando. O primeiro jogo foi muito difícil, porque jogamos 70 minutos com um atleta a menos. Como cobrar o trabalho de um treinador, com um jogador a menos e com uma sessão de treinamentos de 30 minutos? Eu cheguei na segunda e fui para o jogo. Qualquer outro treinador no meu lugar iria se esconder. Eu dei minha cara para bater. O deste sábado tivemos um pouco mais de tempo para treinar e poderia ter acabado de forma diferente.”

O treinador destaca que as expectativas para o próximo confronto são melhores. “Pela primeira vez terei uma semana cheia para tentar melhorar situações de conceito e fazer com a equipe tenha uma postura diferente, principalmente no que diz a construção ofensiva. Que possamos vencer, já que vamos fazer um confronto direto contra o Oeste. É um campo bom de jogar na Arena Barueri, onde não tem tanta pressão de torcida e podemos conseguir reverter essa situação no próximo jogo”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS